Um dos grupos jovens mais amados pelos fãs da DC Comics está de volta ao Brasil! Justiça Jovem de Bendis reúne novamente os famosos Robin (Tim Drake), Impulso, Superboy (Conner Kent) e Moça-Maravilha em uma trama leve e repleta de nostalgia e de novos personagens marcantes.

A série “Young Justice” teve 19 edições sob o comando do premiado autor e chegou ao Brasil em “Justiça Jovem” #1 (2020) em formato encadernado e capa cartã reunindo as seis primeiras edições da HQ original.

.

 Justiça Jovem de Bendis

Bart Allen é o personagem que mais vibra com o retorno da equipe que conta com reforços na HQ Justiça Jovem de Bendis

.

Justiça Jovem de Bendis Vale a Pena?

.
Os fãs de Michael Brian Bendis que gostaram do trabalho do autor em Naomi vão perceber que Justiça Jovem possui a mesma pegada leve e descontraída. A diferença é que aqui o autor promove o retorno de personagens famosos que não se viam (e muitos nem estavam aparecendo no Universo DC) há muito tempo!

A trama começa em Metrópolis e rapidamente envolve uma lanterna verde mirim (a origem dela é muito bem pensada!), uma descendente de Jonah Hex e os icônicos Robin, Moça Maravilha e Impulso. O retorno desses personagens e da equipe ao Universo DC é um dos mistérios centrais de Justiça Jovem de Bendis.

.

 Justiça Jovem de Bendis

Justiça Jovem de Bendis traz o aguardado retorno do Superboy Conner Kent

.
Não espere uma trama “pé no chão” da Justiça Jovem. A primeira edição da HQ deixa bem claro que a ideia é misturar fantasia e magia no retorno dessas super equipe! A trama inicial mostra que as constantes crises do Universo DC perturbaram a vida e o equilíbrio do Mundo das Jóias – que agora quer guerra contra o maior herói da Terra, o Superman. O problema é que os tais enviados surgem em Metrópolis justamente quando Robin, Jinny Hex e a Moça Maravilha estão por lá. A luta logo vira um farol e atrai Impulso. 

O combate se desenrola e logo vemos a vitoriosa equipe ser traga para o tal Mundo das Jóias. É nesse mundo que eles reencontram o Superboy e descobrem o que está acontecendo. O mistério se intensifica enquanto Robin e Moça Maravilha dão indícios de que a equipe foi apagada da mente dos heróis e do próprio mundo (um conceito muito similar ao que foi usado no retorno do Titãs “adultos” no final dos Novos 52). Esse mistério e uma viagem ao Multiverso são os grandes motores da HQ!

.

 Justiça Jovem de Bendis

Jinny Hex é uma ótima adição a equipe e rouba a cena em Justiça Jovem de Bendis

.
O ponto forte da HQ é, sem sombra de dúvida, a interação entre os heróis da equipe (sejam os antigos ou os novos). Se Bendis “patina” na hora de construir um vilão convincente (erro que ele já cometeu nas HQ´s do Superman), podemos dizer que ele mais do que se redime na construção dos novos heróis que coloca ao lado dos pilares da Justiça Jovem. Os diálogos, um dos pontos fortes do escritor, estão impecáveis e a emoção do reencontro vai trazer um sorriso ao rosto dos fãs da equipe.

Justiça Jovem de Bendis é um atestado da versatilidade do autor que ganhou fama ao trabalhar histórias mais urbanas da Marvel Comics e que agora está indo muito bem em HQ´s mais fantasiosas. Essa série, que infelizmente só possui 19 números, é praticamente obrigatória para os fãs dos heróis teens da DC Comics. 

Conheça mais sobre a DC Comics!

.

Compre Justiça Jovem de Bendis clicando nas capas abaixo!

.

Justiça Jovem de Bendis

 


Créditos:
Texto: Lucas Souza
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!


 

Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!