O Thor de Jason Aaron pode dividir opiniões, mas seu run está cheio de momentos memoráveis. E agora, ele volta ao futuro distante para contar a ultima história do Deus do Trovão em Rei Thor. Na minissérie em quatro edições, ele se reunirá com o artista Esad Ribic para a épica conclusão de sua saga (que graças a Thor não foi apenas Guerra dos Reinos).

Em Rei Thor, o par não apenas irá revisitar o futuro para mais uma história estrelando o Deus do Trovão de um olho só, mas também mostrarão a última batalha entre Thor e seu irmão Loki.

Confira a sinopse de Rei Thor

Ainda que o Rei Thor tenha poderes muito acima daqueles do Thor moderno, quando ele entrar em combate com Loki, o deus da mentira terá uma carta em sua manga: a Necrolâmina. E, como os leitores do épico run de Aaron já sabem (e se você não é um deles pode procurar nossas matérias para descobrir porque deveria ser), a Necrolâmina é imensamente poderosa, sendo mortal até mesmo para os deuses. Mas o Rei Thor não estará sozinho, já que a capa de Ribic para a primeira edição indica que suas netas Frigg, Atli e Ellisiv estarão ao seu lado quando ele enfrentar seu nefasto irmão pela última vez.

Confira abaixo a capa da primeira edição por Esad Ribic, além da solicitação completa para a edição. Também foi divulgada a capa variante de Gerardo Zaffino. Ambas foram divulgadas com exclusividade pelo CBR.

O Rei Thor de Jason Aaron (Thor vol 4) 1

Capa de Esad Ribic

Rei Thor #1 (de 4)

“Os criadores da lendária série Thor: Deus do Trovão, que iniciou um dos runs mais épicos da Marvel Comics, estão juntos novamente para uma última viagem com o todo poderoso Lorde de Asgard! Sete anos atrás, Jason e Esad introduziram o Thor do futuro distante, Pai-de-todos de um reino em ruinas e um universo morrendo, enquanto ele batalhou contra o Carniceiro dos Deuses, empunhando Omniscura, a Necrolâmina. Agora, a lâmina nefasta retorna, nas mãos do maior inimigo que Thor já enfrentou – seu irmão, Loki – para um último e cataclísmico embate. Contemple o quadrinho que nenhum fã deveria perder – a celebração do fim de uma era maravilhosa.

O Rei Thor de Jason Aaron (Thor vol 4) 2

Capa variante de Gerardo Zaffino

Ainda que a saga tenha sido vendida como mais uma batalha, ainda que supostamente a última, entre Thor e Loki, o arco conclui bem a saga épica de Aaron ao trazer de volta elementos que ele tem construído desde os primeiros dias de seu run. Ainda que Guerra dos Reinos tivesse sido anunciada como a conclusão de tudo que ele criou, Rei Thor serve muito melhor a esse propósito.

Para quem não quer nenhum spoiler, pare por aqui.

Rei Thor conclui a batalha mais dura que Thor já enfrentou ao trazer de volta também Gorr, agora o Deus dos Assassinos de Deuses. Agora, o antigo Thor já não pode mais contar com suas versões passadas, apenas com sua própria força e talvez a colaboração de seu irmão.

Ao longo das quatro edições, a batalha vai de mal a pior para o Rei Thor diversas vezes, mas além da batalha, Aaron aproveita o momento para retornar à cidade da Omnipotência e os Corredores do Conhecimento. Afinal, conforme o tempo de Thor como indigno provou, o embate entre o Deus e o Carniceiro vai além da força física.

Guerra dos Reinos foi um embate incrível, mas Rei Thor é o final digno ao mostrar que o deus do trovão não é apenas puro poder, mas coloca novamente em jogo as implicações de ser um deus, trazendo a vida não apenas um combate físico de proporções universais, mas concluindo o embate ideológico entre Thor e Gorr.

Ainda não conhece a fase de Aaron a frente do Thor? Confira nos links abaixo os nossos Ultimatos!

Carniceiro dos Deuses e Bomba Divina.

O Amaldiçoado.

Os Últimos Dias de Midgard.

Fiquem ligados no Ultimato do Bacon para mais notícias sobre Quadrinhos!


Créditos:

Texto e Edição: João Maia
Imagens: Reprodução

Texto publicado originalmente em 13 de junho de 2019. Atualizado em 22 de maio de 2020.

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!