Aproximadamente 20 anos atrás, no dia 10 de março estreou a série Buffy: A Caça Vampiros. A série servia como um reboot/continuação do filme de 1992, ambos escritos e dirigidos por Joss Whedon.

Whedon não esconde de ninguém sua apreciação pelo “girl power” e Buffy não deixa nada a desejar para muitos protagonistas masculinos por aí.

A série começa quando Buffy Summers (Sarah Michelle Gellar) se muda para Sunnydale com sua mãe após ser expulsa de seu antigo colégio enquanto caçava vampiros, onde é abordada por Rupert Giles (Anthony Stewart Head) seu “Watcher” (guardião), responsável por treiná-la no desempenho de suas funções como a “escolhida”.

Na cidade, Buffy rapidamente faz amizade com a introvertida Willow Rosenberg (Alyson Hannigan) que inicialmente auxilia com a parte tecnológica da operação, eventualmente se tornando uma poderosa feiticeira, e Xander Harris (Nicholas Brandon) que serve como alívio cômico, mas também faz algumas pontas como o coração da equipe (literalmente em um dos episódios). Na quinta temporada, um retcon (sem mais detalhes para evitar os famigerados spoilers) somos apresentados a irmã mais nova de Buffy, Dawn Summers (Michelle Trachtenberg).

Durante o curso da série, os principais inimigos de Buffy são os vampiros (alvo de críticas por parte de alguns devido a sua caracterização), entretanto ela eventualmente se alia a alguns como Angel (David Boreanaz) além de Spike (James Masters) que serve como um vilão e anti-herói durante o curso da série, sem falar da estranha relação entre Xander e Drácula. Outros inimigos incluem demônios, lobisomens, bruxas, uma deusa (sim, uma deusa) e o “primeiro mal”, todos atraídos para Sunnydale uma vez que a cidade é uma das muitas localizações das “hellmouths” (portais para o inferno)

O sucesso da série deu origem a série spin-off focada em Angel, que contava com a presença de alguns nomes que estiveram presentes em Buffy como Cordelia Chase (Charisma Carpenter) além de crossovers ocasionais entre as séries. Uma vez que tanto Buffy quanto Angel chegaram ao fim (na sétima e na quinta temporada respectivamente) as histórias foram eventualmente retomadas através de quadrinhos publicados pela editora Dark Horse. Buffy conta atualmente com as temporadas oito, nove, dez e onze neste formato, além de uma série focada em Angel e outros personagens (spoilers!), sem contar one-shots para personagens como Willow, e uma infinidade de HQs derivadas deste universo que não contam como continuação canônica da série. Buffy também inspirou uma série de livros além de cinco jogos de videogame.

Caso você fã das antigas que sentiu uma pontada de nostalgia, ou você que por acaso se viu interessado, resta procurar informações na internet, uma vez que, infelizmente, a série não está mais disponível na Netflix (graças a Deus ela também não está mais disponível na TV aberta com aquela dublagem fora de sincronia), e poucos volumes da HQ foram lançados por aqui.