Annabelle 3 – De Volta Para Casa  (Annabelle Comes Home)
Ano: 2019 Distribuição: Warner Bros
Estreia: 27 de Junho

Direção: Gary Dauberman

Roteiro: Gary Dauberman

Duração: 106 Minutos  

Elenco: Patrick Wilson, Vera Farmiga, Mckenna Grace, Madison Iseman, Katie Sarife, Steve Coulter

Sinopse: “Annabelle 3: De Volta para Casa é o terceiro capítulo da bem-sucedida franquia “Annabelle”, da New Line Cinema, estrelada pela infame boneca sinistra do universo de “Invocação do Mal”. Gary Dauberman, roteirista dos filmes “Annabelle”, “A Freira” e “IT – A Coisa”, faz sua estreia na direção do filme, com produção de Peter Safran (“Aquaman”), que produziu todos os filmes da franquia “Invocação do Mal”, e do criador do universo “Invocação do Mal”, James Wan (“Aquaman”). Determinados a impedir que Annabelle crie ainda mais caos, os demonólogos Ed e Lorraine Warren trazem a boneca possuída à sala de artefatos que fica trancada em sua casa, isolada em um local “seguro”, protegida por um vidro sagrado e com a benção de um padre. Porém, o que os espera é uma noite de horror, à medida que Annabelle desperta os espíritos malignos na sala, que voltam suas atenções a um novo alvo – a filha de 10 anos dos Warrens, Judy, e suas amigas.”

 

 

Diego Brisse

 

Invocação do Mal trouxe um certo frescor para filmes de terror para grandes públicos, mesmo tendo extrapolado um pouco os "poderes" do casal Warren no segundo filme. Fato é que o filme se tornou popular e virou uma franquia que hoje conta com sete filmes lançados: Invocação do Mal (2013), Annabelle (2014), Invocação do Mal 2 (2016), Annabelle 2 – A Criação do Mal (2017), A Freira (2018), A Maldição da Chorona (2019) e Annabelle 3 – De Volta Para Casa (2019). Isso sem falar nos vindouros Invocação do Mal 3 e O Homem Torto, e claro, dos curtas. Se bobear o CCU (Conjuring Cinematic Universe) vai ter tantos filmes quanto qualquer outro universo compartilhado nos cinemas. Uma grande característica da franquia é justamente conseguir atrair um público que geralmente não teria interesse nesse tipo de filme, talvez pelo fato de que mesmo se tratando do gênero terror, ter finais felizes, exceto Annabelle 2 – A Criação do Mal que teve um final mais tenso. E claro, não podemos ignorar que os sustos (jump scares) da franquia são bem acima da média, e isso o povo ama!

 

As cenas na sala dos artefatos são destaque no filme

 

Annabelle 3 mantém os mesmos elementos da franquia, o roteiro e a direção de Gary Dauberman são bem competentes e muito funcionais para a proposta do filme, que é entreter. O filme consegue manter uma atmosfera tensa desde os primeiros minutos, com um "prólogo" bem colocado e que estabelece melhor o que seria a boneca. Um grande destaque da franquia é a trilha sonora e como ela consegue manter a tensão durante o filme, sem precisar de efeitos sonoros escandalosos ou músicas que aumentam drasticamente quando quer assustar, mas que acabam irritando mais do que assustando. E como eu disse, a franquia sabe colocar bem os sustos, sendo sutil e exagerado nos momentos certos. 

A escolha em manter, mais uma vez, um elenco minimalista é um acerto. Judy (McKenna Grace), Mary Ellen (Madison Iseman) e Daniela (Katie Sarife) mesmo não sendo excelentes atrizes conseguem manter o tom e fazem o filme funcionar. Interessante que mesmo usando e abusando de clichês do gênero (e da franquia) o filme ainda consegue manter o interesse e maquiar os clichês ao fazer sutis alterações nas motivações dos personagens. A melhor coisa no filme foi explorar mais os artefatos do casal Warren. É a primeira vez que a franquia explora tanto, sem se aprofundar nos detalhes, a sala dos artefatos. Tem sequências inteiras na sala aonde podemos ver o básico de alguns artefatos que despertam curiosidade (muita no meu caso) e fatalmente vão ser explorados em outros filmes da franquia. E isso é bem legal, eu saí muito curioso para saber mais sobre "as moedas", o samurai, o cão e a "TV". Seria essa TV e sua cena uma referência ou homenagem a Poltergeist (1982)?

 

O trio protagonista do filme em momentos de tensão na sala dos artefatos

 

Mas deve ser dito que o filme tem sim seus problemas, na verdade continua insistindo nos problemas que a franquia tem. Ao mesmo tempo que acerta em explorar os artefatos, o filme falha em dar o devido tom de seriedade para a ameaça que cada um tem. Annabelle 3 não escapa do estigma da franquia e mantém as resoluções muito mais simples do que aparentavam, tirando o peso que o próprio filme coloca. Tudo bem, a franquia já assumiu ser filmes de terror com finais felizes, mas irrita um pouco em como tudo fica com um tom meio Scooby-Doo para adultos. Para piorar o filme coloca um personagem "grátis" que serve como ponte para alívio cômico bem ruim. Tudo bem, o filme em nenhum momento prometeu fazer diferente, pelo contrário, a proposta de se passar em uma única noite com duas adolescentes e uma "criança" enfrentando "as forças do mal" na casa dos Warren foi devidamente cumprida, mas não consigo deixar de me irritar com a alternância entre terror intenso e humor que os filmes da franquia geralmente trazem. A Freira (2018) foi uma vergonha nesse sentido… 

Annabelle 3 segue a fórmula da franquia, com sustos bem colocados e uma história redonda, adcionando alguns elementos sutis novos como a sequência "das moedas e caixões" (sem spoilers, mas fiquem atentos em como é interessante) e mantendo o interesse do público na franquia. A julgar pelo que vemos aqui, podemos esperar uns 666 spinoffs de Invocação do Mal e isso é bom! Filmes como esse são importantes para que a porta para filmes mais intensos do gênero como o excelente Hereditário (2018) se mantenha aberta. Posso afirmar que Annabelle 3 – De Volta Para Casa cumpre o que promete e vai entreter boa parte do público alvo. 

 

Avaliação: Bom!

 

 

Trailer

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram

Facebook

Amazon