Se você é fã de HQ´s de faroeste, como é o meu caso, você precisa conhecer Ken Parker. O personagem, criado em 1974 pelos italianos Ivo Milazzo e Giancarlo Berardi, é um dos mais fascinantes que já apareceram no cenário dos fumettis.

Também conhecido pelo seu apelido indígena, Rifle Comprido, o herói fez de tudo em suas histórias: foi scout do exército, lutador de boxe, fazendeiro, xerife, caçador de baleias, viveu entre os esquimós e os índios (e inclusive foi casado com uma índia), atuou em peças de teatro de Sheakespeare (!), foi escritor, presidiário e muito mais!

A versatilidade das tramas das HQ´s de Ken Parker é simplesmente incrível! Seja pelas mãos de seus criadores, Ivo Milazzo e Giancarlo Berardi, ou de outros artistas competentes, o herói sempre surpreende pela sua humanidade e ideias. O personagem deu as caras no Brasil pela primeira vez em 1978 pelas mãos da extinta editora Vecchi e suas publicações no país são no mínimo confusas (abordaremos o tema mais na frente).

.

Ken Parker

Belíssima estátua de Ken Parker da Infinite Statue com as três primeiras edições da Vecchi lançadas no Brasil ao fundo

.

A História de Ken Parker de Ivo Milazzo e Giancarlo Berardi

.
Já na sua edição de estréia, Ken Parker mostrou que era diferente. O personagem, ao contrário do famoso Tex Willer, não é infalível e tão pouco é o cara mais inteligente da cidade, mas também não é um anti-herói como Jonah Hex. O personagem é falho, honrado e humano e suas histórias destoam muito do famoso “preto no branco” dos Westerns que povoam os fumettis italianos.

A aventura de estréia de Ken Parker mostra o herói tendo que buscar os assassinos de seu irmão que se esconderam entre os homens do exército. Ele precisa trazer justiça para seu irmãozinho morto ao mesmo tempo que lida com uma verdadeira guerra contra os índios. Já nessa história fica claro o amor dele pela arma de seu avô, um arcabuz Kentucky que dispara um único tiro por vez – é esse apego que lhe rendeu o apelido de Rifle Comprido.

.

Quer debater sobre quadrinhos, livros, filmes e muito mais? Venha conhecer nosso grupo no Whatsapp clicando aqui!!!

.

Podemos dizer que as histórias do personagem vem em “ondas”: são grandes contos que podem durar de 3 à 5 edições. Não me entenda mal: as histórias se fecham dentro das edições e não existe uma obrigatoriedade de ler tudo, mas quando você lê o arco completo normalmente uma jornada se conclui na vida do herói. Isso fica muito claro nas HQ´s “Ken Parker” #12 – #15 (publicada pela Vecchi em 1979/80 e pela Tapejara/CluQ em 2002).

Nessa passagem ele conhece a jovem garota Pat O’Shane e eles passam por algumas aventuras até que ela consiga comprar seu rancho. Com Ken Parker, normalmente é assim: ele faz amigos por um período de tempo e depois segue sua jornada. Normalmente como scout particular, fazendo escolta ou simplesmente “caindo de paraquedas” no meio da confusão.

Ken Parker

A espirituosa e divertida Pat O’Shane é uma dos marcantes coadjuvantes das HQ`s de Ken Parker

.
As histórias de Ken Parker são marcantes por três grandes elementos: os coadjuvantes memoráveis (que muitas vezes roubam a cena!), as temáticas variadas (nada de histórias repetidas no modelo tradicional homem mau x herói que chega a cidade) e as situações complexas (certo e errado são claros mas temos muitas decisões que são questionáveis). Esses ingredientes frequentes nas tramas diferenciam as histórias e nos deixam com vontade de ler novos capítulos.

Vale ressaltar que as histórias possuem um nível de profundidade maior do que outras do gênero – pegue uma edição e você perceberá isso claramente. O herói debate sobre temas como: literatura, pena de morte, acumulo de capital, direito sobre a terra e outros. 

Um outro ponto bacana do herói é seu relacionamento com seus pais. Uma das histórias mais marcantes do herói é justamente quando ele volta para a casa, para rever Lucy e Jed Parker (na história “Lar, Doce Lar”). Na história seus pais dizem que entendem que a morte de seu irmão caçula Bill não foi culpa dele e que se ele pensou diferente  acabou privando-os do convívio com o filho vivo – e isso foi quase uma segunda perda. É.. tem muita emoção nas HQ´s de Ken Parker!

.

Ken Parker

Ken Parker visita seus pais  Lucy e Jed Parker na HQ “Lar, Doce Lar” da série original.

.

As Melhores Histórias das HQs de Ken Parker

.
Se você nunca leu nada do personagem criado por  Ivo Milazzo e Giancarlo Berardi em 1974, fique tranquilo! Elencamos as melhores histórias de Ken Parker e separamos as HQ´s onde você pode encontrar as obras que mostrar o Western real – e muitas vezes cruel – no qual o personagem habita. Vamos lá?

.

1- Ken Parker Vingança

.

“Vingança” é a história de estréia do herói e mostra sua relação com seu rifle, a morte de seu irmão e seu alistamento no exército. A história é marcante porque mostra como o Western proposto pelos autores era diferente das histórias que tínhamos na época. Toda a saga para vingar o irmão está aqui! “Ken Parker: Vingança” foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #1  da  Vecchi de 1978 e republicada pela Tapejara em 2000 com o mesmo nome.

.

2- Ken Parker Homicídio em Washington

.

Na HQ o herói viaja a Washington para tentar interceder a favor dos índios que tem sido cada vez mais provocados para serem violentos. A ideia é forçá-los a matar e assim arrumar um pretexto para roubar suas terras. Parker se junta ao Comissário dos Negócios Índios para tentar acabar com a armação. A história se destaca pelo teor político e pelo fim – no mínimo – inusitado. “Ken Parker: Homicídio em Washington” foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #4  da  Vecchi de 1979 e republicada pela Tapejara em 2000 com o mesmo nome.

.

3- Ken Parker Caçada no Mar

.
Lembra que eu disse que o personagem “cai de paraquedas” em algumas aventuras? Esse é o caso. Ken Parker é sequestrado e, contra a sua vontade, obrigado a trabalhar em um navio baleeiro. A saga impressiona pela riqueza de detalhes e pela similaridade com o famoso livro “Moby Dick”. O Capitão louco, a baleia assassina inteligente.. Está tudo aí! Vale a pena! “Ken Parker: Caçada no Mar” foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #9  da  Vecchi de 1979 e republicada pela Tapejara em 2002 com o mesmo nome.

.

4- Ken Parker A Balada de Pat O’Shane

.

A história “Ken Parker A Balada de Pat O’Shane” ganha espaço na nossa lista por conta da figura divertida, irritante e cheia de personalidade da menina Pat O’Shane. A garota aparece na história acompanhada pelo seu irmão mais velho, um beberrão e apostador, que logo é morto no saloon.

Desolada e querendo vingança a menina vê Ken Parker (metido em apuros até o pescoço por estar sendo confundido com um famoso bandido). Pat acha uma boa ideia libertar Ken e pagá-lo para que ele encontre o assassino de seu irmão. A divertida trama nos leva para o Canadá! “Ken Parker: A Balada de Pat O’Shane” foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #12  da  Vecchi de 1979 e republicada pela Tapejara em 2002 com o mesmo nome.

.

Ken Parker

Tex e seus companheiros aparecem no saloon na HQ “Ken Parker: Homens, Feras e Heróis” 

.

5- Ken Parker Homens, Feras e Heróis

.
Essa edição é simplesmente um presente para os fãs de faroeste. Na HQ que marca a despedida da cativante Pat O’Shane, Ken Parker e a menina estão buscando Cowboys para ajudá-los a levar um rebanho para o novo Rancho de Pat. É aí, dentro de um saloon, que a história vira um verdadeiro desfile de grandes personagens do Oeste.

Carson, Tex Willer (que ganha uma sequência inteira envolvendo uma briga com o garçom por conta de bife e fritas), Zagor e até Lucky Luke dão as caras em sequências que nos deixam animados para reconhecer todos os heróis (e são muitos). Fora essa homenagem incrível, a HQ ainda tem uma jornada emocionante que termina de maneira perfeita! “Ken Parker: Homens, Feras e Heróis” foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #12  da  Vecchi de 1979 e republicada pela Tapejara em 2002 com o mesmo nome.

.

6- Ken Parker Era uma Vez

.
Nosso herói se envolve com artistas itinerantes incríveis e gentis. Chegando na cidade, Ken Parker é apontado como um assaltante por conta da descrição dada por um dos funcionários do banco. Toda a trama é muito divertida mas o que chama a atenção é o fato de termos um dos artistas sofrendo de um problema de cleptomania – a doença é tratada de forma tragicômica  e rende passagens muito engraçadas e emocionantes! “Ken Parker Era uma Vez”  foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #27  da  Vecchi de 1981 e republicada pela Tapejara em 2004 com o mesmo nome.

.

Ken Parker

Ken Parker interage com o artista que sofre de cleptomania na HQ “Ken Parker Era uma Vez”

.

7- Ken Parker Lar, Doce Lar

.
Nessa HQ super emocionante, Ken Parker se vê às voltas com seu passado encontrando um velho amigo e revendo seus pais. Apesar de emotiva, a história é cheia de ação e mostra que nem sempre crescemos para ser aquilo que nossos pais, e até que nós mesmos, gostaríamos. “Ken Parker Lar, Doce Lar”  foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #30  da  Vecchi de 1981 e republicada pela Tapejara em 2004 com o mesmo nome.

.

8- Ken Parker O Caminho dos Gigantes

.
Nessa HQ vemos Ken Parker levando uma manada para mineiros que, sem ela, irão morrer de fome. O personagem aceita a ajuda de dois homens: Harry e Franz. Harry é ranzinza e desonesto enquanto Franz é muito forte mas, aparentemente, sofre de problemas ao se relacionar com outras pessoas. A viagem dos três coloca a prova a integridade do nosso herói e mostra que nem sempre ser “esperto demais” é um bom negócio. A trama tem um final surpreendente! “Ken Parker O Caminho dos Gigantes”  foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #35  da  Vecchi de 1981 e republicada pela Tapejara em 2004 com o mesmo nome.

.

Ken Parker

Ken Parker conversa com Harry enquanto o gigante Franz caminha na frente na HQ “Ken Parker O Caminho dos Gigantes”

.

9- Ken Parker Direito e Avesso

.
Mais uma das famosas aventuras onde o personagem se envolve sem querer. Acusado de assassinato, Ken Parker é ajudado por uma dançarina do teatro que é, na realidade, um travesti. A história é incrível porque retrata os preconceitos da época e mostra um pouco mais de como Ken Parker pensa. Fora os momentos emocionantes, a HQ tem reviravoltas incríveis no fim! Uma ótima leitura! “Ken Parker  Direito e Avesso”  foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #36  da  Vecchi de 1981 e republicada pela Tapejara em 2004 com o mesmo nome.

.

10 – Ken Parker Crônicas

.
Os leitores de Ken Parker sabem que o personagem não é grande fã de matanças. Ele entende que, se possível, devemos tentar resolver os problemas conversando ou evitando “banhos de sangue”. Nessa história, que poderia ser considerada só mais uma boa trama, vemos o personagem escoltando George Maledon para uma cidade onde está ocorrendo um julgamento.

O que torna a trama especial é a revolta de Parker quando descobre o emprego de Maledon e sua posição de ser terminantemente contra a pena de morte – a forma como eles retratam o sofrimento de um condenado a forca é bem intensa!. Um tipo de caracterização de condenado que não me recordo de ter visto em nenhuma outra HQ de faroeste. 

“Ken Parker  Crônicas”  foi publicado no Brasil em “Ken Parker” #37  da  Vecchi de 1981 e republicada pela Tapejara em 2004 com o mesmo nome.

.

Ken Parker

Ken Parker interpreta Hamlet em uma HQ que mistura atuação e uma dura realidade no Velho Oeste

.

11- Ken Parker Um Príncipe para Norma

.
Se você ainda duvida que Ken Parker é um faroeste diferente, a trama de um “Príncipe para Norma” não vai deixar dúvidas! Na HQ vemos Ken Parker se esconder junto de uma trupe de teatro que está se preparando para interpretar Hamlet – e o nosso herói é obrigado a embarcar nessa. A história mescla a peça de Shakespeare, a história triste da atriz e dançarina Norma e a perseguição ao nosso herói. Sem dúvida, uma das melhores HQ´s do personagem! “Ken Parker Um Príncipe para Norma” foi publicado em formato álbum nos anos 2000 pela CluQ

.

12- Ken Parker A Terra dos Heróis

.
Nessa história vemos Ken Parker precisando da ajuda de seus criadores, Giancarlo Berardi e Ivo Milazzo, para libertar personagens famosos  esquecidos. A história é uma verdadeira quebra da quarta parede e é um conto bem interessante e diferente onde vemos Parker interagindo com Zorro, Orson Welles, John Wayne e tantos outros. A HQ é mais uma grande homenagem – que tem um valor literário incrível – do que uma história de faroeste, mas vale muito a pena ser lida! A Terra dos Heróis foi originalmente publicada no Brasil pela Mythos Editora em “Ken Parker” #12 de 2001

.

13 – Ken Parker Um Sopro de Liberdade

.
Depois de acidentalmente matar um agente da lei em Boston, Ken Parker vira um fugitivo. A trama de “Um Sopro de Liberdade” mostra o personagem sofrendo no ambiente carcerário e, mesmo em meio às muitas dificuldades, mantendo suas ideias. A história coloca o injustiçado herói no meio de uma rebelião que pode tornar tudo ainda pior. Um Sopro de Liberdade foi originalmente publicada no Brasil pela Mythos Editora em “Ken Parker” #15- #16 de 2002.

.

14- Ken Parker Até Onde Vai o Amanhecer

.
Uma das histórias mais tristes de Ken Parker é também o seu desfecho. A HQ, que mostra que vidas violentas terminam de forma violenta, mostra um Ken Parker velho e cansado que não se esconde do bom combate. O herói se junta a um bando que fez mãe e filha de reféns. A história é violenta, crua e mostra o envelhecimento de uma forma pouco poética. O que não impediu nosso herói de fazer o certo. A derradeira história de Ken Parker foi publicada no Brasil em 2019 pela CluQ.

.

Essas são apenas algumas das histórias do herói que fogem do tradicional! Existem muitas outras que mostram uma faceta do velho oeste que não é comum em HQ´s do gênero. De maneira geral, você pode pegar qualquer HQ e começar a ler sem problemas. Elas tendem a te explicar o que você precisa saber – obviamente, que quanto mais você mergulha, mais você pega os pequenos detalhes do universo do Faroeste criado por  Ivo Milazzo e Giancarlo Berardi.

.

Ken Parker

Mulher na capital dos EUA se espanta com a vestimenta da Ken Parker na aventura “Um Homicídio em Washington”

.

Guia de Leitura de Ken Parker

.
Vecchi, Tapejara/CluQ, Ensaio, Best News e Mythos são as editoras que – em algum momento – publicaram aventuras de Ken Parker. Vamos separar a leitura em três momentos distintos: a fase clássica, a 2ª série e os especiais do personagem. Vamos lá?

.

Ken Parker – A Série Clássica

.

Ken ParkerKen Parker, ainda barbudo, aparece ao lado de seu irmão na primeira edição da série

.
A série clássica de Ken Parker é, inegavelmente onde se reunem as melhores histórias do personagem. Não querendo desmerecer os trabalhos posteriores – que tem muito valor – mas as tramas originais trazem situações tão inusitadas que é impossível não ficar ansioso pela próxima edição.

A série original contou com 59 números e foi publicada na Itália entre 1977 e 1984. No Brasil a série foi publicada com o nome “Ken Parker” pela Vecchi e pela Tapejara/CluQ. 

Somente a Tapejara/CluQ publicou a série completa (de 2000 à 2007). A Vecchi publicou os 53 primeiros números da série (de 1978 à 1983) e a Best News publicou os números 54 e 55 (lançaram como Ken Parker #1 – #2 em 1990).

.

Ken Parker – 2ª Série (Ken Parker Magazine)

.

Ken ParkerKen Parker Magazine, a 2ª série do herói, trouxe aventuras inéditas

.
As histórias publicadas originalmente em Ken Parker Magazine na Itália (entre 1992 e 1996) são muito interessantes e vão agradar em cheio aqueles que gostaram do herói. A série não foge muito da original mas consegue se manter interessante, divertida e (o mais importante!) diferente.

No Brasil a série só foi publicada na íntegra (até agora) pela Mythos no título “Ken Parker” #1 – #18 (2000/2002). A própria Mythos começou a lançar “Ken Parker – Edição Encadernada” #1 – #4 (2002/2003), com formato maior e mais páginas, mas parou – as edições publicadas correspondem às 11 primeiras de seu título “Ken Parker” de 2000. 

Desde 2015 a Tapejara/CluQ está publicando “Ken Parker Magazine” e a ideia é publicar toda a série com o mesmo número de páginas da original italiana – que teve 36 edições. 

.

Ken Parker – Os Especiais

.

Ken ParkerCapa do Especial “Ken Parker Um Príncipe para Norma” lançado no Brasil em 2000

.
Foram muitos os especiais lançados no Brasil pela Tapejara/CluQ. Vamos ordená-los com o nome nacional e sua data de publicação. Lembrando que eles podem ser lidos de maneira independente e não possuem qualquer relação direta (de continuidade de trama) entre si.

.
“UM PRÍNCIPE PARA NORMA” – Publicado no Brasil em 2000 (originalmente em 1984)

.
“ONDE MORREM OS TITÃS” – Publicado no Brasil em formato minissérie em duas edições em 1999 e em edição única em 2000 (originalmente em 1985)

.
“FILHOTES” – Publicado no Brasil no ano de 2007 em “Ken Parker 1ª Série” #1 (originalmente em 1984)

.
“SOLEADO” – Publicado no Brasil no ano de 2007 em “Ken Parker 1ª Série” #2 (originalmente em 1985)

.
“A LUA DA MAGNÓLIA EM FLOR” – Publicado no Brasil no ano de 2007 em “Ken Parker 1ª Série” #3 (originalmente em 1985)

.

“PÁLIDAS SOMBRAS” – Publicado no Brasil no ano de 2007 em “Ken Parker 1ª Série” #4 (originalmente em 1987)

.
“UM HÁLITO DE GELO” – Publicado no Brasil em 2011 (originalmente em 1987)

.
“OS CONDENADOS” – Publicado no Brasil no ano de 2013 em “Ken Parker 2ª Série” #2 (originalmente em 1996)

.
“NOS TEMPOS DO PONY EXPRESS” – Publicado no Brasil no ano de 2013 em “Ken Parker 2ª Série” #1 (originalmente em 1997)

.
“AS AVENTURAS DE TEDDY PARKER” – Publicado no Brasil no ano de 2014 em “Ken Parker 2ª Série” #3 (originalmente em 1997)

.
“CARA DE COBRE” – Publicado no Brasil no ano de 2014 em “Ken Parker 2ª Série” #4 (originalmente em 1998)

.
“ATÉ ONDE VAI O AMANHECER” – Publicado no Brasil em 2019 (originalmente em 2015).

.

Vale ressaltar que foram poucas as histórias de Ken Parker que não chegaram ao Brasil! Apenas 3: “Quack” (1984), “Immagini” (1994) e “Canto di Natale” (2013).

.

Ken Parker

O personagem criado por Ivo Milazzo e Giancarlo Berardi viveu muitas aventuras!

.

No fim das contas: Vale mergulhar no Universo de Faroeste de Ken Parker?

.
Se você é fã de HQ´s de faroeste e está cansado de histórias que são mais do mesmo, as HQ´s de Ken Parker de Ivo Milazzo e Giancarlo Berardi é uma boa pedida! As histórias têm um ritmo próprio e sempre surpreendem – seja pela temática, pelos personagens coadjuvantes ou até mesmo pelo filosofia envolvida. Não desmerecendo os outros incríveis personagens de faroeste (de quem sou fã incondicional), mas Ken Parker é único!

Se você nunca leu nada do personagem, tranquilize-se! Você pode pegar qualquer edição e começar por ela – o fascínio que a criação de Ivo Milazzo e Giancarlo Berardi causa vai te fazer correr atrás das outras edições! 

.

Ken Parker

E se você ainda quer conhecer mais HQ´s de faroeste, confira nossas matérias sobre a série Tex Willer e sobre o Tenente Blueberry!

 


Créditos:
Texto: Lucas Souza
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!


 

Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Notícias Relacionadas: