Ultimato do Bacon

Thor Amor e Trovão (2022) – O Ultimato

Em 5 de Jul de 2022 6 minutos de leitura
Thor Amor e Trovão Capa

Longa dirigido por Taika Waititi estreia nesta quinta-feira, 07 de julho, nos cinemas

Índice

Thor Amor e Trovão – introdução

Thor Amor e Trovão é o longa metragem que todo fã de quadrinhos estava esperando.

Figurando o deus do (amor e) trovão como personagem principal, Thor Amor e Trovão adapta um dos arcos mais idolatrados pelos leitores da fase “recente” do herói nas mãos de Jason Aaron: Thor: o Carniceiro dos deuses, seguido por Bomba Divina e Deus do Trovão.

Como todo fã de Thor sabe, a Marvel tem tradição em fazer esse tipo de adaptação. De Guerra Civil a Thor Ragnarok e Planeta Hulk, a Marvel sabe ser fiel ao material de origem e deixar o fã das HQs contente e satisfeito. E este é mais um dos grandes exemplos de como a Marvel trata com respeito o material de origem… né?

Thor Amor e Trovão (3)

“Igual que nem nos quadrinhos”, só que não…

Thor Amor e Trovão – generalidades

Thor Amor e Trovão é um filme de Taika Waititi. Se você já ouviu falar de What we do in the shadows ou Jojo Rabbit, ou mesmo Thor Ragnarok e gosta deste estilo surtado, então embarque em mais um longa do cineasta e se divirta. Se você não tem ideia do que eu estou falando e quer ver o Thor dos quadrinhos no cinema, melhor assistir o primeiro filme e ficar por isso mesmo.

Thor Amor e Trovão é um clipe dos Guns’n’Roses da fase de ouro, de longa duração, em que o vocalista da banda, Axl Rose – agora um deus do trovão – aprende com Chuck Norris todos os seus segredos marciais e decide mostrar a Slash (Christian Bale) – numa versão visivelmente castigada pelo tempo, sofrimento, alopecia e uma necroespada mágica – quem é que manda na banda. Uma pena, porque os motivos de Slash são claramente justificáveis (e eu sempre preferi o guitarrista).

Thor Amor e Trovão (1)

Thor Axl Thunder bota pra quebrar ao som de Welcome to the jungle na cena de abertura do novo longa da Marvel.

Thor Amor e Trovão – afinal, quem é Thor?          

Pra quem não sabe quem é Thor, fizemos uma pequena lista com alguns feitos desse deus maravilhoso do rock e do trovão.

As lágrimas do Thor curam o câncer. É uma pena que ele não chore nunca.  

Thor não dorme. Ele espera.  

Se você pode ver Thor, ele pode ver você. Se não pode ver Thor, você pode estar perto da morte.  

Thor contou até o infinito. Duas vezes.  

Thor pediu um Big Mac no Bob’s. Ele foi atendido.  

Quando Deus disse “Que se faça a luz!”, Thor falou “Diga ‘por favor’.”  

Thor não lê livros, ele os encara até conseguir toda a informação que precisa.  

Thor só dorme de luz acesa. Não, Thor não tem medo do escuro, mas a recíproca não é verdadeira.  

Chuck Norris, por um tempo, teve uma lista como esta. Mas isso foi só até ter um filho chamado Thor.

Jean-Claude van Damme está processando Taika Waititi por causa  de uma das cenas do filme. Segundo Thor, isso é o boato.

Thor Amor e Trovão – trama

Na trama de Thor Amor e Trovão, o deus metal do rock’n’roll do trovão está triste, entediado e em meditação. Porém, o crescente número de chamados de socorro forçam os Guardiões da Galáxia a se separarem da beldade loira de Asgard, que ruma para auxiliar Lady Sif e descobrir a existência do Carniceiro dos Deuses, que vem matando deidades. Ah, sim, tem uma cena que mostra a origem de Gorr, uma cena triste e séria, então é melhor nem falar dela aqui.

Na caçada a Gorr, Thor acaba chegando à Eurodisney ao parque de diversões de Nova Asgard, onde os ataques do Carniceiro espantam turistas mas são enfrentados por Valkíria e a Poderosa Thor – tem uma cena que mostra Jane Fonda Jodie Foster (piadas do filme, não minhas) ativando os fragmentos do Mjolnir, após a quimioterapia (sim o mote da Jane estar com um câncer incurável também é sério e triste, então vamos ignorar).

Crianças são raptadas e com isso o trio decide lutar junto para derrotar Gorr. O roteiro é um fiapo, mas as piadas estão lá, do jeito que todo mundo gosta – menos os leitores de Thor – e as referências são inúmeras a filmes dos anos 80, piadas com o “jeito Disney” e músicas do Guns a cada trinta segundos.

Eu sempre achei que uma música do Guns bem colocada salvasse qualquer festa… mas foi a primeira vez que vi um filme todo se apoiar inteira e totalmente na trilha sonora, a ponto de um personagem, que tem alguns posteres da banda em seu quarto, mudar de nome para homenagear o vocalista e pedir para ser chamado de Axl.

Waititi deve ser um fã extremamente apaixonado ou; estar pagando alguma aposta ou;  ser amigo pessoal do músico. Seja como for, funciona. Mas só se você estiver no espírito deslumbrante do power metal dos anos 90…

Thor Amor e Trovão (2)

Do you know where the f*ck you are? You’re in the jungle baby… time to die!!!

Thor Amor e Trovão – elenco e outra bobagens irrelevantes

Vamos ressaltar logo de cara: em Thor Amor e Trovão Christian Bale brilha como ninguém. Numa atuação que vai de Psicopata Americano e O Operário a “Bruce Wayne é o caralho, meu nome é Voldemort da Marvel porra!”, o ator esbanja técnica e desenvoltura, e a maquiagem e computação gráfica fazem o resto.

Thor Amor e Trovão (1)

Lorde Voldemort em cena de Thor Amor e Trovão: “Harry Potter, o garoto que sobreviveu, veio pra morrer! Avada Kedavra”.

Outro destaque sensacional é Russell Gordo, digo Crowe (será que ela tá gordo digitalmente ou fisicamente mesmo? Jane Foster, não questionei seus músculos tá?) no papel de Zeus. O cara muda até o tom de voz e o jeito de falar! Impressionante. Certamente, se seguir nessa carreira, deve fazer sucesso. Isso é dom, pode apostar. Impressionante mesmo. [Este parágrafo contém ironia].

O resto é resto e tudo certo. Mais do mesmo, papeis confortáveis e a coisa toda. Tessa Thompson é excelente atriz, mas não estamos falando de Westworld; Natalie Portman mandou muito bem em Cisne Negro e O Profissional e diversos outros filmes… Closer! Adoro ela em Closer. E Chris Hemsworth faz o que sabe.

Sem brilhantismo, tudo muito higiênico e dentro do esperado. Taika Waititi, esse sim é brilhante, mas dentro de um filme Disney, há somente um certo tanto que se pode alcançar e esse tanto é colocar os bodes gigantes da mitologia nórdica como alívio cômico ou ainda, talvez não intencionalmente, dar uma de Pink Floyd em The Wall e fazer Thor conclamar as crianças numa revolta contra o professor – obviamente numa versão anabolizada da coisa.

Minha filha de 3 anos vai achar superdivertido quando chegar ao Disney+. Arnold Swarzennegger está processando Waititi por plágio a Um Tira no Jardim da Infância por causa dessa cena; Roger Waters também. Thor disse que é boato.

Thor Amor e Trovão (2)

Não perca o Barco Viking, novidade no Playcenter, agora puxado por bodes mitológicos!

Visualmente, Waititi segue a escolha certeira do longa anterior: cores e visuais kirbyanos em tudo o que for possível. Magnífico.

A trilha de Michael Giacchino é, como sempre, ok. Sem sal, mas também sem fortes temperos que a destaquem negativamente.

E, por incrível que pareça, depois de um filme inteiro só com músicas do Guns, terminar a película com Rainbow in the dark do Dio é maravilhoso. Até porque, foi o que Jane Foster, a Poderosa Thor, prometeu.

Thor Amor e Trovão – conclusão

Thor Amor e Trovão definitivamente é um dos melhores do MCU – ou UCM se você faz questão. Eu prefiro MCU por conta do trocadilho de quarta série que dá pra fazer… mas deixa quieto.

E digo isso porque, justamente, é um daqueles filmes que destoa do universo compartilhado, não liga pra ele, cumpre o que precisa burocraticamente e liga o f*d’-se pra coerência.

Infelizmente, Thor Amor e Trovão vai ser elogiado pelo quanto ele é “engraçado” e não pelo quanto ele c@ga pros fãs de super-heróis, pro MCU, pra Marvel, pro Thor, pra Disney… dentro de um filme da Marvel Disney. Taika Waititi faz dinheiro dando aquela c@gada no prato que está comendo. Iconoclasta. Irreverente. Desrespeitoso. Um legado que vai ecoar sobre a figura do personagem por anos, como o Batman dos anos 60 fez na concorrente.

Thor Amor e Trovão é quase escatológico e termina propositalmente na escolha “do amor”, num aceno à patroa Disney. Genial.

No fim das contas, a fatura fecha. A popularidade do personagem certamente irá a alturas ainda maiores e os valores arrecadados certamente seguirão. Então, não há do que reclamar.

Talvez Thor Amor e Trovão não seja pra você, fã de quadrinhos de super-heróis ou fã de universos compartilhados pretensiosos e coesos. Talvez Thor Amor e Trovão também não seja pra você, fã da fórmula Marvel, de comédia fácil e rápida, gags e caretas e uma história irrelevante.

Talvez o filme seja extremamente ruim… e por isso mesmo seja tão bom. Só espero, sinceramente, que a moda não “pegue” na concorrente… deixa esse tipo de filme genial só na Marvel mesmo que tá bom demais!

Avaliação: Excelente!

Thor Amor e Trovão


Créditos:
Texto: Alexandre Baptista
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse
Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!


Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Quero participar

Notícias relacionadas

Afro Samurai de Takashi Okazaki - O Ultimato (5)

Afro Samurai de Takashi Okazaki – O Ultimato

12 de Ago de 2022

Nós usamos cookies para garantir que sua experiência em nosso site seja a melhor possível. Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa política de privacidade.

OKPolítica de privacidade