Seinfeld 23 horas para matar é a dica de streaming de hoje. Quem acompanha essa coluna sabe que o comediante Jerry Seinfeld já apareceu outras vezes por aqui. Na primeira, a dica era o seriado icônico dos anos 90, Seinfeld (leia mais), a famosa comédia sobre o nada que irritou e encantou uma geração e até hoje ainda tem uma ou outra piada interessante – pra ser bastante eufêmico.

Na segunda vez, fizemos um combo e listamos “os outros Seinfeld” do streaming, com títulos de comédia stand up ou outros programas estrelando Jerry.

Com produções mais recentes como Bastidores da Comédia, Jerry Antes de Seinfeld e Café com Seinfeld (que tem no nome original um apelo mais forte, algo como “Comediantes, em carros, tomando café”), o espectador pode conferir o que veio depois do sucesso… nada tão brilhante quanto antes, piadas recicladas e uma alta dose de niilismo e egocentrismo.

Desta vez, a dica vai pra um novo Seinfeld de fato! Com Seinfeld 23 horas para Matar (Jerry Seinfeld: 23 hours to kill, 2020) que estreou em maio na Netflix, Seinfeld parece novamente à vontade no stand up.

Não estamos mais nos pequenos clubes em que Jerry começou – estranhos agora ao multimilionário – nem nos carros esportivos e luxuosos que dão vazão ao lado mais pedante do comediante.

Ele está de volta ao palco sim, mas fala para seu público atual: a plateia novaiorquina que tem condições de pagar um ingresso para assistir Jerry Seinfeld no Beacon Theater de Nova Iorque.

 

Seinfeld 23 horas para matar

Pode ser que ele tivesse 23 horas livres, sem nada o que fazer e decidiu escrever material novo. O que importa é que esse novo programa – uma comédia stand up de Jerry Seinfeld – diferente de outros do comediante, apresenta piadas novas.

Eu não diria mais maduras, porque o cara é realmente bem infantil em algumas coisas – o que talvez seja a chave para seu sucesso. Mas são piadas que refletem sua vida atual. Finalmente ele não está reciclando material e sim escrevendo coisas inéditas. E nisso, ele manda bem demais.

O show é divertido e controlado, sem grandes absurdos ou arroubos de pedantismo, como às vezes Seinfeld consegue produzir. Mas o importante mesmo é que é engraçado.

Talvez seja melhor me corrigir aqui: a produção começa com algo bastante esnobe que é uma cena de Seinfeld chegando num helicóptero, pulando no Hudson e entrando no Beacon Theater pela água. Talvez para mostrar que a produção de um simples stand up em um teatro, para Seinfeld, seja diferente do que é para outros comediantes.

“Eu posso gastar com o aluguel de um helicoptero. Seu show tem um helicóptero? O meu tem. Ah, sim. E o outro tem carros esportivos, a maioria da minha coleção pessoal. Afinal, eu posso.” – frase que certamente caberia nas falas do ator.

Mas, tirando essa cena bastante desnecessária e sem sentido, o resto do show é afiado, divertido e bastante controlado como já mencionei antes. Seinfeld faz boas piadas novas, mas não toca em feridas políticas, religiosas ou sexuais como outros comediantes.

Não, não. Jerry sabe que não precisa disso pra ser engraçado. Ou melhor, ele sabe que não precisa ficar sob o holofote, ser questionado pelo grupo A, B ou C, levar processos e tudo mais.

Essa fase passou, o sucesso e a riqueza já aconteceram. Agora é sorrir, rir para e da vida. Nada é problema, tudo é solução. E o que parecer um problema, oras, é só material para piadas que vão atrair mais público e mais dinheiro.

Não me levem a mal. Eu realmente indico Seinfeld 23 horas para matar. Eu sinceramente estava sentindo falta do humor rápido e inteligente do cara. Mas tem qualquer coisa ali que me deixa com a forte sensação de que, no fim das contas, é Seinfeld que está rindo de todos nós.

 

Seinfeld 23 horas para matar está disponível na Netflix!

Seinfeld 23 horas para matar poster

Trailer:


Créditos:

Texto e Edição: Alexandre Baptista

Imagens: Reprodução

Texto publicado originalmente em 24 de julho de 2020.

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!


Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!