Ultimato do Bacon

Zumbilândia e cinco filmes de zumbis imperdíveis

Em 24 de Out de 2019 6 minutos de leitura

Com a chegada da continuação do filme de 2009 aos cinemas esta semana, elencamos cinco dos maiores exemplos do gênero

por Alexandre Baptista

 

Zumbilândia: Atire Duas Vezes (Zombieland: Double Tap, 2019) chega aos cinemas nesta quinta-feira, 24 de outubro, e por este motivo o Ultimato do Bacon decidiu trazer para vocês uma lista com os cinco maiores filmes de zumbis em nossa modesta opinião.

Confira nossa crítica de Zumbilândia: Atire Duas Vezes

A lista já começa quebrando a própria regra, já que o primeiro indicado não é um filme, mas uma saga que conta com 6 filmes – mais dois spin-offs a caminho – sem contar os diversos remakes e sátiras; e o último, um bônus, trata-se de uma série, atualmente com oito episódios.

Além disso, estamos deixando o Zumbilândia (Zombieland, 2009) original de fora, por motivos óbvios.

Então, para você que está sedento por miolos e não liga que cinco nem sempre é cinco, vamos à lista!


1 – Saga dos Mortos de George A. Romero (1968 – atual)

 

 

Tudo começou com A Noite do Mortos-Vivos (Night of the Living Dead, 1968), dirigido por George A. Romero a partir do roteiro dele e de John A. Russo.

Foi ali que mortos-vivos, contaminados por uma estranha radiação de uma sonda que retornou de Vênus passaram a caminhar, atacar e contaminar os humanos ainda vivos.

No entanto, a partir do sucesso deste primeiro filme, que inaugurou o gênero “apocalipse zumbi” nos cinemas, ambos os criadores seguiram caminhos separados: Russo seguiu com a saga dos Mortos-Vivos, enquanto Romero desfiou mais alguns filmes dos Mortos.

Fazem parte da saga, além deste primeiro, mais cinco filmes, todos excelentes apesar de alguns serem obviamente melhores que outros: Despertar dos Mortos (Dawn of the Dead, 1978), sem dúvida o melhor de todo o gênero, em que o grupo de sobreviventes se refugia em um shopping center; Dia dos Mortos (Day of the Dead, 1985) em que, com os EUA dominados pelos zumbis, um grupo de cientistas segue buscando uma cura em uma base militar – tido por muitos como o mais fraco da série; Terra dos Mortos (Land of the Dead, 2005) em que a sociedade começa a se reestruturar após o apocalipse zumbi e os mortos passam a desenvolver certa inteligência – num clima meio “Mad Max”; Diário dos Mortos (Diary of the Dead, 2007) em que a trama acompanha estudantes de cinema e vloggers que documentam a queda da sociedade para os zumbis, arriscando suas vidas por views e likes; e A Ilha dos Mortos (Survival of The Dead, 2009), vencedor do Leão de Ouro em Veneza em 2009, que traz a disputa entre duas famílias pelo controle de uma ilha, um dos últimos redutos do mundo ainda não dominado pelos mortos; o longa trata do embate entre as políticas de extermínio adotadas por uma das famílias e a de preservacionismo, adotada pela outra.

Segundo informações, dois longas póstumos ainda estão em projeto: Road of the Dead, baseado em um roteiro de George A. Romero em parceria com Matt Birman e Rise of the Living Dead, uma prequela escrita e a ser dirigida por George Cameron Romero, filho de George A. Romero.

 

2 – Madrugada dos Mortos (Dawn of the Dead, 2004) de Zack Snyder

 

 

Zack Snyder está hoje entre o céu e o inferno dependendo de quem é questionado acerca do diretor. Alguns dos fãs vêem no cineasta um gênio incompreendido e injustiçado; alguns dos detratores vêem nele um picareta limitado que deu sorte por um tempo, mas perdeu tudo ao apostar alto demais.

Fato é que Snyder tem sim bons trabalhos, especialmente em sua estreia em Hollywood, com o remake de Despertar dos Mortos, rebatizado no Brasil de Madrugada dos Mortos (Dawn of the Dead, 2004).

Não é todo diretor que consegue igualar uma grande obra de um dos mestres e criadores de um gênero. Snyder em sua estreia na direção fez isso de maneira empolgante e competente: sem tentar imitar o estilo de Romero, utilizou algumas das ideias do universo dos mortos e descartou outras.

O roteiro, de ninguém menos que James Gunn, também ajudou muito e as pequenas subversões do cânone romeriano funcionaram perfeitamente para atualizar o clássico: zumbis mais velozes e menos tapados e um final mais incômodo. No entanto, a essência permanece a mesma – um grupo de sobreviventes ao apocalipse zumbi que busca refúgio e tenta sobreviver dentro de um shopping center.

Se você assistir a cena de abertura do filme, com o take que vai abrindo o enquadramento aos poucos, mostrando a dimensão da catástrofe em um plano aberto, logo após os créditos iniciais que resumem o apocalipse em menos de três minutos e não se sentir fisgado pelo longa, talvez filmes de zumbi não sejam sua praia.

 

3 – Extermínio (28 Days Later…, 2002)

 

 

Antes de Cillian Murphy dar vida ao Espantalho em Batman Begins (2005), ele estrelou este maravilhoso filme dirigido por Danny Boyle a partir do roteiro de Alex Garland.

No longa ele é Jim, um jovem que acorda em um hospital após ter estado em coma. No entanto, o hospital está deserto, destruído e abandonado. Assim também está toda a cidade de Londres.

A cena de abertura do longa, que mostra ativistas ambientais libertando chimpanzés de um laboratório que fazia experimentos com uma mutação do vírus da raiva neles está ali somente para sedimentar a fonte da contaminação zumbi e justificar o título original do longa: Jim acorda para um mundo pós-apocalíptico 28 dias depois dessa primeira cena.

No entanto, é a sequência inicial de Jim que realmente deixa os espectadores impressionados – as primeiras cenas de Rick Grimes, no hospital, no primeiro episódio da série de The Walking Dead, certamente tiveram de onde puxar uma ou duas referências.

Além disso, o filme toma novas características ao longo da trama, tendo momentos de união familiar, uso de alucinógenos e, em seu terço final, uma conclusão bastante inesperada, surpreendente e diferente da que se esperaria para um filme de zumbis.

Novamente, talvez a inovação de Robert Kirkman tenha uma origem…

 

4 – Todo Mundo Quase Morto (Shaun of the Dead, 2004)

 

 

O primeiro e mais interessante dos filmes da Trilogia do Cornetto de Edgar Wright é uma paródia dos filmes de zumbi de um modo geral mas mais especificamente de Despertar dos Mortos.

No entanto, Shaun (Simon Pegg) e seu grupo fazem sua resistência não em um shopping center, mas sim em um pub inglês – o Winchester.

Toda a sequência de abertura do longa é dedicada em estabelecer a rotina da cidade, numa espécie de “apocalipse zumbi pré-apocalipse”, em que pessoas normais, não infectadas, participam de um cotidiano repetitivo e apático, pouco diferente do comportamento dos zumbis – como as cenas seguintes vêm a mostrar.

Um filme que abusa de elementos engraçados, piadas e situações desconfortáveis, Todo Mundo Quase Morto, no entanto, não cai no pastelão, mantendo um nível alto de reverência ao gênero de zumbis, realizando, mesmo entre gags e caretas, uma excelente crítica social e dos relacionamentos humanos, com tiradas sarcásticas e inteligentes.

Bem, nem sempre…

“Hey, me desculpa Shaun…”

 

 

5 – Invasão Zumbi (Busanhaeng, 2016)

 

 

Apesar de recente, o longa coreano que é mais conhecido pelos espectadores como Train to Busan é uma grata surpresa dentro do gênero de zumbis.

O estereótipo de zumbis aqui é o de “corredores”, aqueles velozes e praticamente indestrutíveis, que usam de qualquer meio e método para atingir seu objetivo, seja quebrar um vidro com a cabeça ou formar uma “onda zumbi” para superar algum obstáculo mais alto.

Na trama, Seok-woo (Yoo Gong), empresário obcecado por trabalho, leva sua filha de Seoul para Busan de trem, enquanto o apocalipse zumbi começa a se desenrolar na cidade.

As coisas se complicam para ele e demais passageiros quando uma pessoa infectada consegue entrar no trem.

Além dos dilemas vividos pelo típico grupo de sobreviventes que tenta chegar à cidade de Busan, elemento básico nos filmes de zumbis, o longa surpreende pela qualidade de seu ritmo e pelo clima de tensão magistralmente construído ao longo das cenas.

O final pode parecer um tanto óbvio para alguns, mas não deixa de ser corajoso e bastante em sintonia com o longa como um todo, fugindo um tanto dos finais esperados pelo público ocidental.

Elogiado por Edgar Wright, o longa ainda teve uma prequela animada lançada no mesmo ano, Estação de Seul (Seoul-yeok, 2016), que trata da história de um pai e sua filha desaparecida.

 

Bonus – Black Summer (2019 – atual)

 

 

Sugestão tanto do Lucas Souza quanto do Diego Brisse, confesso que ainda não conferi a série que tanto empolgou meus parceiros de Ultimato do Bacon.

A Dica de Streaming de Black Summer pode ser conferida aqui.

Ao que parece, o ritmo e a tensão da série são dignos dos grandes longas do gênero e o cânone destes zumbis vai para o lado, mais uma vez, dos “corredores” com alguma inteligência – o que torna o perigo para os sobreviventes ainda maior.

Com oito episódios e uma possível renovação para segunda temporada, é uma lição de casa que pretendo realizar muito em breve.

Alguém mais me acompanha?

Afinal, grupos sobrevivem por mais tempo ao apocalipse zumbi.

 

O que achou da nossa lista?

Deixe nos comentários suas sugestões a respeito!

E não deixe de conferir Zumbilândia: Atire Duas Vezes nos cinemas!

 

Zumbilândia: Atire Duas Vezes

Sinopse: Uma década depois de Zumbilândia se transformar em um hit cult, o elenco original (Woody Harrelson, Jesse Eisenberg, Abigail Breslin e Emma Stone) se reúne ao diretor Ruben Fleischer (Venom) e roteiristas Rhett Reese & Paul Wernick (Deadpool) para Zumbilândia: Atire duas vezes. Na sequência, esses quatro caçadores devem seguir através do hilário caos que se espalhou desde a Casa Branca até o coração do país, para novamente combater os novos tipos de zumbis que evoluíram desde o primeiro filme; e também lidar com alguns sobreviventes humanos. Mas, acima de tudo, eles devem lidar com os problemas de relacionamento que surgem em seu sarcástico e improvisado núcleo familiar

 

Trailer

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram

Facebook

Amazon


 

Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Quero participar

Notícias relacionadas

Indicando Lançamentos de Hqs Nacionais Na CCXP22

28 de Nov de 2022

Nós usamos cookies para garantir que sua experiência em nosso site seja a melhor possível. Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa política de privacidade.

OKPolítica de privacidade