Ultimato do Bacon

Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror

Em 29 de Out de 2021 46 minutos de leitura
Etrigan Mangás e HQs de Terror

Confira nossa lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror elaborada por toda a equipe de colaboradores do Ultimato do Bacon!

Celebrado em todos os cantos do mundo, o Halloween é uma data em que todos se fantasiam de personagens de terror e demais gêneros, enfeitam suas casas com temas assustadores e saem de porta em porta pedindo doçuras ou travessuras aos vizinhos.

Vale lembrar que o Halloween tem suas raízes no Reino Unido, a partir do nome “All Hallow’s Eve” (Dia de Todos os Santos).

Segundo o site BBC News, “desde o século XVIII, historiadores apontam para um antigo festival pagão ao falar da origem do Halloween: o festival celta de Samhain, termo que significa o fim do verão”. Cultos, seitas pagãs, sacrifícios, invocações, adivinhações e pactos fazem qualquer um tremer de medo diante do desconhecido.

Para celebrar a data, o Ultimato do Bacon preparou uma seleção de obras que vão de clássicos do terror até as produções mais recentes do gênero, divididos em seções contendo filmes, séries, quadrinhos, games e livros.

Nossa intenção não é esgotar o tema – até porque, sempre aparece algo novo – mas oferecer aos leitores do UB e fãs do puro terror uma amostra daquilo que faz nossas espinhas congelarem e os pelos da nuca arrepiarem.

Feliz (?!?) Halloween a todos e uma uma boa dose de sustos, gritos, tremores e saltos da poltrona.

Índice

Mangás e HQs de Terror

Os Vampiros de Filipe Melo e Juan Cavia

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

A HQ portuguesa que mistura vampiros com a guerra entre Portugal e Angola não poderia ficar de fora da nossa lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror.

Filipe Mello e Juan Cavia criam uma história de terror que mescla os horrores da guerra entre Portugal e Angola com o surgimento de monstros sugadores de sangue!

A arte cartunesca de Juan Cavia ajuda a dar um “choque” no leitor conforme acontecimentos horrendos vão mostrando aos soldados que existem criaturas tão pavorosas e malvadas quanto eles mesmos. A leitura nos deixa pensativos e ficamos imaginando o que devemos temer mais: as ações dos homens ou as criaturas das trevas.

Com um desenvolvimento detalhado e bem pensado em suas mais de 200 páginas, a HQ impressiona e até entrou na lista de melhores HQs de Vampiros

Confira nosso review completo de Os vampiros de Filipe Mello e Juan Cavia e nossa entrevista com a dupla no Sobrecapa.

Lavagem de Shiko

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

O paraibano Shiko cria uma história impressionante e assustadora nessa HQ que fala sobre solidão, isolamento e loucura.

Shiko é, sem sombra de dúvida, um dos grandes nomes dos quadrinhos nacionais. Lavagem é uma obra curta que nos deixa pensativos após o seu final potente.

A HQ acompanha um casal que vive no mangue e possui uma vida muito humilde: Omar é um homem bruto e quieto que, aparentemente, se sente mais confortável com seus porcos do que com as pessoas. Já sua esposa é uma mulher analfabeta e religiosa. Os dois parecem não estar mais muito ligados até que um pastor bate em sua porta em uma noite que deveria ser como outra qualquer…

As 72 páginas da HQ passam voando e esse é o tipo de obra que você vai querer reler para absorver cada detalhe incrível da arte e da narrativa. E se prepare para um final que vai te dar no que pensar!

Confira nosso review completo sobre Lavagem de Shiko.

Gideons Falls de Jeff Lemire e Andrea Sorrentino

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

Um terror inteligente e magnético envolve o leitor nas páginas da HQ Gideon Falls.

Jeff Lemire é um dos mais versáteis autores da atualidade. Gideon Falls é uma história de terror que nos deixa preso até o seu fim – seja por conta dos horrores que ela traz ou por conta dos mistérios que povoam as páginas da trama.

Gideon Falls é o nome da cidade onde toda a trama se passa. A história acompanha dois personagens distintos que – aparentemente – não possuem nenhuma relação direta: um padre e um garoto órfão com obsessão por lixo e por um tal “celeiro negro”. A trama se desenvolve ao redor desses dois personagens até que, obviamente, a história se cruza. Mas acontece muita coisa até isso acontecer.

Ambos os personagens não estão onde acham que deveriam e muito menos onde gostariam. O padre é mandado para a pequena cidade do interior pelo bispo da igreja contra a sua vontade (o passado do padre e a construção do personagem são um show à parte); a vida do adolescente obsessivo é um eterno “entra e sai” de instituições mentais.

O objeto amaldiçoado, o tal Celeiro Negro, começa a se fazer presente na história aos poucos e só se revela de verdade depois de estarmos MUITO envolvidos com os personagens. Lemire é hábil em acertar onde muitas histórias de terror erram e ele consegue fazer com que o leitor realmente tema pela vida dos protagonistas…

Prepare-se para entrar em um universo complexo onde o horror pode estar em cada detalhe! Confira nosso review completo de Gideon Falls.

Confira também nossa entrevista com Janaína de Luna – editora da obra no Brasil – no Sobrecapa.

The Walking Dead de Robert Kirkman

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

A HQ de Robert Kirkman não poderia ficar de fora da nossa lista de Filmes, Séries, HQs e Mangás de Terror.

Robert Kirkman se aprofundou no gênero de zumbi como nenhum outro autor. Na HQ, que conta com incríveis 193 números, o autor mostra a luta de Rick Grimes e seu grupo (seu filho Carl, inclusive) para sobreviver em um mundo pós-apocalipse zumbi.

O divertido e cativante é que com o passar do tempo percebemos que os “mordedores” são o menor dos perigos que o grupo enfrenta. A série é recheada de personagens icônicos, como Michonne, e vilões incríveis – vale destacar o Governador, Negan e os temidos Sussurradores!

A trama consegue mostrar a reconstrução do mundo do zero e é muito interessante perceber como as amarras da sociedade atual nos impedem de muitas “selvagerias”! The Walking Dead, ou Os Mortos-Vivos, é uma série que ganha por desenvolver um assunto de forma bem feita e com personagens bem construídos e marcantes – não se apegue pois tudo pode acontecer.

No Brasil a obra foi lançada na íntegra pela Panini Comics em 32 volumes capa cartão.

Batman & Etrigan de Alan Grant e David Roach

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

Batman é torturado por um demônio que finge ser Jason Todd em uma HQ que merece destaque na nossa lista de Filmes, Séries, HQs e Mangás de Terror.

Alan Grant e David Roach criam uma trama que traz demônios do inferno a Gotham. Esses seres estão atormentando os habitantes da cidade e o Cavaleiro das Trevas precisa se unir a Etrigan para vencê-los.

A trama é sombria e vemos o Batman ser confrontado com diversas questões como a morte de Jason Todd, às vítimas do Coringa que só crescem por ele se recusar a matar o palhaço e até com os sentimentos de seus pais mortos. A trama não poupa nada da vida do Morcegão e prepare-se para ver esses questionamentos de outra forma…

Lançada em 1996, a HQ chegou ao Brasil no ano de 2001 em uma edição de formato americano chamada Batman & Etrigan da Brainstore Editora.

Vampiro Americano de Scott Snyder

Por Lucas Souza

O surgimento de uma nova raça de vampiros ganha os holofotes na série Vampiro Americano da Vertigo

Mais uma HQ de Vampiros aterriza na nossa lista de Filmes, Séries, HQs e Mangás de Terror! A série da Vertigo de Scott Snyder, que conta com os desenhos do brasileiro Rafael Albuquerque em muitas edições, conta o surgimento de uma nova e mortal raça de vampiros.

A trama apresenta diversos personagens que começam sua jornada em 1920 e avançam décadas, passando por diversos eventos importantes da humanidade. A história do 1º vampiro da raça, Skinner Sweet, é contada em flashbacks escritos pelo próprio Stephen King. A trama alterna momentos de aventura com eventos sombrios e assustadores!

Saiba mais sobre Vampiro Americano no nosso review completo!

Fronteiras do Além de Jayme Cortez

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

A antologia de terror de Jayme Cortez não poderia ficar de fora da nossa lista de Filmes, Séries, HQs e Mangás de Terror.

Fronteiras do Além de Jayme Cortez é uma antologia de terror lançada pelo Pipoca e Nanquim que traz os quadrinhos de terror produzidos pelo autor. Além dos contos, a edição traz uma tonelada de extras com capas e matérias que complementam bem a experiência de quem quer saber mais sobre o artista português que foi tão importante para os quadrinhos de terror nacionais.

Destaque para o conto “O Retrato do Mal” que é apresentado em uma versão de 3 e de 8 páginas. Contos simples que mostram as raízes do terror em uma edição recheada de extras!

Saiba mais sobre a HQ Fronteiras do Além de Jayme Cortez aqui!

CreepShow de Stephen King e Bernie Wrightson

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

5 contos de Stephen King recheiam as páginas da divertida HQ Creepshow!

Mais uma HQ com contos de horror de pegada clássica chega a nossa lista de Filmes, Séries, HQs e Mangás de Terror! Em 1982, o gênio Stephen King se junta ao mestre George A. Romero para criar um filme inspirado em quadrinhos clássicos de terror dos anos 50 e 60.

Para deixar sua homenagem ainda mais explícita, King decidiu adaptar seu roteiro (que é composto de 5 contos) para os quadrinhos com a arte de Bernie Wrightson (criador do Monstro do Pântano). A HQ é uma excelente pedida para os fãs de um horror mais clássico!

Creepshow foi lançado no Brasil em uma bela edição capa dura pela Darkside Books

O Cão de Caça e Outras Histórias de Gou Tanabe

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

Os contos de H.P Lovecraft ganham vida nesta adaptação de Gou Tanabe.

O mestre do terror H.P Lovecraft também marca presença na nossa lista de Filmes, Séries, HQs e Mangás de Terror! O mangaká Gou Tanabe adapta de maneira sombria e brilhante 3 contos do autor americano: “O Templo”, “O Cão de Caça” e “A Cidade sem Nome”. 

A publicação possui 176 páginas e o que vemos são adaptações bem desenvolvidas que conseguem manter o clima assustador dos contos originais. O traço do mangaká também contribuiu muito para o resultado final que certamente vai agradar os fãs de Lovecraft!

O Cão de Caça e Outras Histórias de Gou Tanabe foi lançado no Brasil em 2015 pela JBC.

Do Inferno de Alan Moore e Eddie Campbell

Por Lucas Souza

HQs de Terror

A história de Jack Estripador é contada por Alan Moore nesse clássico dos quadrinhos!

Um trabalho de pesquisa impressionante que resulta em uma HQ aterrorizante e magnética – essa é a melhor definição da obra Do Inferno. Alan Moore conta sua versão da história de Jack Estripador. Na história vemos o autor ligar os assassinatos cometidos a rituais e a uma trama que visa proteger o herdeiro do trono inglês.

O jogo de “gato e rato” entre o assassino e os policiais é apenas um dos atrativos da trama que versa sobre fé, maldade, poder e medo. Imperdível!

A HQ ganhou uma belíssima versão definitiva em capa dura pelas mãos da Editora Veneta que conta com mais de 590 páginas.

Gibi de Menininha 2: O Faroeste é Mais Embaixo de Germana Viana (org.)

Por Lucas Souza

de Terror

Terror com uma pegada erótica ganha espaço na nossa lista nessa coletânea que traz contos que se passam no faroeste.

Contos de terror (com uma pegada erótica) que se passam no Velho Oeste são mostrados nessa HQ nacional que é 100% feita por mulheres. Germana Viana se junta a nomes como Dane Taranha, Sueli Mendes, Milena Azevedo, Juliana Loyola e muitos outros!

A HQ possui 07 contos curtos que trazem demônios e eventos bizarros que acontecem no faroeste. Uma pegada clássica com contos apresentados por uma divertida narradora: Mama Jellybean.

Conheça mais sobre Gibi de Menininha 2 – O Faroeste é Mais Embaixo aqui e confira nossa entrevista com Germana Viana no Sobrecapa.

Manga of the Dead de Diversos Autores

Por Lucas Souza

Mangás de Terror

Oito contos de diversos mangakás sobre zumbis são reunidos nessa coletânea!

Manga of The Dead é uma coletânea de mangás de terror que tem o foco em mostrar contos de zumbis. A edição, que conta com mais de 240 páginas, traz 08 contos que abordam os diversos problemas de se “conviver” com mortos vivos.

Temos desde histórias sobre 2 irmãos pequenos que precisam sobreviver nesse mundo até histórias divertidas sobre um zumbi que luta MMA. A variedade de temas e tons da publicação é seu grande trunfo.

Manga of The Dead foi publicado no Brasil pela JBC.

30 Dias de Noite de Steve Niles e Ben Templeton

Por Lucas Souza

 HQs de Terror

A HQ de Steve Niles não poderia ficar de fora da nossa lista de Filmes, Séries, HQs e Mangás de Terror!

A obra de Steve Niles ficou tão famosa que não poderia deixar de figurar na nossa lista! Ela mostra uma pequena cidade no Alaska que fica 30 dias sem sol. E é justamente nesse período que os sanguessugas lendários aparecem para mudar a vida de todos os que estão na cidade.

A HQ possui um ritmo veloz que deixa o leitor sem fôlego. É uma daquelas HQs que nos levam a virar apressadamente as páginas para saber o que vai acontecer. Uma bela obra que é regada a muitas cenas de violência e reviravoltas. 

Uma premissa assustadora que possui uma execução perfeita, gerando diversas continuações e até um filme bastante fiel. Uma linda edição definitiva foi lançada pela Darkside Books em 2020.

Another de Yukito Ayatsuji e Hiro Kiyohara

Por Lucas Souza

Mangás de Terror

O mangá Another é a adaptação de uma light novel japonesa de horror escrita por Yukito Ayatsuji.

A escola Yomiyama Norte se transforma após a morte de um de seus alunos mais populares. A turma, como forma de honrar o falecido colega, decide agir como se ele ainda estivesse vivo. O problema? Na foto de fim de ano o aluno morto aparece…

Vinte e seis anos se passam e um novo aluno é transferido para a turma: Sakakibara Kouichi. O aluno logo conhece Misaki e repara que a jovem é tratada com indiferença por todos. O que parece para Kouchi um caso de bullying, logo se torna algo muito mais sombrio.

Originalmente lançado em 2010, Another chegou ao Brasil em 2005 em 4 edições (e uma edição #0 especial) que contam toda a história da classe 3-3.

 

The Black Monday Murders de Jonathan Hickman

Por Lucas Souza

HQs de Terror

Mercado financeiro, rituais e mortes se misturam na HQ de Jonathan Hickman.

The Black Monday Murders é simplesmente uma das ideias mais diferentes (e com uma execução competente) que já tive a oportunidade de ver em uma HQ.

 “Nem tudo é o que parece” é o tema central da trama. Logo no começo da história somos apresentados a um assassinato que mexe com a estrutura do maior banco de investimentos do mundo: a Caina-Kankrin. O detetive Theo é designado para o caso e logo começa a se deparar com um mundo bem diferente do que imagina…

Rituais, sacrifícios de sangue e personagens absolutamente poderosos – em todos os sentidos – sem nenhuma vontade de compartilhar a verdade, são apenas alguns desafios do detetive que vai se surpreendendo com as próprias descobertas…

Saiba mais sobre The Black Monday Murders aqui.

Alive de Tsutomu Takahashi

Por Lucas Souza

Mangás Terror

O condenado à morte Tenshu Yashiro recebe a proposta escapar do terrível destino se trabalhar para uma misteriosa organização.

Tenshu Yashiro é um condenado à morte que recebe uma segunda chance. Tudo que ele precisa fazer é aceitar trabalhar para uma poderosa (e desconhecida) organização. Ao ser liberado, ele é levado a uma nova cela e colocado – junto com outro detento – ao lado de uma bela mulher que está possuída por um demônio.

Não é preciso dizer que a trama de Alive é um terror no estilo sobrenatural e todo o suspense sobre a tal bruxa se desenrola em um ótimo ritmo. A trama prende o leitor e vai, aos poucos, mostrando o passado do complexo protagonista…

Conheça mais sobre Alive aqui.

Aberrações: No Coração da América de Steve Niles e Greg Ruth

Por Lucas Souza

s de Terror

A obra de Steve Niles e Greg Ruth traz uma história de terror que se passa no coração dos EUA.

O terror atinge o interior dos EUA nessa HQ de terror lançada em 2004. Aberrações: No Coração da América (Freaks of The Heartland no original), conta a história de Trevor e seu irmão mais novo que sofre com deformação congênita. O problema é que Trevor vive em uma pequena cidadezinha rural que acredita que os problemas de nascença de seu irmão o transformam em uma aberração que está sendo castigada por Deus.

A história narra como Trevor, que acredita que seu irmão é apenas uma criança normal e assustada, convive com uma cidade que despeja sobre eles ira e desprezo. Uma história emocionante que mostra o lado mais feio do ser humano!

Aberrações: No Coração da América foi lançado no Brasil em 2006 pela Devir.

Parasyte de Hitoshi Iwaaki

Por Lucas Souza

Mangá de Terror

O mangá de 1988 não poderia ficar de fora da nossa lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror.

Hitoshi Iwaaki conta uma história de terror que começa com uma invasão alienígena! O jovem Izumi Shinichi é o protagonista da trama e na história vemos aliens no formato de vermes que invadem a Terra. Esses aliens entram no corpo dos humanos via nariz ou orelhas.

Shinichi é invadido por um desses aliens mas consegue pará-lo antes que ele afete seu cérebro e ele toma posse apenas da mão direita do jovem. Os dias passam e os dois precisam aprender a conviver em um mundo onde temos parasitas tentando dominar corpos humanos e a própria Terra!

Parasyte foi lançado no Brasil em 10 volumes pela JBC em 2015/2016.

Sala Imaculada de Gail Simone e Jon Davis-Hunt

Por Lucas Souza

HQs de Terror

Prepare-se para entrar no mundo louco e assustador de Sala Imaculada!

Gail Simone e Jon Davis-Hunt entregam uma história recheada de mistérios que vão ficando cada vez mais horripilantes conforme a trama vai avançando. Sala Imaculada conta a história da organização Mundo Sincero que é comandada por Astrid Mueller.

O motor da trama é o suicídio cometido pelo marido da jornalista Chloe Pierce – ele se mata após ler o livro de auto-ajuda de Mueller e é isso que as coloca em rota de colisão. A trama mistura cenas de violência pesadas com cultos satânicos e com um clima de investigação que surpreende no seu clímax!

Sala Imaculada foi lançado no Brasil pela Panini Comics em 2017.

I am a Hero de Kengo Hanazawa

Por Lucas Souza

Mangás Terror

Um assistente de mangaká se vê preso em um apocalipse zumbi na obra I am a Hero.

Hideo Suzuki é um assistente de mangaká com mais de 35 anos que não tem nenhuma perspectiva de crescimento na vida. O personagem tem problemas de relacionamento e possui muita dificuldade em criar relações duradouras. A vida dele se transforma completamente quando um apocalipse zumbi começa e ele precisa batalhar pela própria sobrevivência…

O mangá foi lançado no Brasil em 22 volumes pela Panini Comics.

Monstro do Pântano de Alan Moore

Por Lucas Souza

HQs de Terror

Alan Moore revitaliza o Monstro do Pântano e transforma a série em uma verdadeira obra de terror!

Prepare-se para tramas horripilantes nessa série incrível de Alan Moore. O autor pega a criação de Len Wein e Bernie Wrightson e a transforma para sempre.

Na série vemos o antigo pesquisador, que agora é um agente do verde, se envolver com monstros, demônios e todo tipo de seres sobrenaturais ao mesmo tempo que se depara com o horror que pode ser causado pela ganância e egoísmo dos homens.

Moore cria conceitos icônicos, como o Parlamento das Árvores e transforma a relação e os poderes do personagem para sempre. Das páginas dessa HQ saiu um outro grande personagem do horror e da Vertigo: John Constantine. Certo e errado se misturam em uma HQ que traz muitas nuances em suas histórias.

A HQ foi publicada na íntegra pela Panini Comics em seis volumes na coleção A Saga do Monstro do Pântano e ganhou uma versão definitiva em 2021. A HQ de Moore começou a ser publicada, originalmente, em 1984.

Confira nossa lista de melhores séries da Vertigo!

Hellblazer de Garth Ennis

Por Lucas Souza

HQs de Terror

A fase icônica de John Constantine escrita por Garth Ennis está na nossa lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror!

Garth Ennis abraça a criação de Alan Moore e cria uma das fases mais icônicas do mago trambiqueiro da Vertigo!

Nada de heroísmo nas páginas do run do autor. Aqui vemos um Constantine que está mais preocupado em salvar a própria pele do que qualquer outra coisa.

Vemos o personagem fazendo pactos com demônios para se livrar da morte (a história é a base do filme “Constantine” de 2005), colocando demônios dentro do corpo do filho de um mafioso, por exemplo. O bruxo de Ennis é uma força da natureza (no mau sentido!) que vai acabar com tudo que cruza seu caminho…

Essa fase, originalmente publicada em 1991, foi publicada no Brasil em 8 volumes que compõe a série John Constantine, Hellblazer – Infernal da Panini Comics.

Fragmentos do Horror de Junji Ito

Por Lucas Souza

A lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror não ficaria completa sem a presença de Junji Ito.

A realidade é que praticamente qualquer obra do mestre do horror japonês poderia figurar na nossa lista.

Para representar o autor escolhemos a obra Fragmentos do Horror, uma coleção de histórias curtas do autor, ideal para novos leitores. Com alguns contos bastante elogiados como “Pássaro Negro”, “A mulher que sussurra” e “Suave Adeus”, a coletânea é um prato cheio para quem quer conhecer o horror japonês, que é bem diferente do que estamos acostumados em comics americanas ou europeias.

Além disso, Junji Ito presta homenagem a elementos clássicos como casas estranhas, figuras lovecraftianas, eventos sobrenaturais e outros! A coletânea foi publicada aqui no Brasil pela Darkside Books. Confira nossa lista de Melhores Mangás de Junji Ito aqui e também os comentários em vídeo no Sobrecapa.

Sangue e Gelo de Tito Faraci e Pasquale Frisenda

Por Lucas Souza

A série “Le Storie” da Bonelli nos brinda com uma excelente HQ de horror que se passa em meio a guerra!

Prepare-se para uma história de terror da Sergio Bonelli Editore que vai te deixar desorientado! A trama se passa na Rússia durante a guerra com Napoleão. O cenário devastado mostra um pouco da estratégia de defesa que deixava tudo arrasado para que os soldados do exército invasor não tivessem o que aproveitar. A neve e o frio constante também não facilitam a locomoção e o dia a dia dos soldados.

No meio de todo esse cenário complexo, somos apresentados ao Capitão Lozère e seus homens. Após salvar a vida de uma jovem, o capitão acaba levando seus homens cada vez mais e mais para dentro do território inimigo.

Uma HQ magnética que conquista pelos ótimos diálogos e construções de personagens, fora o grande mistério que ronda a jovem resgatada pelo capitão. Sangue e Gelo foi lançado em 2021 pela Editora Trem Fantasma.

Confira o review completo de Sangue e Gelo aqui. e nossa entrevista com os editores da Trem Fantasma no Sobrecapa.

Revistas Calafrio e Mestres do Terror

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

A editora Ink&Blood Comics relançou em novembro de 2015 os títulos Calafrio e Mestres do Terror.

Calafrio é uma HQ criada por Rodolfo Zalla em 1981. A publicação tinha como proposta trazer contos curtos de terror. A Mestres do Terror, que surgiu um pouco depois, tinha a proposta de trazer reinterpretações de personagens famosos como Drácula, A múmia e Frankenstein.

Ambas as revistas tinham inicialmente 52 páginas, com o miolo preto e branco em papel jornal. Grandes artistas passearam pelas páginas das revistas, como Jayme Cortez, Eugênio Colonnese, Júlio Shimamoto e o incomparável Flávio Colin.

As HQs ficaram na ativa até 1993, quando foram canceladas e só retornaram ao mercado em 2011 (em uma publicação luxuosa que durou pouco).

Em 2015, por esforço do editor Daniel Saks, as revistas ganharam nova vida e têm sido publicadas novamente desde então, seguindo a numeração original. As publicações são ótimas para leitores que apreciam os contos de terror clássicos (no estilo Eerie e Contos da Cripta) e querem ver mais de grandes artistas nacionais!

Conheça tudo sobre a Calafrio e a Mestres do Terror aqui e nossa entrevista com o editor Daniel Saks no Sobrecapa.

Revistas Cripta e Creepy

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

Conheça a gênese do horror com os contos das revistas Creepy (1964) e Eerie (1966)

Se você é fã dos contos clássicos de horror – aqueles que sempre deixam a gente com “cabelo em pé” com o plot twist do final – as revistas Creepy (1964) e Eerie (1966) são exatamente o que você está buscando.

As longevas publicações (Creepy teve 145 edições e Eerie 139) traziam desde adaptações de contos clássicos até histórias totalmente novas. As páginas das revistas trouxeram grandes nomes dos quadrinhos como Archie Goodwin, Steve Ditko, Joe Orlando, Gene Colan, Alex Toth, Reed Crandall, Al Williamson e outros. Tínhamos também grandes capistas como Frank Frazetta.

As icônicas publicações podem não agradar os leitores mais novos que não se interessam por clássicos, mas a realidade é que os contos são um presente para os leitores que querem ver a evolução do terror nos quadrinhos.

Os primeiros números da revista Creepy foram republicados pela Devir em Creepy – Contos Clássicos de Terror #1 a #3, enquanto que os primeiros números da revista Eerie foram republicados pela Mythos em Cripta #1 a #4.

A Capa de Joe Hill

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

Imagine se uma capa mágica desse poderes a um louco! É isso que vemos na HQ de Joe Hill

Para os fãs de quadrinhos de super-heróis é sempre especial ver a ideia do super-herói transformada em algo a ser temido. A HQ A Capa de Joe Hill merece lugar na nossa lista de HQs de terror justamente por conta disso.

Na história, vemos o invejoso e preguiçoso Eric ganhar poderes mágicos ao utilizar uma capa que era um brinquedo de infância. Ao invés de seguir exemplos de heróis como Superman, ele decide “se vingar” das pessoas que ele acredita que o fizeram mal. Prepare-se para um banho de sangue que não poupa ninguém: ex-namorada, irmão, mãe e qualquer um que tenha o azar de cruzar o caminho do louco e super-poderoso Eric.

A HQ é muito mais assustadora do que parece e mostra – ao menos para mim – porque não é uma boa ideia termos um ser superpoderoso andando por aí… Joe Hill Dark Collection Vol.1: A Capa chegou ao Brasil em 2020 pela Darkside Books.

Confira aqui o review completo da HQ A Capa de Joe Hill.

Hideout de Masasumi Kakizaki

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

Um marido e uma esposa que se odeiam entram em uma espiral de loucura no mangá Hideout.

Um acontecimento passado faz com que Seiichi e sua esposa se detestem. Sem suportar mais a situação, Seiichi convida sua esposa para um passeio de “recomeço” e logo fica claro que a intenção dele é acabar com a vida de sua companheira.

A história fica ainda mais bizarra quando eles acabam chegando em uma caverna que abriga um monstro que possui planos para os dois. A história é recheada de reviravoltas macabras e regada a muito sangue e analogias profundas. Uma obra perturbadora!

Confira o review completo de Hideout de Masasumi Kakizaki

Drácula – Uma Sinfonia de Pesadelos ao Luar de Jon J. Muth

Por Lucas Souza

Mangás e HQs de Terror

A obra de Jon J. Muth pode não ser a melhor história de Drácula, mas é a mais bela.

Painéis impressionantes e uma arte de deixar qualquer leitor boquiaberto são o grande atrativo da HQ lançada originalmente em 1987. A obra de Jon J. Muth consta na nossa lista de Melhores HQs de Vampiro como um bônus! Isso porque a publicação possui um ponto muito forte e outro que é absolutamente comum.

O roteiro da HQ pauta sua evolução toda em uma releitura da obra original. A questão é que Jon J. Muth não adiciona nada realmente novo e memorável a trama que acaba sendo uma espécie de reinvenção – muito bem executada, sem dúvidas, mas sem elementos novos e marcantes.

O grande ganho em termos de narrativa é, talvez, o ritmo que é mais intenso e ágil do que o livro de Bram Stoker. O que faz a obra ganhar espaço na memória do leitor (e nessa lista) é a arte que conta com painéis belos e magnéticos que nos deixam hipnotizados!

Confira aqui o review completo da HQ Drácula Uma Sinfonia de Pesadelos ao Luar de Jon J. Muth.

O Imortal Hulk de Al Ewing

Por André Brasuka

O horror tem nome e se chama Hulk, saído direto da mente criativa de Al Ewing (roteirista da revista britânica 2000 A.D.), que revigora o Gigante Esmeralda e apresenta o medo em seu estado puro. O Imortal Hulk ressurge do além-vida após sua morte na famigerada saga Guerra Civil II e Ewing aproveita o momento para criar uma trama sobrenatural de teor grotesco.

Nada de Hulk cinza, verde ou vermelho, estamos diante de uma obra literalmente visceral graças à arte de Joe Bennett, que entende de gore e apresenta visuais dantescos tanto para o Hulk quanto para os demais personagens – quem assistiu ao clássico filme de horror O Enigma Do Outro Mundo vai pegar as referências.

Claro, existe uma ultra violência escancarada nas edições que deixa claro que a história está além da mera frase “Hulk, esmaga!” Sim, ele esmaga, tritura, arranca braços, pernas e colunas dos seus oponentes. Para se ter uma ideia, durante uma luta contra o Homem Absorvente, o Imortal Hulk arranca sua espinha – asqueroso e extremo de se olhar, porém, embutida nas entrelinhas da narrativa pode se perceber uma análise do horror em seu estado bruto, em que a alma humana carrega uma natureza hostil, por vezes, escondida sob a carcaça de uma pessoa gentil como Bruce Banner.

Monstro ou herói? Vítima ou ameaça? Como definir o Imortal Hulk? Ewing e Bennett bebem das mais variadas fontes do horror, ficção científica, gore, violência gráfica, medo, desconforto, terror, cosmicidade lovecraftiana, abusos morais e psicologia para trazer um novo fôlego aos traumas vividos pelo personagem durante décadas de histórias e, assim, atormentar e despedaçar cada vez mais a alma do bom doutor (aliás, não tão bonzinho assim, pois, como se diz: “de boas intenções o inferno está cheio).

Esta HQ, de fato, apresenta muito mais do que mera visualidade e abarca um tipo de terror psicológico que perturbará sua mente, inferindo pesadelos e reflexões.

Papa-Capim – Noite Branca de Marcela Godoy e Renato Guedes

Por Yuri Mazzetti

Quando uma lenda das selvas é contada baseada na história em que nosso país foi construído na época de seu descobrimento, além de um pouco de cultura pop, mostra como um quadrinho pode possuir camadas de compreensão.

Nessa, que é a décima primeira edição do selo Graphic MSP da Mauricio de Sousa Editora, os autores Marcela Godoy e Renato Guedes apresentam uma história de terror baseada nas lendas dos povos do Norte do país. Após um pesadelo estranho, Papa-Capim tenta alertar seus líderes contra uma ameaça que irá destruir toda sua aldeia, porém, resta apenas ao jovem guerreiro enfrentar o grande desafio sem perder sua sanidade e confiando no poder da mata.

Para esse que escreve o título em uma primeira leitura não se revelou algo digno de repercussão, causando até uma leve decepção. Mas graças a uma nova oportunidade, a releitura tornou-se muito mais prazerosa, criando uma nova visão sobre a obra. Vale ressaltar que não necessariamente todos passaram por isso, afinal cada leitor tem uma ótica.

Já nessa segunda leitura, pude notar essas “camadas” que cito no início desse texto, primeiro a ideia de monstro, um ser que age por instinto e que evolui para algo que segue como uma colmeia, em busca de alimentar sua podridão. Tudo isso só na esfera ficcional, levando em conta como referência personagens como vampiro e zumbi.

Mas se for feita uma rápida pesquisa sobre a lenda da Noite Branca, verá a história sendo contada, resumidamente é claro, da invasão dos colonizadores, dos povos dizimados por eles com ajuda de outras tribos que eram rivais. Fora outros detalhes que especialistas no assunto ou pessoas ligadas a esses costumes podem destacar ao ler esse encadernado.

Os condutores da narrativa são habilidosos em mostrar a importância de seu protagonista, em usar em momentos chave os elementos da natureza em uma guerra contra mal espreita debaixo do olhar da escuridão. Será que todos não podem renascer para poder enfrentar um desafio maior, ou melhor, quantas vezes são necessárias renascer para superar um obstáculo?

Na esteira de releituras das obras do mestre Maurício, essa é uma que amplifica sua obra original, que traz críticas em forma de arte sem deixar de entreter o leitor.

Podrão Aniquilação de Pablo Carranza

Por David Horeglad

Se você é fã dos filmes trash de terror dos anos 1980, provavelmente sabe que muitas vezes as risadas se sobrepõem aos sustos e ao medo. Podrão Aniquilação (2021), quadrinho de autoria do sergipano Pablo Carranza pela editora Escória Comix, não foge à regra. São 288 páginas em preto e branco de humor de estranhíssimo gosto.

Na história – mistura de terror e sci-fi – um food truck “gourmet” arranca todos os clientes do Galego’s Lanches e do China na praça de alimentação de um parque de diversões. Um dos funcionários do Galego descobre uma maionese que lhes devolve os antigos consumidores, mas estes começam a desaparecer. Será uma vingança do Fagner, dono do food truck “gourmet”?

As investigações acontecem com muito kung fu, perseguições de carros e motos, loucuras, nojeiras e criaturas monstruosas como a Monga, a mulher-macaco. Um novo clássico do terror trash nacional.

Confira aqui o Ultimato de Podrão Aniquilação.

Contos de Terror do Cazador: Regresso ao Arkham de Jorge Lucas e Claudio Ramirez

Por David Horeglad

Cazador é um anti-herói argentino que nos anos 1990 chegou a vender mais do que as revistas da Marvel e da DC em terras hermanas. Lembra muito o estilo do Lobo. Seus criadores, Jorge Lucas e Claudio Ramírez, fãs de histórias de terror, chegaram a produzir diversas HQs do gênero.

Em Contos de Terror do Cazador: Regresso ao Arkham, os autores apresentam 10 quadrinhos de suas autorias por meio da voz do próprio anti-herói da cruz invertida, que narra as histórias macabras a três crianças durante um acampamento no cemitério.

As HQs foram produzidas no decorrer de vários anos a partir do fim da década de 1980 e variam dentro do terror mais tradicional, sombrio e claustrofóbico, até um terror misturado com o típico humor ácido presente nas aventuras do Cazador. No Brasil, a antologia foi publicada pela editora Tai em 2020.

Confira aqui o Ultimato de Contos de Terror do Cazador: Regresso ao Arkham.

Canil de Marcel Bartholo e Rodrigo Ramos

Por David Horeglad

Pedro vai para a cadeia por se envolver em um crime misterioso e macabro. De berço de ouro, filho de político poderoso, tem que enfrentar os típicos problemas carcerários do país, agravados pelo contexto: ser um peixe fora d’água, sofrer com o ódio dos outros presos e ser considerado uma moeda de troca para o diretor do local.

Se isso não bastasse, os acontecimentos são cercados por uma mítica criatura: o lobisomem. Em Canil (2020), o roteirista Rodrigo Ramos e o desenhista Marcel Bartholo utilizam uma versão menos conhecida, mas muito mais assustadora do bicho. Ao invés do tradicional homem-lobo, o “homem virado do avesso”.

A HQ foi lançada de forma independente e tem 48 páginas em um timing ótimo. A arte de Bartholo é bastante orgânica e passa um clima sombrio que agrada muito quem curte o gênero.

Confira aqui a matéria completa sobre Canil e nossa entrevista com os autores no Sobrecapa.

Zé do Caixão de Laudo Ferreira

Por Alexandre Baptista

A evolução dos desenhos de Laudo pode ser notada em Zé do Caixão.

Publicada pela Jupati Books em 2016, a HQ Zé do Caixão de Laudo Ferreira republica dois quadrinhos publicados pelo autor nos anos 90, adaptando os maios famosos longa-metragem de José Mojica Marins: À meia-noite levarei sua alma e Esta noite encarnarei no teu cadáver.

Na trama, Josefel Zanatas, o agente funerário conhecido como Zé do Caixão, é obcecado por conceber o rebento perfeito. No entanto, em sua insana busca, enfurece os moradores de sua cidade.

O clima tenso da história é transmitido de maneira muito inteligente na narrativa de Laudo que, ainda que estive num estilo muito diferente do que conhecemos hoje, prende a atenção do leitor até o final. O extra dessa edição está justamente na abertura criada por Laudo mais recentemente – onde podemos comparar o traço e notar tranquilamente a diferença.

Confira nossa review completa em vídeo no Sobrecapa.

Entrevista com o Vampiro – A História de Cláudia de Anne Rice e Ashley Marie Witter

Por Daniel Miranda

A obra escrita por Anne Rice e adaptada para quadrinhos pela artista Ashley Marie Witter foi publicada pela editora Rocco em 2015. Na verdade, não se trata de uma simples adaptação do livro original, mas sim a história contada pelo ponto de vista de Cláudia, a Vampira que nos cinemas foi interpretada pela (então) jovem Kirsten Dunst.

Os desenhos da artista Ashley Marie casam perfeitamente com a obra, quando ela mistura elementos vitorianos com traços de mangá. A colorização também é um show à parte, com a arte toda feita em tons de sépia, com apenas a cor vermelha sendo destacada em momentos óbvios.

Love Kills de Danilo Beyruth

Por Daniel Miranda

Quando um cara normal é pego no meio de uma envolvente trama vampiresca, será que sua humanidade seria sua fraqueza ou… sua força? Com uma história simples e rápida, Love Kills é uma obra que nos ganha não só pelo terror, mas pela ação!

Com um roteiro cinematográfico, é difícil não ler Love Kills e sonhar com uma adaptação para os cinemas. Principalmente por que a arte do Danilo Beyruth , parece se mover nas folhas dessa linda publicação da Darkside Books.

São Paulo dos Mortos de Daniel Esteves

Por Daniel Miranda

Poderia ser só mais uma história de apocalipse Zumbi, com suas críticas sociais, de abuso e desigualdade, mas São Paulo dos Mortos nos lembra que nós podemos ter histórias de terror ambientadas no nosso país, nas paisagens que nos são cotidianas.

Um brinde à essa obra que nos traz o que de melhor George Romero nos apresentou, transformado e temperado para abraçar nossa brasilidade. Uma leitura divertida e visceral!

Confira nossa entrevista com Daniel Esteves aqui e a coluna HQs Brasileiras no Sobrecapa.

Filmes de Terror

Donnie Darko (2001)

Por Alexandre Baptista 

Donnie Darko conta com Jake Gyllenhaal, Drew Barrymore, Jena Malone, Maggie Gyllenhaal e Patrick Swayze no seu estrelado elenco

Donnie Darko não é exatamente um filme assustador. Mas sendo um clássico cult que se passa durante o Halloween, não poderia falta em nossa lista Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror ou mesmo da nossa lista de filmes e series com viagem no tempo.

Na trama, Donnie (Jake Gyllenhall), um deslocado adolescente, se vê envolvido com sonhos e visões estranhas  acerca de, entre outras coisas, um coelho gigante e o fim do mundo (que segundo suas visões vai acabar em menos de um mês).

Eventos estranhos que envolvem toda a cidade, que tem Donnie em seu epicentro, levam o jovem a uma escolha que pode mudar a vida de todos. O filme tem atuações bem convincentes e o elenco com grandes nomes é apenas uma atração à parte, além de uma citação direta a De Volta Para o Futuro, a presença de Uma Noite Alucinante: A Morte do Demônio (The Evil Dead, 1981) e uma cena-homenagem a E.T.: O Extraterrestre (E.T. the Extra-terrestrial, 1982). A série Dark (2017) faz várias homenagens a Donnie Darko para além da viagem no tempo e do nome.

O clima tenso, fúnebre e agourento do longa não chega a ser aterrorizante… mas não deixa de dar alguns calafrios.

Hereditário (2018)

Por Alexandre Baptista

Charlie, a solitária caçula da família Graham: assustadora

Ari Aster é um ótimo diretor, apesar de sua pouca idade e filmografia. Infelizmente, o sucesso e reconhecimento tão cedo na carreira acaba por gerar um hype em torno das figuras, causando um efeito contrário, em que muitos cinéfilos, leitores e consumidores em geral se afastam de algo por estar demasiadamente “incensado” pela mídia.

Hereditário chegou a ser chamado de “filme mais assustador de todos os tempos” e, embora eu não chegue a esse ponto, confesso que o clima criado, o estilo narrativo, os ângulos e a sugestão deixada pelo cineasta em cada detalhe de cena, realmente fizeram efeito sobre mim, muito mais que qualquer monstro que possa ser criada em computação digital.

Mais um dos filmes que não poderia faltar na lista Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror, a trama acompanha uma família em que, após a morte da reclusa avó, segredos começam a ser revelados e sua presença paira como uma sombra. Tudo piora com outra súbita e chocante perda. Confira a crítica completa do filme aqui.

It: A Coisa e It: A Coisa – Capítulo 2 (2017 e 2019)

Por Alexandre Baptista

O palhaço Pennywise, uma das personificações da Coisa

Falar de filmes de terror e não mencionar It é um erro grave. It: Uma Obra Prima do Medo (It, 1990) foi uma minissérie em duas partes que certamente foi uma das responsáveis pela lenda da gangue de palhaços que sequestravam crianças em uma kombi branca – como narrado por Thiago Ossostortos em sua HQ Kombi 95 (confira aqui).

Por ter sido uma minissérie, ainda que hoje em dia seja facilmente encontrado como um filme único, preferimos incluir aqui a versão de Andy Muschietti para o livro de Stephen King. It: A Coisa (It) chegou aos cinemas em 2017, focada na fase “infantil” do livro; It: A Coisa – Capítulo 2 (It: Chapter 2) veio dois anos depois, completando de maneira bem executada a história.

A história da assombrada cidade de Derry, que padece com desaparecimentos inexplicáveis, acaba sendo investigada por um grupo de crianças que tenta desvendar o mistério e se deparam com um ser que personifica os medos de cada pessoa. A famosa encarnação do ser no Palhaço Pennywise (Bill Skarsgård) é certamente de arrepiar e justificar qualquer coulrofobia, pré-existente ou não. Sem dúvida não podia faltar na lista Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror.

Carrie, A Estranha (1976)

Por Alexandre Baptista

Carrie, A Estranha ainda é a melhor adaptação do conto de Stephen King

Basicamente qualquer livro de Stephen King – à exceção da saga da Torre Negra – deveria estar na lista Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror. O mesmo com pelo menos 10 dos melhores filmes baseados em suas obras – confira lista aqui. No entanto, é Carrie, A Estranha (Carrie) de 1976, dirigido por Brian De Palma e com Sissy Spacek no papel principal que segue, até hoje, como a melhor adaptação de King para os cinemas.

A história da adolescente Carrie, isolada do convívio social graças a uma mãe super protetora e religiosa ao extremo, que descobre poderes paranormais ainda é a narrativa mais tensa e fiel. Espere o clímax no baile de formatura onde as coisas saem completamente do controle e entenda porque este filme está na lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror.

O Exorcista (1973)

Por Alexandre Baptista 

Linda Blair como Regan MacNeil: a face encarnada do demônio congelou corações e espalhou trauma nos espectadores da época.

O longa de William Friedkin, para muitos dos que viveram o fenômeno que foi seu lançamento original, é simplesmente o ápice do terror, raríssimas vezes reproduzido e nunca superado, obrigatório em nossa lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror.

O embate entre os padres Merrin e Karras contra o demônio foi algo que entrou nas mentes e corações dos espectadores, em especial no Brasil. Na trama, a filha de uma atriz começa a se comportar de maneira cada vez mais estranhas e fenômenos passam a acontecer, até que os padres são convocados para realizar um exorcismo. A tensão da “batalha” entre os padres e o mal encarnado é grande – apesar de que, para muitos, talvez o impacto hoje não seja o mesmo, dada a profusão de jump scares a que fomos submetidos nos cinemas. O Exorcista foi algo aterrador, para muitos, por incutir um medo de que o demônio está a solta no mundo… praticamente indestrutível e aguardando somente uma nova alma.

Acrescente a isso as lendas e boatos de bastidor, envolvendo sumiços, acidentes e tragédias… e você tem os ingredientes perfeitos para uma obra-prima, não só do cinema, mas do imaginário popular.

Quadrilha de Sádicos (1977) e Viagem Maldita (2005)

Por Alexandre Baptista

Mars (Lance Gordon), um dos maníacos que atacam a família no filme original

Uma obra e seu remake. Ambos batizados em inglês como The Hills Have Eyes. O original realizado pelo mestre do terror Wes Craven; o excelente remake por Alexandre Aja.

A premissa de uma família em viagem, atravessando o Vale da Morte na Califórnia, quando o veículo que usam falha e precisam interromper o percurso. Sem comunicação (na versão mais moderna), ninguém a vista por milhas…

E como sugere o título original, as colinas têm olhos. Um grupo de sádicos monstruosos passa a atacá-los e a sanguinolência corre solta.

A ideia de trazer os dois para a lista Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror é simples: ambos funcionam perfeitamente, ainda que a versão original denote sua idade pelos efeitos que utiliza. O remake é extremamente fiel ao espírito do original e promove pequenas adequações que para alguns não interefere na experiência e para outros, melhor ainda mais a ideia inicial, dando um histórico aos sádicos da colina.

Pânico (1996)

Por Alexandre Baptista

Ghostface, o assassino da franquia Pânico: ícone instantâneo

Os anos 90 foram o auge do terrir, com as franquias de terror exauridas após a repetição de fórmulas e a exaustão do “terror de susto” idiota, do slasher sem miolos e outros subgêneros foi inevitável… até que o acima citado mestre do terror Wes Craven trouxe o primeiro Pânico para seus súditos.

Estrelado por Neve Campbell, Courteney Cox e David Arquette, o longa apresentava um “terror de susto”, sim, porém com um roteiro mais inteligente e supreendente. Pontos extras para a criação do vilão Ghostface, inspirado na obra O Grito de Edward Münch, icônico até hoje ao lado de outros grandes vilões do terror.

O Enigma de Outro Mundo (1982)

Por Alexandre Baptista

Kurt Russel descobre uma das vítimas em O Enigma de Outro Mundo

Um grupo de cientistas norte-americanos isolados em uma pesquisa na Antártida testemunha uma cena bizarra: um helicóptero da base norueguesa persegue um cão pela neve mas acaba se acidentando. Intrigados, os americanos socorrem o cão e, investigando a base norueguesa, encontram um cadáver que recolhem para pesquisa.

No entanto, o cão resgatado passa a atacar os outros cães da base – quando os cientistas descobrem “a coisa”: um parasita extraterrestre que assume a forma de suas vítimas.

Conflitos, paranoia e uma corrida contra o tempo para deter a criatura dão o clima tenso e sem respiro do longa cujo final aberto, até hoje é alvo de debate entre os fãs. Um clássico absoluto que figura tanto nesta lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror quanto em nossa lista de filmes com sósias, confira.

Saga dos Mortos de George A. Romero (1968 – atual)

Por Alexandre Baptista

O criador dos zumbis não poderia faltar na lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror

Zumbis. Originalmente uma figura da tradição vodu, foi nas mãos George A. Romero que assumiu as características tão familiares que conhecemos hoje – e tão distantes de sua verdadeira origem. A Noite do Mortos-Vivos (Night of the Living Dead, 1968), dirigido por George A. Romero a partir do roteiro dele e de John A. Russo, foi o primeiro desses longas, em que mortos-vivos, contaminados por uma estranha radiação de uma sonda que retornou de Vênus passaram a caminhar, atacar e contaminar os humanos ainda vivos.

Além deste primeiro, Romero criou mais cinco filmes neste universo: Despertar dos Mortos (Dawn of the Dead, 1978), sem dúvida o melhor de todo o gênero; Dia dos Mortos (Day of the Dead, 1985); Terra dos Mortos (Land of the Dead, 2005); Diário dos Mortos (Diary of the Dead, 2007); e A Ilha dos Mortos (Survival of The Dead, 2009), vencedor do Leão de Ouro em Veneza em 2009.

Se a sua preferência é por zumbis, não deixe de conferir algum (ou todos) destes filmes. E se quiser mais detalhes, confira em nossa lista de filmes imperdíveis de zumbis.

Nós (2019)

Por Alexandre Baptista

Adelaide Wilson e Red se enfrentam: “pós-terror” (ugh) impecável

Jordan Peele é um ator de comédia… que decidiu se aventurar na direção e produção de filmes e séries de terror. Como um dos grandes diretores do gênero de antigamente, Peele parece seguir a cartilha dos bons exemplares do gênero, usando o medo, a tensão e o violento como metáforas para a crítica social.

Nós é um dos grandes momentos do cineasta que ainda não possui uma vasta lista de filmes, mas que tem acertado a mão até aqui. Na trama, a garotinha Adelaide Wilson se perde da família em um parque de diversões. Encontrada na “casa do terror”, a menina está claramente traumatizada. Anos depois, adulta e mãe de família, ela se vê em viagem para o mesmo local onde “tudo” aconteceu anos atrás… se deparando com uma sósia assassina de si mesmo.

Com a estrutura de um slasher tradicional, Nós engana o espectador até que o roteiro subverte os acontecimentos e estabelece o palco para o conflito final. Um filme que talvez não seja dos mais óbvios, mas que certamente agradará àqueles dipostos a se aprofundar além da primeira camada. Confira nossa crítica completa do filme aqui.

Drácula de Bram Stoker (1992)

Por D’Artagnan Deliberto

Todas as culturas ao redor do mundo possuem em seu folclore criaturas que se alimentam de sangue, mas foi na Europa que tal mito se consolidou a partir do século XIX, ganhando força e atravessou os séculos. Se afirmando primeiramente por meio da literatura, com John William Polidori e a obra O Vampiro (1819) e, mais tarde, inspirando o autor irlandês Abraham Stoker a escrever o romance Drácula em 1897.

Atualmente, vampiros são encontrados em todas as mídias: literatura, teatro, cinema, quadrinhos, games, RPG, enfim, toda a Cultura Pop. Pode-se dizer que é o vampiro mais famoso da ficção, segundo o Guinness Book. Drácula possui várias adaptações para o cinema, a primeira com o nome de Drácula (1931) com o ator Bela Lugosi como personagem principal, além de outra grande adaptação de 1992, Drácula de Bram Stoker, vencedor de 3 Oscar (Figurino, Maquiagem e Edição de Efeitos Sonoros), dirigido por Francis Ford Coppola e estrelado por um grande elenco tendo Gary Oldman interpretando Drácula.

Já consumi a obra de três maneiras: livro, quadrinhos e por meio do filme (não me lembro quando vi pela primeira vez a obra de Coppola), mas sem dúvida, foi marcante para mim pois chamou a atenção a forma como é mostrada a criatura da noite tanto homem quanto a fera bestial que, por séculos, assola a humanidade.

Outro ponto marcante é a obsessão por Mina Harker (Winona Ryder), que acaba sendo sua ruína e a busca implacável de seu algoz, o médico Dr. Abraham Van Helsing (Anthony Hopkins) – de fato, uma obra de arte espetacular para todos os amantes do terror e da sétima arte.

Um fato curioso, o ator Christopher Lee foi o ator que mais interpretou o personagem no cinema a partir da década de 50.

Nosferatu – Uma Sinfonia do Terror (1922)

Por D’Artagnan Deliberto

Continuando com os vampiros, pode-se dizer que esta obra teve como inspiração o romance de Bram Stoker e tornou-se referência obrigatória quando o assunto é terror: Nosferatu – Uma Sinfonia do Terror. Produzido em 1922 por Friedrich Wilhelm Murnau, é um marco na história do cinema e do expressionismo alemão – o casamento perfeito entre luz e sombras, bem característico deste estilo de filme e época.

Com exceção do nome do personagem, pouca coisa muda do romance original de Stoker. Um ponto que pode ser destacado é que Nosferatu consegue expressar com maestria a figura maligna do vampiro alto, magro, orelhas pontudas, unhas grandes e olhos expressivos. Para mim, a retratação mais aterrorizante de um vampiro no cinema, estrelado pelo ator alemão Max Schreck, cujo sobrenome significa “susto” em português.

Frankenstein (1931)

Por D’Artagnan Deliberto

Mudando de monstro mas sem abandonar o clássico, temos Frankenstein, outro personagem bem presente nas mídias e que surgiu no romance homônimo de 1818, escrito pela autora britânica Mary Shelley que tinha apenas 19 anos e foi considerada a primeira obra de ficção científica da história.

O romance chocou o mundo com seu Prometeu moderno, uma fábula sobre um cientista obcecado e sua criação que sofre humilhações por ser visto como infantil e rejeitado por todos.

Foi no filme de 1931 e estrelado por Boris Karloff que, na humilde opinião de fã, definiu o visual do monstro de uma vez por todas. Cabeça chata, plugues no pescoço, pálpebras caídas, mãos alongadas e o corpo cheio das cicatrizes, além de roupas esfarrapadas.

Brinquedo Assassino (1989)

Por André “Brasuka”

“Damballa!!! Me dê o poder!!!”, esbraveja um assassino serial que, em plena perseguição pela polícia, leva um tiro, adentra uma fábrica de brinquedos e faz um vudu para transferir sua alma para um boneco – simples assim, mas o suficiente para me fazer dormir com as luzes acesas por vários dias!

Me pergunto o que leva Hollywood a ter tanta sede em buscar brinquedos amaldiçoados que ganham vida e tocam o terror por onde passam – Annabelle, por exemplo, é da mesma escola de sustos da qual Chucky é professor.

Clássico do terror oitentista, Brinquedo Assassino (Child’s Play, 1989) marcou uma geração que, no Brasil, ouviu as mais loucas teorias sobre bonecas da Xuxa que ganhavam vida a meia-noite quando tocavam os discos da cantora/apresentadora de trás para frente e ouviam suas mensagens subliminares.

Ou ainda, o personagem Fofão (da Turma do Balão Mágico) que, segundo alguns, possuía uma adaga maldita escondida dentro do pescoço para fins de  utilização em rituais de magia negra.

Chucky surgiu no final da década de 80 e desde então inferniza a vida de muitos cidadãos “de bem” em sua longa trajetória de filmes e um remake – aliás, logo estreará também uma série pelo canal Star+.

Resistindo ao tempo, Brinquedo Assassino consegue apavorar até aos dias de hoje – seja com terror slasher, seja com pitadas de humor negro doentio. Afinal, o conceito de um brinquedo inocente possuído por forças demoníacas mexe com o imaginário de muitas pessoas, fazendo-os estremecer de medo só de imaginar.

Uma Noite Alucinante 2 (1987)

Por André “Brasuka”

Sim, mais um clássico oitentista, dessa vez dirigido por Sam Raimi (o mesmo que, anos depois, desenvolveria a trilogia Homem-Aranha). Uma noite Alucinante 2 – Evil Dead, como ficou conhecido no Brasil, pode ser visto tanto como um remake quanto uma sequência do primeiro filme.

A película começa com uma narração em off que apresenta o Necronomicon ou simplesmente Livro dos Mortos que “…serviu como passagem para o mal do outro mundo. Foi escrito há muito tempo, quando os mares encheram-se de sangue. E foi com esse sangue que o livro foi escrito. No ano 1.300 a.C. o livro desapareceu.”

Pula para um fim de semana qualquer, onde o atrapalhado herói Ash Williams e a sua namorada viajam para curtir a natureza numa cabana em meio a uma densa floresta, com muito amor, sexo e gore – inadvertidamente, o casal vai parar no território do coisa ruim, que foi liberado após os antigos moradores pronunciarem as palavras nefastas do ritual macabro.

Numa das cenas mais grotescas e bem “humoradas” do filme (que prima tanto pelo terror quanto pelo humor negro em situações bastante desconfortáveis) nosso protagonista surta e tenta aniquilar a própria mão que, possuída, é decepada por Ash.

Em Uma  Noite Alucinante 2 – Evil Dead o espectador adentra por um universo repleto de demônios, possessões, tripas, cabeças, braços e pernas voando pelos ares, graças à motosserra implantada no braço do herói. O filme fez tanto sucesso que rendeu uma trilogia, um remake, quadrinhos, action figures e uma série de televisão, Ash vs Evil Dead, que continua a saga do protagonista em três temporadas disponíveis no Netflix.

E ainda rendeu fama e popularidade a Bruce Campbell, que fez participações especiais nos filmes de Sam Raimi, dentre eles, do nosso querido teioso amigão da vizinhança.

Uma Noite Alucinante 2 – Evil Dead pode ser uma produção B com várias situações ridículas, porém, para à época muitos se assustaram o suficiente para ficar dias (e noites) sem dormir. Vá de retro, coisa ruim!

Espelhos do Medo (2008)

Por Yuri Mazzetti

O terror não é o gênero de cinema que mais atrai o escritor desse texto, porém, às vezes, existem surpresas ou mesmo algo que atraia sua atenção. No caso de Espelhos do Medo, o que trouxe esse espectador aqui para frente da televisão foi o ator Kiefer Sutherland, famoso pela série policial 24 Horas.

O filme protagonizado pelo ator segue a vida de Ben Carson, um policial que amarga o alcoolismo após atirar em um colega que estava disfarçado. Visando retomar seu antigo cargo e se reaproximar de sua família, ele aceita um emprego de vigilante noturno das ruínas de uma loja de departamentos, onde nota estranhos acontecimentos.

Particularmente, esse foi um filme que apesar do tema, me animou pelo tom investigativo, afinal, aproveitaram o nome do ator e sua ligação com uma série voltada à ação. Nessa levada, a produção ganha pessoas que normalmente não assistiriam algo voltado para o terror.

Segundo ponto é o elemento usado como base para a trama. Existem espelhos em todos os lugares, com diversas formas e utilizações, logo fica quase impossível de fugir do mal que assombra o personagem, mas às vezes o reflexo na água também se torna o meio para o “vilão” propagar seus atos, o que talvez seja inteligente, mas acho que o foco deveria ser sempre o que dá título ao filme.

Existe uma cena que causou calafrios ao ser assistida, que acontece durante um banho na banheira de uma das personagens, onde seu reflexo no espelho induz a se matar de uma maneira bizarra. Temos um pouco dessa passagem no trailer. No geral é um filme divertido, com momentos de investigação que acrescentam bastante na trama e com um final que causa um bom impacto.

Outros filmes – Bônus

Por Alexandre Baptista

Freddy Krueger, o vilão de A Hora do Pesadelo e sua franquia: emblemático.

O terror no cinema é algo tão prolífico que gerou não somente filmes e franquias milionárias como subcategorias e subgêneros. Para nossa lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror escolhemos apenas alguns dos filmes mais emblemáticos ou queridos pessoalmente para nossos editores… mas é óbvio que muita coisa excelente ficou de fora.

Não poderíamos deixar de mencionar a franquia Sexta-feira 13 (Friday the 13th), iniciada em 1980 e que até hoje gera continuações, derivados, spin-offs e afins, com o icônico Jason Vorhees aterrorizando viajantes (sejam em um camping ou no espaço).

Outra saga que acaba de ganhar mais um capítulo é Halloween – A Noite do Terror (1978) com a mais recente personificação de Michael Myers perseguindo Laurie Strode (Jamie Lee Curtis) com Halloween Kills: O Terror Continua (2021);

Também passando por todos os estágios, do terror tradicional e gore, ao terrir e kitsch, chegando finalmente no reboot sério está o “idolatrado” mestre dos sonhos ruins, Freddie Krueger e A Hora do Pesadelo (Nightmare on Elm Street, 1984) – mais um de Wes Craven.

Imaginar que somente o rosto de Freddie já dava calafrios nos jovens dos anos oitenta parece inimaginável hoje… mas juro que é verdade!

Isso sem falar em Poltergeist – O Fenômeno (1982), que conta com uma lenda própria dos acidentes de filmagens inexplicáveis… o longa tinha roteiro de Steven Spielberg e foi dirigido por Tobe Hooper – outro mestre do terror que também assina a direção de O Massacre da Serra-Elétrica (1974) que gerou uma grande franquia com direito a remake.

Hellraiser – Renascido do Inferno (1987) com seu temível Pinhead; Fome Animal (1992), clássico trash dirigido por ninguém menos que Peter Jackson da saga O Senhor dos Aneis; qualquer um dos clássicos de José Mojica Marins estrelando o personagem Zé do Caixão como À meia-noite levarei sua alma (1964) e Esta noite encarnarei no teu cadáver (1967)…

Mesmo essa mini lista bônus é difícil de ser encerrada… e citar O Bebê de Rosemary (1968), Invasores de Corpos (1978), os recentes da franquia Invocação do Mal (2013) e A Bruxa de Blair (1999), por exemplo, apenas arranha a superfície do universo do terror nos cinemas.

Quem sabe futuramente os filmes de terror não ganham uma lista só pra eles aqui no site?

Séries de Terror

Them (2021)

Por Lucas Souza

Criada por Little Martin e produzida por Lena Waithe, Them choca com suas cenas de violência. A trama acompanha a família Emory que se muda para uma vizinhança branca em Los Angeles após sofrer um grande trauma e ver seu patriarca, Henry Emory, conquistar uma nova oportunidade de emprego.

A família logo percebe que está com problemas por conta de seus vizinhos racistas e um mal antigo que habita a casa dos sonhos nas quais eles estão morando. Todos os 10 episódios se passam em um espaço de 10 dias e a série é ambientada nos anos 50.

O trabalho de Little Martin e Lena Waithe divide as opiniões da crítica por conta do alto teor de violência gráfica que é apresentado. O espectador que se aventurar vai passar por muitos momentos de desconforto extremo, seja por conta de violências com motivações racistas (que chocam e revoltam), seja por conta de cenas onde o sobrenatural assume motivações bem humanas e se misturam com o aspecto psicológico dos protagonistas.

A realidade é que Them aborda temas sociais relevantes e o faz de uma forma chocante e brutal. Vemos a família Emory e seus integrantes (marido, esposa e duas filhas) serem submetidos ao racismo em todos os ambientes em que trafegam: trabalho, escola, vizinhança. Ao mesmo tempo, vemos o sobrenatural tomando forma e deixando a família ainda mais desestabilizada.

O 5º episódio da série mostra o trauma sofrido pela família e foi aqui que muitos espectadores desistiram de seguir assistindo a série. A brutalidade da cena nos faz querer dar uma pausa e maratonar o título se torna impossível depois desse ponto. A sensação é que não há lugar seguro para os Emory.

Them levanta debates muito relevantes, mas o mais impressionante para mim é como a série nos faz terminar tendo mais medo das pessoas do que dos demônios e assombrações que povoam seus episódios.

Missa da Meia Noite (2021)

Por André “Brasuka”

Série da Netflix criada por Mike Flanagan (Doutor Sono e A Maldição da Residência Hill), Missa da Meia-Noite utiliza sutilmente o terror como elemento narrativo para contar a história de uma comunidade isolada do mundo, mais precisamente uma ilha decadente com uma população que vive o cotidiano e a mesmice de uma vida de trabalho e fé, sem grandes expectativas.

Porém, com a chegada do Padre Paul Hill (Hamish Linklater), tudo começa a mudar por meio de acontecimentos aparentemente milagrosos – o próprio sacerdote é envolto em mistérios, devido a situações bizarras que envolvem o desaparecimento de pessoas e a morte de vários animais no instante em que ele chega à ilha Crockett.

A série é deveras importante para os dias atuais por abordar questões relevantes como fanatismo religioso, falsa moralidade, hipocrisia, opressão, maniqueísmo, existencialismo e demais reflexões vividas na efemeridade da vida moderna.

O lado maléfico dos seres humanos é apresentado como um horror maior do que qualquer monstro ou ser diabólico das trevas. E não se iludam, o terror está presente na série e serve para guiar todos os tipos de mazelas realizadas em nome da fé.

A cegueira espiritual é tamanha que os personagens acabam interpretando o mal como bem, numa subversão de valores que causa desconforto até mesmo ao mais cético dos homens – uma série muito instigante e recomendada para maratonar.

Supernatural (2005)

Por Bruno Senna

Carry on my wayard sooooon…

Poucas coisas são tão icônicas na TV quanto a abertura de Supernatural. Há quem diga que a série se perdeu depois de 5 ou 6 temporadas, mas para a série alcançar 13 temporadas, com certeza tem muita coisa boa por ali.

Se você curte o clima de caso da semana, com criaturas sobrenaturais e contos mais focados no terror, as 4 primeiras temporadas são um prato cheio. E se você gostar dos personagens, tenho certeza que a jornada até o fim não vai ser nenhum sacrifício.

Dean, Sam e seu Impala negro fazem parte da cultura pop, e uma série que apresenta Jeffrey Dean Morgan para o público geral não pode ser esquecida, nunca.

*Nota do Editor (Diego Brisse): Se você nunca assistiu, experimente assistir somente até a 4ª temporada, no máximo até a 5ª e ignore o que foi feito depois! 

Monstro do Pântano (2019)

Por Alexandre Baptista

Arte de divulgação de Monstro do Pântano dá o clima desta ótima série.

A série que adapta o personagem de terror da DC Comics para a telinha estreou em 2019 no falecido DC Universe – agora HBO Max. A série foca em Abby Arcane e Alec Holland e um clima que lembra em muito os bons momentos das HQs nas mãos de Alan Moore.

Swamp Thing teve uma ótima recepção do público e da crítica, especialmente por mostrar um lado menos “novelinha” das séries da DC Comics, embarcando num gênero pouco explorado nas produções baseados em seus quadrinhos. Está na lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e HQs de Terror justamente por ser tão corajosa e fiel ao clima assustador que o personagem merece.

Produzida por James Wan, infelizmente foi má administrada financeiramente e um equívoco no cálculo de impostos da produção tornou-a impraticável, sendo cancelada apesar do sucesso.

American Horror Story (2011)

Por Bruno Senna

E se você fosse um produtor de TV apaixonado por terror e tivesse a oportunidade de criar histórias de vários subgêneros para uma série de antologia?

Ryan Murphy tinha acabado de fazer sucesso pelo sucesso adolescente Glee, e recebeu a oportunidade de criar o projeto American Horror Story.

AHS como é conhecida, é uma antologia de terror que começou bem promissora, lidando com o macabro e o sobrenatural, mas no decorrer das temporadas já rodou quase tudo que o gênero de terror permite, como bruxas, aliens, gore, deformidades, e até mesmo espíritos e paganismo.

Se você é fã de terror, com certeza tem pelo menos uma temporada com a sua temática favorita.

Truth Seekers (2020)

Por Alexandre Baptista

Caça-fantasmas britânicos – assustador e envolventeArte de divulgação de Monstro do Pântano dá o clima desta ótima série.

Truth Seekers é uma série tragicômica com casos sobrenaturais, criada por Simon Pegg e Nick Frost. Quem já conhece a dupla, da trilogia cornetto dirigida por Edgar Wright, talvez estranhe que eles estejam em uma lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e Hqs de Terror. No entanto, o tom de Truth Seekers difere em muito, até mesmo de Todo Mundo Quase Morto (Shaun of the Dead, 2004) que flerta com o terror e a comédia.

Na série, acompanhamos o instalador de internet Gus – um aficcionado por casos paranormais. Usando o horário de expediente para “caçar fantasmas”, Gus se vê em situações assustadoras e misteriosas… Tudo fica ainda mais envolvente com a chegada de novos “ajudantes” que embarcam nas aventuras de Gus. Disponível no Prime Video da Amazon, infelizmente a série teve um final abrupto ainda na primeira temporada sem maiores explicações.

The Walking Dead (2010)

Por Alexandre Baptista

A série se torna irregular com o passar do tempo… mas a primeira temporada de The Walking Dead é terror de primeira!

A série baseada nos quadrinhos de Robert Kirkman e Charlie Adlard gera controvérsias quando listada como uma série de terror. Muito porque o criador dos zumbis como os conhecemos hoje, George A. Romero declarou que The Walking Dead não era nada mais que uma novela com zumbis.

No entanto, embora a longevidade e a quantidade de episódios por temporada tenha feito a qualidade da série oscilar, a primeira temporada, que teve não mais que seis episódios, ao lado da segunda temporada, garantiram aos espectadores a sua boa dose de gore, apreensão e tensão.

A série se tornou um sucesso imediato e não podia deixar de figurar na lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e Hqs de Terror. A história do policial que é baleado durante uma batida e acorda meses depois em um hospital abandonado no meio do apocalipse zumbi é uma premissa que lembra muito o começo de Extermínio (2002), mas as semelhanças param por aí. Se você nunca conferiu a série, veja pelo menos a primeira temporada.

Vale muito a pena.

Contos da Cripta (1989)

Por Alexandre Baptista

O guardião da cripta, o melhor host de todos!

Tales from the Crypt foi uma série incrível e absolutamente imprescindível nesta lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e Hqs de Terror. Desenvolvida pela HBO, ela foi transmitida de 1989 a 1996 com 93 episódios, adaptando muitas das histórias publicadas na revista homônima da EC Comics.

Apresentada pelo guardião da cripta, que por si só já era divertido e ao mesmo tempo assustador naquela época, o verdadeiro terror vinha do conteúdo das hitórias e dos finais surpreendentes que geralmente coroavam cada história.

A série teve tanto sucesso que em 1993 foi criada uma versão mais amena e voltada ao público infantil da série, realizada em animação.

Além da Imaginação (1959) e (2019)

Por Alexandre Baptista

Rod Serling: criador e narrador da série clássica.

A série Além da Imaginação (The Twilight Zone) é o “Doctor Who” das séries de mistério, terror e ficção científica “raiz”. Com diversas versões além da clássica dos anos cinquenta – incluindo um longa metragem episódico produzido em 1983 por Steven Spielberg – todas elas contam coma mesma estrutura: um narrador que apresenta o mote da história, o episódio em si, que sempre tem uma surpresa em seu final ou um reviravolta inesperada e uma “lição de moral”, nem sempre otimista.

Episódios famosos da série já foram homenageados em outros filmes, séries, animações, músicas e inclusive inspirando uma atração no parque Hollywood Studios da Disney World – a Tower of Terror.

Em 2019 o reboot criado e narrado por Jordan Peele, entre outros, estreou no Prime Video da Amazon, seguindo já com 20 episódios que atualizam os temas da série – fake news, racismo, imigrantes ilegais etc. –, ao mesmo tempo em que matém o espírito da série original intacto. Não poderia falta na nossa lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e Hqs de Terror.

Games de Terror

Last Half of Darkness (1989)

Por Alexandre Baptista

O princípio dos games de computador conseguia ser assustador sem grandes gráficos.

Last Half of Darkness é um jogo dos primórdios da computação pessoal, de 1989. Para um garoto de 10 anos, era algum simplesmente assustador.

Talvez por sua trilha sonora de 8 bits ou suas cores em VGA, fato é que Last Half, desenvolvido pelo SoftLab, era um point and click viciante… e com sustos imprevisíveis a cada clique.

É possível ver um gameplay do jogo aqui.

Sem nenhum motivo, o jogador é apresentado a uma casa com luzes acesas no ático e a opções de próximas ações. Realmente imprescindível em nossa lista de Filmes, Séries, Games, Mangás e Hqs de Terror, pois foi um dos precursores dos grandes jogos que temos atualmente.

Dead Island (2011)

Por Lucas Souza

Belos cenários paradisíacos são infestados por perigosos zumbis nesse jogo de mundo aberto

A ida de uma família a uma ilha paradisíaca se torna um verdadeiro inferno neste jogo de 2011. Dead Island usa recursos de jogo de mundo aberto em primeira pessoa para deixar o jogador “zanzando” em uma linda ilha que está completamente infestada de zumbis. Prepare-se para sustos que aparecem de todos os lados. Você precisa derrotar os mortos-vivos com o que estiver ao seu alcance: paus, bastões, fogo e armas. Tipo de jogo que é um teste de nervos!

A história em si não é surpreendente nem original, mas a jogabilidade e a propostas surpreenderam na época do lançamento e esse título foi jogado por muitos fãs, o que acabou gerando continuações que já não possuem o mesmo brilho – talvez pela perda do fator novidade…

De qualquer forma, um ótimo título para os fãs de terror e zumbis!

Resident Evil (franquia)

Por Bruno Senna

Uma das series de games mais importantes da história, e consequentemente um marco para o gênero de survival horror, Resident Evil mudou completamente a forma como os fãs de terror jogam videogame.

Quem não lembra daqueles momentos assustadores como os cachorros quebrando as vidraças da mansão, ou o Nemesis saltando por uma janela do R.P.D? Isso sem falar em Resident Evil 4, que criou a formula perfeita para os  jogos de ação em terceira pessoa, servindo de inspiração para games como Gears of War e muitos outros.

A força da franquia é tão grande, que os jogos se tornaram apenas uma das variadas mídias que Resident Evil faz parte, estando presente em livros, que são novelizações dos jogos e fazem um trabalho incrível para os fãs dos games, além de trazerem algumas histórias inéditas.

Também estão nos filmes, com uma franquia bilionária nos cinemas, e que apesar dos pesares tem seus apreciadores, e temos um reboot promissor a caminho. E claro, mangás e quadrinhos que contam histórias paralelas, spin-offs, e até algumas coisas canônicas bem interessantes.

Resident Evil mostra que para criar algo novo as vezes você não precisa apenas de boas ideia, mas boas referências e inspirações, e com certeza não poderia ficar de fora da nossa lista de Filmes, Séries, HQs e Mangás de Terror.

Dead Space

Por Bruno Senna

Se Alien (1978) mudou a forma como vemos terror espacial nos cinemas, Dead Space pega essa fórmula, e transforma em uma trama solitária e aterrorizante dentro dos games de maneira nunca antes vista. Composto por uma trilogia que vai aos poucos deixando o terror de  lado em prol da ação, ao menos os dois primeiros jogos entregam um Survival Horror impecável.

A trama da trilogia se passa em torno de Isaac Clark, um engenheiro de sistemas de naves que estava em uma missão de reparo da USG Ishimura, e chegando lá só encontra mortes, e umas criaturas chamadas Necromorphs, uma espécie de zumbis espaciais disfórmicos e completamente agressivos.

O final do primeiro jogo é de explodir cabeças, e mexe completamente com o psicológico do protagonista. Recomendo demais para os fãs de terror, principalmente de terror espacial!

Silent Hill

Por Bruno Senna

Se Resident Evil mudou o jogo (ba dum tss) em 1996, e definiu a fórmula do gênero Survival Horror, Silent Hill pegou tudo isso e levou ao extremo!

Os 4 primeiros jogos fazem parte de uma antologia de terror, apesar de haver ligação entre o primeiro e o terceiro. E ao invés dos clássicos trash Romerianos, Silent Hill faz questão de partir pro terror psicológico e sobrenatural, onde criaturas disformicas e completamente grotescas, em conjunto com aquela atmosfera de neblina/fumaça colocam o jogador em lugares inesperados, e quase sempre indefesos.

Assim como Resident Evil, Silent Hill ultrapassou a barreira dos videogames, e chegou aos cinemas em 2 filmes. O primeiro é um filme de terror excelente, e mesmo misturando um pouco as tramas dos dois primeiros jogos, inclusive utilizando o Piramid Head fora do contexto apresentado nos jogos, a trama é muito boa, e faz uma excelente adaptação da cidade, do tom, e da história da menina Alessa Gillespie. Uma pena que não pode se dizer o mesmo do segundo filme, que ao menos é coerente em matar o personagem do Sean Bean.

Amnesia – The Dark Descent

Por João Pedro Maia

Um jogo do tipo survival horror lançado em 2011 para PCs, em 2016 para PS4 e 2018 para Xbox One. Você assume o comando de Daniel, um homem sem memória que acorda no misterioso castelo de Brennenburg. Ainda que o jogo tenha uma estética um pouco mais retrô, não se deixe enganar, esse não é um jogo para os fracos de coração.

Enquanto explora o castelo e vai aos poucos reconstruindo a história do protagonista, o jogador precisa prestar atenção em cada detalhe para reunir pistas, chaves e combustível para sua luminária.

Além disso, o jogador precisa se preocupar com diversos monstros espalhados pelo castelo contra os quais Daniel não tem condições de lutar.

Outra mecânica que afeta a jogabilidade é a “sanidade” do personagem que diminui quando ele passa muito tempo no escuro ou olha demais para os monstros. Baixa sanidade resulta em queda de mobilidade e alucinações.

A escassez de itens, a presença dos monstros, a batalha pela sanidade e também o jogo altamente focado em mecânicas que exigem atenção, jogando com os sons criam uma atmosfera opressora que pode fazer até mesmo um jogador experiente questionar a própria sanidade.

O jogo foi um sucesso e recebeu duas “continuações”: Amnesia: A Machine for Pigs em 2013 e Amnésia: Rebirth em 2020.

Outlast

Por João Pedro Maia

Lançado para PC, PS4 e Xbox One, em Outlast você assume o comando de um jornalista investigativo chamado Miles Upshur. Miles recebe uma dica para investigar um sanatório onde experimentos antiéticos estariam acontecendo, porém, ao chegar ao local, os detentos, chamados variantes, tomaram conta do local.

Assim como em Amnesia, aqui o foco não é no combate. Miles não consegue enfrentar as variantes, precisando percorrer os corredores utilizando técnicas de stealth. Para auxiliar em sua visão, o jogador conta apenas com uma câmera equipada com visão noturna, cujas baterias se esgotam aos poucos e você precisa encontrar novas.

Enquanto explora o hospital, o jogador aprende mais sobre os experimentos realizados e como eles transformaram os pacientes nas variantes. A tensão de se esgueirar pelos corredores, além de precisar confiar principalmente em sua audição para poder identificar as ameaças deixa o clima incrivelmente tenso, além das criaturas bizarras presentes no jogo que, a cada vez que te perseguem, te deixam ainda mais alerta e incomodado.

Dead by Daylight

Por João Pedro Maia

Lançado em 2016 para PC e 2017 para PS4 e Xbox One, Dead by Daylight coloca um twist macabro no inocente jogo de esconde-esconde. O jogo utiliza mecânicas de quatro contra um, onde um assassino persegue quatro vítimas por um dos cenários do jogo, com a intenção de sacrificá-las para uma força maligna.

Jogar como assassino é relativamente fácil, precisando procurar as vítimas principalmente próximas aos geradores que precisam ser ligados para que eles possam escapar. As vítimas são derrubadas com dois golpes e podem ser penduradas em ganchos como sacrifício, de onde podem ser resgatadas pelos outros jogadores.

Como vítimas, a única chance de escapar é ligar os geradores para abrir as portas, porém, se errar os botões eles explodem, revelando sua localização. Cada personagem tem uma habilidade especial que pode contribuir com a jogabilidade, além de uma lanterna que pode cegar brevemente o assassino.

Se num jogo de pique-esconde já há uma tensão, imagine fazer isso correndo de um assassino. Além disso, a única forma de fugir é correr e se esconder, aumentando a pressão do jogo.

Dead by Daylight conta com personagens originais, mas também há uma enorme quantidade de pacotes que adicionam personagens de franquias famosas como Silent Hill, Stranger Things, Resident Evil e Hora do Pesadelo.

Dead Rising

Por David Horeglad

Quando um filme de terror traz uma nova ideia que faz sucesso, normalmente brotam produções semelhantes, algumas pendendo para um lado mais cômico e descompromissado. A impressão que nos dá é a de que foi mais ou menos isso que aconteceu com Dead Rising.

Dez anos após o lançamento do primeiro Resident Evil (1996), surge um game com uma proposta mais maluca e bem humorada de jogos de zumbi nos videogames da 7ª geração.

Na história, o jogador assume o controle de Frank West, fotojornalista que fica isolado em um shopping em Willamette, Colorado, e busca investigar o motivo do surto de zumbis que ocorre na região. Ao mesmo tempo, ele precisa sobreviver e salvar outras pessoas. Além da liberdade de ir e vir pelo shopping, um marco do jogo foi poder pegar qualquer item para usar como arma.

A franquia seguiu com Dead Rising 2 (2010), ainda na 7ª geração, e Dead Rising 3 (2013) e Dead Rising 4 (2016), já para o X-Box One e Playstation 4.

Este último, vale destacar, com ótimos gráficos, traz West novamente ao shopping de Willamette. Desta vez, com toda a cidade a sua volta aberta e com milhares de zumbis. Chega a parecer uma espécie de GTA de terror, se distanciando dos ambientes mais fechados e claustrofóbicos de Resident Evil.

Dead Rising foi desenvolvido pela Capcon, criado pelo japonês Keiji Inafune, e já conta até com o longa-metragem Dead Rising: Watchtower, de 2015.

Temos terror na Ultimato do Bacon Editora?

O Vampiro - Mangás e HQs de Terror

O gênero terror é extremamente popular no Brasil (você deve ter visto diversas obras nacionais na nossa lista) e não poderia ser diferente na UB Editora.

Até o momento temos 2 obras de terror lançadas, ambas dentro da coleção Escafandro que traz bimestralmente HQs com histórias fechadas de grandes roteiristas nacionais e sobre as mais diferentes temáticas.

O Vampiro é a adaptação de Laudo Ferreira para o primeiro livro de vampiros que foi escrito por John William Polidori.

Marcel Bartholo nos traz uma adaptação de um conto de terror do bruxo do Cosme Velho, Machado de Assis. A obra se chama A Vida Eterna e mostra uma situação muito estranha envolvendo casamentos, cultos e rituais que acontecem com o protagonista Camilo D’Anunciação.

Se interessou?

Saiba mais sobre a Ultimato do Bacon Editora aqui e adquira seus exemplares.


Créditos:
Texto: Equipe
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse e Alexandre Baptista

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB! 


Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Quero participar

Notícias relacionadas

Nós usamos cookies para garantir que sua experiência em nosso site seja a melhor possível. Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa política de privacidade.

OKPolítica de privacidade