Superman O Homem de Aço é parte de um dos processos de reboot mais famosos dos quadrinhos.

Em 1986, a DC Comics chamou o inglês John Byrne, que já era aclamado por seus trabalhos em X-Men e Quarteto Fantástico na Marvel Comics, para recontar a lenda do Superman para um público mais jovem e atual.

Nessa mesma época tivemos outros grandes autores trabalhando com os medalhões da DC: Frank Miller com Batman, George Peréz com Mulher-Maravilha e muitos outros!

Superman O Homem de Aço (The Man of Steel, 1986) de John Byrne foi publicado originalmente em formato minissérie em 06 edições.

No Brasil a HQ já foi publicada no diversas vezes e os leitores que ainda não possuem a HQ podem achá-la com facilidade em: Clássicos DC #1 (Editora Abril, formatinho, 1992), Superman – O Homem de Aço (Editora Mythos, formato americano com capa cartão, 2006) e em DC Comics – Coleção de Graphic Novels #8 (Eaglemoss, formato americano e capa dura, 2015)

 

Superman O Homem de Aço - A Reinvenção de John Byrne 1

Superman Alça voo em sua primeira aparição com o uniforme em Metrópolis na HQ Superman O Homem de Aço de John Byrne

 

O Superman imaginado por Byrne é diferente da versão que tínhamos até então e suas atitudes (algumas delas) talvez não refletissem tão bem nos dias atuais.

Ele, por exemplo, conseguiu o emprego no Planeta Diário entrevistando a si mesmo e entregando a matéria antes da repórter Lois Lane. Os tempos eram outros e temos que ter isso em mente para podermos ler a obra que, de maneira geral, envelheceu bem.

O autor parece ter uma preocupação maior em situar o personagem no Universo DC e trabalhar os principais conceitos o mais rápido possível. Isso não é um ponto negativo mas acaba dando um ritmo demasiadamente acelerado a história. O período em Smallville, por exemplo, é muito pouco explorado até a última edição da minissérie original.

 

O mundo de Krypton em Superman O Homem de Aço

 

Superman O Homem de Aço de John Byrne começa estabelecendo que Krypton é um planeta que perdeu sem contato com o lado humano: Lara e Jor-El mais parecem robôs do que seres que sentem afeição e o espanto da mãe do Superman ao ver um fazendeiro na Terra (que toca o solo com os próprios pés) dá uma noção do distanciamento deles.

Jor-El inclusive afirma que Krypton explorou e controlou a natureza até o momento que se perdeu – e é do patriarca da família El a ideia de enviar o filho para que ele não pereça com o planeta. Ao ler essa parte da história atente ao fato de que Lara só concorda com o envio do filho por achar que ele irá “governar a Terra e instaurar os costumes de Krypton”… quase um Zod de saia, não?

 

Superman O Homem de Aço - A Reinvenção de John Byrne 2

Superman aparece com seu traje pela primeira vez na HQ Superman O Homem de Aço da DC Comics

 
 

O mundo de Smallville em Superman O Homem de Aço

 

Se o mundo de Krypton imaginado por Byrne não me agrada muito, a relação de Clark com seus pais é muito interessante! Jonathan Kent vai a um jogo de futebol americano apenas para ver seu filho, o esportista Clark Kent, ganhar o jogo praticamente sozinho. Na contramão do que os pais normalmente fariam, ele instruiu o filho dizendo que os poderes dele não são para isso – e inclusive revela como Clark foi “adotado”.

Até esse momento, apesar dos estranhos poderes, o Superman ainda imaginava que era filho biológico do casal do Kansas – só ao ver a estrutura onde foi encontrado (que eles não entendiam ser necessariamente uma nave espacial) que ele descobre que não é daquele lugar.

Essa versão de Jonathan Kent, ao contrário da versão do filme O Homem de Aço (Man of Steel, 2013), abraça a ideia de ver seu filho fazendo o bem com seus poderes e inclusive ajuda o herói a criar o icônico “S”.

Na reformulação de John Byrne o brasão não é um símbolo alienígena nem nada do gênero – são os pais do herói e ele que constroem todo o uniforme – em Superman: O Legado das Estrelas (Superman: Birthright, 2003) até o couro do uniforme é tirado da nave.

 

O mundo de Metrópolis e além em Superman O Homem de Aço

 

A necessidade de ter uma identidade secreta vem depois de o herói salvar um ônibus espacial e conhecer Lois Lane – todos que estavam próximos se aglomeram ao redor do herói querendo, segundo o próprio, “tirar um pedaço dele”.

Vale ressaltar que nessa versão Clark termina os estudos em Smallville e passa três anos usando Metrópolis como base de operações – sem emprego no Planeta Diário ou identidade secreta.

 

Superman O Homem de Aço - A Reinvenção de John Byrne 3

Batman e Superman interagem pela primeira vez no pós-crise em Superman O Homem de Aço de John Byrne

 

Após estabelecer o disfarce de Clark Kent, que não tenta esconder o corpo mas sim justificar o porte físico – o que faz muito sentido já que ele havia jogado futebol americano no colégio – e é menos retraído do que em outras versões, e sua vida no Planeta Diário Byrne trata de promover o encontro do herói com outro ícone da DC: Batman.

Nessa versão o Homem de Aço, mais arrogante do que em versões passadas, tenta prender o Homem-Morcego que se defende dizendo que existe uma bomba em um cidadão de Gotham que irá explodir caso o herói de Metrópolis faça o que prometeu.

Nessas circunstâncias Batman consegue ganhar tempo para explicar como Gotham é diferente e os dois atuam em um caso no qual o Cruzado Encapuzado estava trabalhando. Os heróis prendem Magpie e descobrem que, apesar do métodos diferentes, podem aprender a trabalhar juntos.

De volta a Metrópolis o herói está prestes a reconhecer seu principal rival: Lex Luthor. A versão do vilão apresentada por Byrne se afasta do tradicional “cientista maluco” e vira um mega empresário bem sucedido que acredita ser dono da cidade. Fica claro o desejo que o vilão possui por Lois Lane – obviamente não correspondido.

A primeira interação entre Superman e Luthor, que ocorre em uma festa no cruzeiro do magnata, é catastrófica e termina com Lex preso após ordenar que seus seguranças particulares não interviessem em uma invasão no barco. Essa é a pedra fundamental da rivalidade dos dois.

 

Superman O Homem de Aço - A Reinvenção de John Byrne 4

Clark mostra a sua mãe o símbolo que ele e seu pai Jonathan criaram na HQ Superman O Homem de Aço

 

Luthor, agora já estabelecido como vilão, tenta clonar o Superman. Ao falhar ele dá vida a réplica conhecida como Bizarro. Superman e seu clone disforme engajam combate em Metrópolis só para que o Homem de Aço descubra que, talvez, Bizarro não seja necessariamente um vilão…

A visão de Byrne é bem interessante e mostra o quanto ele admira o espírito de bom escoteiro que o Homem de Aço possui.

Após encontrar Bizarro é a hora de voltar a Smallville para rever Lana Lang e descobrir o quanto a vida dela mudou após seu amigo Clark contar sobre seus poderes – a conversa com Lana é um momento cativante da história e retrata como boas intenções podem gerar inadvertidamente dor e sofrimento para os que estão ao redor.

É nessa volta a Metrópolis que o Superman finalmente descobre suas origens ao se deparar com um holograma de seu pai e ser atingido por um raio próximo a sua antiga nave espacial – com esse simples gesto ele descobre sua origem kryptoniana.

Superman O Homem de Aço de Byrne esconde diversas referências ao filme Superman – O Filme (Superman: The Movie, 1978):

– Lois diz a Luthor que ele precisa de uma ótima cabeleireira porque está ficando parecido com o ator Gene Hackman – que interpreta Luthor no filme (o visual realmente está bem parecido);

– Lois toma champagne com Superman em sua cobertura enquanto tenta entrevistar o mesmo;

– Superman impede pequenos assaltos e crimes como forma de estabelecer que o herói já é parte de Metrópolis…

são diversas cenas interessantes que homenageiam o filme!

 

Superman O Homem de Aço - A Reinvenção de John Byrne 5

Superman em ação nas páginas de Superman O Homem de Aço da DC Comics

 

Superman O Homem de Aço é uma atualização do herói executada por John Byrne que merece ser lida por trazer elementos que são utilizados até hoje nas histórias do herói.

Por mais que algumas decisões de Byrne pareçam datadas e que a história tenha um ritmo tão intenso que não dê margem para grandes aprofundamentos, ela segue sendo interessante para apresentar o herói a novos leitores e mostrar para os antigos uma das pedras fundamentais das versões atuais do herói.

Algumas diferenças existem mas o principal está ali: o espírito escoteiro e a vontade de fazer o bem!

Obs.: Vale lembrar que Byrne ainda escreveu uma das fases mais aclamadas do herói após a minissérie Superman O Homem de Aço!

Confira o vídeo do Sobrecapa sobre esta HQ:

 


Créditos:

Texto: Lucas Souza
Imagens: Reprodução
Edição: Alexandre Baptista

 

Fique ligado no Ultimato do Bacon para mais sobre o Superman!