Surfista Prateado Parábola foi publicada originalmente em duas partes, entre dezembro de 1988 e janeiro de 1989 na revista Silver Surfer vol.4 #1 e 2 sob o título de Parable pela Marvel Comics nos EUA.

Aqui no Brasil, a revista foi publicada em maio de 1989 pela Editora Abril no número 11 da revista Graphic Novel, apenas como Surfista Prateado.

Em 2014 ganhou uma edição em capa dura pela Panini Books, já com o título de Sufista Prateado Parábola.

Mas afinal, porque uma graphic novel com pouco menos de 100 páginas é tão importante para trazermos um Baú de HQs sobre ela?

Pra começar, texto de Stan Lee e arte de Jean-Giraud, o Moebius. Mas é claro que pra muita gente esses dois nomes não significam muita coisa…

Então, se você não faz ideia de quem seja o mestre Stan Lee – apesar de todas as polêmicas – vale dizer que é graças a ele que o universo Marvel é o que é, seja lá o que isso significa. E que Moëbius é o artista por traz de A Garagem Hermética (The Hermetic Garage, 1983) e outros títulos dessa série publicados pela Métal Hurlant (1975 – atual), que inspirou a Heavy Metal (tanto a brasileira quanto a americana) e a nossa Metal Pesado.

Mas vamos então explicar, além de tudo isso, o que faz de Parábola uma HQ tão especial.

Vamos lá?

 

A Parábola de Stan Lee

 

Dizem que o Surfista Prateado era o “eu lírico” de Stan Lee. Eu não conheço um argumento a favor disso mais poderoso do que a história de Parábola.

O nome não é escolhido atoa. Dizem que Jesus reunia seus seguidores e lhes contava histórias em formas de parábolas, cujo significado num dicionário lê-se:

“narrativa alegórica que transmite uma mensagem indireta, por meio de comparação ou analogia”.

 

O que religião tem a ver com essa história? Ora, tudo meu jovem.

Galactus apesar de sua “derrota” nas mãos de Reed Richards retorna a terra. Porém, ele não ataca os habitantes ou inicia a construção de sua torre. Pelo contrário, ele proclama para todo mundo em choque que o “poder e a majestade” são suas e que ele trouxe a nova era. Com estas simples palavras, Galactus leva milhares de pessoas a adotar uma nova religião em torno de si, chamando a atenção do evangelista falido Colton Candell.

Não há Quarteto Fantástico, Vingadores ou Homem-Aranha, apenas o Surfista em seu exilio na Terra tenta compreender o que acontece ao seu redor. Ele não é humano e por isso não compreende a fé cega que estes depositam no vilão gigantesco e seu falso profeta Colton.

Diversas HQs da Marvel já serviram para demonstrar os perigos da intolerância e o fanatismo, principalmente utilizando os X-Men e seu perigoso rival, o reverendo Stryker. Entretanto aqui o analise não é apenas sobre o preconceito, mas sim sobre a necessidade de poder de algumas pessoas e o quanto elas estão dispostas a seguir cegamente.

Mesmo com a presença de dois figurões cósmicos, Parábola passa longe de ser uma HQ com ação desenfreada.

Há conflito físico, mas ele passa longe de ser o foco do debate teórico que se dá entre os personagens. A história data do ano de 88, mas eu desafio qualquer um a não perceber o quanto ela ainda se mostra atual.

Stan Lee usa sua genialidade e sua voz ao máximo nessa história, combinada com a arte incrível – na minha opinião – do lendário Moebius. Ainda que seja do fundo do baú de HQs, Parábola definitivamente merece um lugar de destaque na prateleira.

Fique ligado no Ultimato do Bacon para mais notícias e reviews sobre HQs!

 


Créditos:

Texto: João Maia
Imagens: Reprodução
Edição: Alexandre Baptista

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!


 

Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Notícias Relacionadas: