Por Lucas Souza

 

“Liga da Justiça vs Os Cinco Fatais” (Justice League vs. The Fatal Five) ganha muitos pontos iniciais por ter usado a estética consagrada por Bruce Timm (que participa da produção do longa) em “Batman: Animated Series”, “Superman: Animated Series”, “Justice League” e “Justice League Unlimited”.  O visual, por si só, já é uma tremenda volta ao passado e a entrada do episódio somada a primeira aparição dos heróis da Liga já vai te arrancar alguns sorrisos sem você perceber.

A história acompanha o personagem Ástron da Legião dos Super-Heróis que volta ao passado para tentar impedir a ameaça dos Cinco Fatais. O grupo do futuro retornou ao passado para tentar resgatar dois de seus integrantes que estavam presos em OA. O problema é que Thom Kallor, o Ástron, tem uma doença que – sem a medicação adequada – o faz esquecer da sua própria vida. A história nos leva a diversos cantos famosos do Universos DC como o QG da Legião de Super-Heróis, o QG da Liga, OA, Metrópolis, Gotham, Asilo Arkham… A história muda de cenário com uma fluidez que é impressionante.

 


Jessica Cruz é uma das novidades em “Liga da Justiça vs Os Cinco Fatais”

 

A formação da Liga da Justiça no desenho foi extremamente bem pensada e o torna ainda mais parecido com um episódio longo de “Liga da Justiça Sem Limites”: Superman, Batman e Mulher-Maravilha recebem a Lanterna Verde Jessica Cruz, Sr. Incrível e Miss Marte. O longa faz questão de  deixar claro porque alguns personagens clássicos da animação não estão presentes – aumentando ainda mais a sensação de continuidade que a própria estética já nos faz ter.

Além disso temos a aparição de vilões do Batman (e outros personagens) com o visual do antigo desenho – é impossível não sentir um arrepio nostálgico nesses momentos. As cenas dentro do Asilo Arkham são um show à parte e o relacionamento do Batman com a Miss Marvel é muito divertido e agrega bastante ao longa.

A proposta da história é relativamente simples e o seu grande mérito é saber dar espaço para os novos personagens sem tirar a relevância e importância da Trindade da DC. Fazer algum personagem se sobressair e ter seus momentos ao lado desses grande heróis é um baita desafio.

Chamam bastante a atenção as cenas de luta que estão absurdamente divertidas e surpreendentes. Os Cinco Fatais, por serem super poderosos, levam as lutas para um nível de poder e destruição elevado – o que é extremamente bem vindo. Vale destacar os usos extremamente criativos que os roteiristas deram para as i-esferas do Sr. Incrível e as cenas de luta da Mulher-Maravilha que simplesmente arrebentam com a personagem brandindo a sua espada.

 


Formação inovadora da Liga é um dos grandes trunfos de “Liga da Justiça vs Os Cinco Fatais”

 

No final do longa “Liga da Justiça vs Os Cinco Fatais”, de apenas 77 minutos, é difícil não desejar por um retorno do antigo “Liga da Justiça Sem Limites”. O maior elogio que eu poderia fazer a qualquer animação de super-heróis é dizer que ela se assemelha a um episódio maior e melhorado da antiga série e é justamente isso que temos nesse longa que atinge a perfeição misturando nostalgia com uma história simples e fluída.

Os fãs vão sair com um sorrisinho no rosto e aqueles que ainda não conhecem o antigo desenho vão correr para conhecer.

 

 

Avaliação: Excelente!

 

 

Fique ligado no Ultimato do Bacon para mais reviews e matérias de TV e Streaming!

 


 

Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon