Por Lucas Souza

Venom talvez seja um dos personagens com a história mais confusa da indústria de Quadrinhos. O grande vilão do Homem-Aranha estreou em 1988 pela mãos do famoso Todd McFarlane. Na sua origem o vilão é o amargurado repórter Eddie Brock que se junta ao antigo uniforme simbionte de Peter Parker para dar origem a um ser que aterrorizou demais o herói (saiba mais do que achamos do personagem clicando aqui). O problema é que depois disso o personagem sofreu milhares de alterações e retcons: o simbionte já esteve em posse do escorpião, Eddie Brock já teve câncer, o simbionte foi para as mãos de Flash Tompson e virou uma espécie de herói e muitas outras mudanças. Por isso mesmo uma revista mensal focada em Venom não era motivo para muita animação – isso até a entrada de Donny Cates.

Donny Cates já é considerado por muitos um dos grandes autores em atividade na Marvel Comics. Ele recebeu a missão de assumir Venom no começo do “Fresh Start” da Casa das Ideias (saiba mais sobre como voltar ou como começar a ler Marvel aqui) e as duas primeiras edições do seu run chegaram às bancas brasileiras em maio na nova mensal “Venom” da Panini Comics.

 

Donny Cates explora o passado de Venom na mensal do personagem

 

Donny Cates mostra que entende bem da confusão que foi feita com o personagem ao longo dos anos e brinca com isso algumas vezes nas suas duas primeiras edições. O curioso é que ele mesmo está construindo um retcon através da inserção de uma antiga unidade de combate que já usava simbiontes muito antes do Homem-Aranha chegar com o parceiro de Eddie Brock na Terra. O novo e misterioso especialista em simbiontes levanta diversas perguntas acerca da origem dos aliens e mostra para Brock que ele não sabe absolutamente nada sobre o ser que o acompanha ha tantos anos. Essa sacada de Cates ganha a atenção do leitor porque ele consegue fazer perguntas óbvias que nós nem ao menos havíamos pensado em fazer.

 

Um Venom descontrolado é visto na HQ de Donny Cates para a Marvel Comics

 

O autor consegue fugir da armadilha de transformar Venom em um herói e retrata Eddie Brock como um atormentado que vive um verdadeiro inferno em vida. A relação de Brock com o simbionte é muito bem explorada e mostra inclusive o personagem se medicando para fazer com que a voz do seu “outro eu” desapareça. Cates mostra que o personagem está perdido e nem ele mesmo sabe o que o motiva a tomar determinadas ações. É nesse ponto que o autor aproveita para plantar a ameaça que deve ser explorada em seu evento de meio do ano “Absolute Carnage” (saiba mais clicando aqui) e mostra um Venom completamente descontrolado com Eddie e o simbionte falando em uma língua antiga e perdendo o controle de suas ações.

 

Um descontrolado Venom trucida um vilão na HQ de Donny Cates

 

“Venom” é uma HQ que se mostrou extremamente interessante nos seus dois primeiros números e surpreende pela criatividade de Donny Cates. O autor consegue nos deixar empolgados para ler um personagem que só teve boas histórias quando atrelado ao Homem-Aranha. Esperamos que Cates consiga manter o ritmo e entregar a melhor fase do Venom de todos os tempos! Vale a pena acompanhar.

Fique ligado no Ultimato do Bacon para mais notícias e reviews sobre HQ´s!

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon