Cobertura especial traz um pouquinho do evento que aconteceu de 03 a 05 de maio na sede do Paraná Clube na Vila Guaíra

por Fabio da Luz

 

 

Em 2019, um dos mais famosos eventos de Curitiba, o Shinobi Spirit, completou 10 anos. Com o intuito de celebrar a cultura pop geek oriental, o evento vem fazendo sucesso e agradando o público que vem conferindo ano após ano as atrações que são oferecidas, tendo como estimativa a participação de um público formado no total por 25.000 pessoas.

Contudo, é importante aqui eu ser franco com o nobre leitor, eu nunca havia prestigiado o evento.

A verdade é que como cidadão criado em Curitiba, eu precisava contornar essa falha e conhecer este grande evento da cidade.

E bom, o melhor momento em adentrar as minúcias da Shinobi Spirit foi agora quando a atração completou seus 10 anos.

Estive presente nos dias 04 e 05 de maio na sede social do Paraná Clube, onde o evento vem sendo realizado nos últimos anos, que é um local bem amistoso e relativamente perto dos bairros mais centrais da cidade. Não estamos falando aqui de um local que é afastado, de difícil acesso, mas sim de fácil localização e acesso.

Eu moro em uma região quase próxima do evento e consegui me locomover até a Shinobi Spirit em poucos minutos e gastando menos de R$ 5 reais.

O fator da locomoção e acesso a eventos é essencial para manter o sucesso, e acho muito importante ressaltar esse ponto positivo.

E como eu estava lá em meu primeiro dia na tão famosa Shinobi Spirit, precisei verificar quais eram as minhas possibilidades de entretenimento no local.

Outra confissão que devo fazer é que, dentro dos meus gostos envolvendo a cultura pop, acabo tendo a predileção aos conteúdos de super-heróis e demais voltados ao público ocidental, o que em um primeiro momento me fez achar que haveria pouca coisa que poderia realmente me interessar dentro do evento. Mas eis que vejo que estava bem enganado com os meus “pré-conceitos”, pois o evento abarca a cultura pop em geral, não somente a cultura dos animes e mangás.

É claro que vi lá um público bastante interessado e celebrando os seus personagens favoritos advindos dos animes, mas ainda sim eu pude conferir estandes com artigos envolvendo Harry Potter, Funkos Pops das mais diversas franquias, RPG, réplicas de espadas, games vintage de consoles como PSOne, Playstation 2, 3 e 4, Nintendo 64, Super Nintendo e muitos outros, acessórios para PC, pingentes, mangás, estátuas… ou seja, a sua avidez por qualquer tipo de cultura geek seria satisfeita no local.

 

Visão Geral

O primeiro estande onde acabei me demorando um pouco mais foi o que estava vendendo Funkos, pois tive que dar uma olhada em todos os “cabeçudinhos” que estavam lá e ver se não podia levar (mais) um para a minha coleção. Infelizmente só tinha um funko do Batman lá, mas a variedade era enorme, dando destaque aos produtos da franquia Vingadores, a sensação do momento.

Contudo esse estande não tinha somente Funkos, mas também action figures de vários animes, como Dragon Ball, Evangelion, Naruto, princesas da Disney e também dos personagens da Marvel.

Outro local que me chamou a atenção foi o de réplicas de espadas, trazendo alguns itens muito legais como a espada do filme da Mulher-Maravilha ou a espada do John Show de Game of Thrones. Fiquei muito tentado a levar a da Mulher-Maravilha para a minha noiva, que é colecionadora de Mulher-Maravilha, mas infelizmente quando tomei da decisão de comprar, o item já havia se esgotado.

Depois de conferir o que tínhamos no andar principal, comecei a explorar os demais andares, onde encontrei o palco secundário do evento, que contava com uma programação bem interessante, como por exemplo palestra sobre técnica de corte e modelagem de perucas para o público que gostava de cosplay, quiz sobre animes, dicas de maquiagem artística. Achei interessante que toda a vez que eu passava nesse palco, sempre tinha uma boa concentração de pessoas caracterizadas dos mais diversos personagens.

Além disso, os demais andares tinham também uma área para a galera que gostava da linha “PC Gamer”, mostrando jogatinas do game League of Legends, bem como havia a venda de acessórios para quem estava a fim de turbinar o seu PC.

Mas como a minha “praia” são os consoles, uma das áreas que mais me demorei foi na parte onde estavam instalados vários videogames vintage, com a disponibilidade para o público relembrar as jogatinas nos saudosos Super Nintendo, PSOne, PlayStation 2, Dreamcast e Mega-drive.

Também havia os consoles de última geração como Playstation 4, onde inclusive acabou acontecendo alguns campeonatos de jogos de lutas como Street Fighter V, Mortal Kombat XL e o recente game Jump Force.

Caso tivesse tipo um campeonato de Injustice 2, certamente teria entrado para testar as minhas habilidades com o Batman.

Na área dos console estavam também jogos do tipo de captura de movimento como Just Dance ou os recentes de realidade virtual, bem como tínhamos um estande para quem estava a procura de algum jogo usado para completar sua coleção. 

Após passar o meu tempo com os consoles antigos, continuei a explorar o evento e descobri que fora do ambiente onde estava o palco principal havia muito mais coisas a serem exploradas.

Passei por um local onde estava um estande de tiro com airsoft, outro onde tínhamos aqueles famosos “escape rooms” e chegando ao ginásio, vi que havia uma nova disposição de estandes com produtos para conhecer, que envolvia desde de mangás usados até prints de astros do K-pop.

O ginásio inclusive disponibiliza a possibilidade de você fazer uma tatuagem, tendo uma disposição em um mural de todos os modelos de tatuagens que você poderia fazer.

De volta ao palco principal, é importante ressaltar um dos pontos altos do evento que é o público em suas diversas caracterizações e cosplays, em sua maioria de franquias de animes, os quais confesso que muitos eu fiquei sem entender de onde eram (peço desculpas pela ignorância), mas ainda vi cosplays mais familiares para aqueles mortais que pouco se ligam às animações japonesas, como por exemplo Arlequina, o IT, Siri de Witcher 3, inclusive vi um Batman baseado na série de 66, mostrando a força do homem-morcego lá dos anos 60 no imaginário do público.

Essa parte dos cosplays sempre é uma diversão à parte, tanto para quem gosta de se caracterizar como seu personagem preferido, tanto para quem gosta de ficar observando e tirar foto com aquela pessoa que passou horas montando sua arte. E isso vale para todos os tipos de cosplays, daqueles mais elaborados até aqueles que foram feitos de improviso, ou ainda aqueles que envolvem um grupo de amigos ou mesmo um pai e seu filho, como no caso em que vi um pai e filho trajando os uniformes inspirados na franquia “Os Incríveis”.

E tendo em vista que o cosplay é uma das grandes atrações de qualquer evento que envolva o universo geek, a Shinobi Spirit disponibiliza local para os cosplayers se produzirem, bem como realizou um desfile e premiação dos melhores cosplays.

 

Alimentação

Mas em determinado momento a fome e a sede acabaram me chamando a atenção e fui buscar algo para comer. O local tinha um cardápio variado, que oferecia os alimentos básicos de eventos, como cachorro-quente ou pastel, indo para os orientais como yakissoba e chegando até as opções temáticas.

Dentro dessas opções temática, resolvi encarar o Mana Potion, que seguindo a tradição dos RPGs, iria em tese curar o meu nível de magia. Confesso que o sabor não me agradou muito, mas o visual da bebida era algo chamativo.

Já na parte dos alimentos, peguei algo indo mais para o tradicional que foi o Sith Burguer com Batatas, que era basicamente um hambúrguer que vinha com o pão na coloração vermelha, que estava bem saboroso, pois a carne não era aquela que compramos em supermercado já pronta e congelado, mas sim algo tendendo ao artesanal.

 

Palco principal

Devidamente alimentado, me propus naquele momento a acompanhar as atrações principais do evento que traziam espetáculos variados, como por exemplo workshop de K-Pop ou mesmo concurso de K-Pop.

Também foi no palco principal que vimos o desfile dos cosplays e o concurso para mostrar a melhor caracterização.

 

Painel JBC com Cassius Medauar

Dentro das apresentações que acompanhei com mais afinco e que foram também bem interessantes, posso destacar primeiro o painel da editora JBC, uma das grandes editoras de mangás no nosso país, que foi apresentado pelo gerente de conteúdo Cassius Medauar. A apresentação mostrou um panorama do conteúdo que estava sendo lançado pela editora no ano de 2019, dando destaque ao mangá Punpun, onde foi explicado ao público do que se trava a história, bem como todo o projeto gráfico realizado pela JBC do material que teve que ser desenvolvido exclusivamente para nosso país, o qual acabou tendo inclusive elogios do autor da obra.

Cassius ainda teceu comentários também sobre novos mangás, que também já estão com as suas primeiras edições disponíveis no mercado, que eram Rosa de Versalhes, Erased, Battle Angel Alita – Last Order e Tale of Fairy Tail – Ice Trail.

Além disso houve a apresentação dos próximos lançamentos que serão a versão kazeban de Fruit Basket e o mangá Ghost in the Shell 1.5.

Também houve a oportunidade da editora ressaltar que ela estava lançando mangás em formato digital, como por exemplo o título Overlord, Edens Zero e The Seven Deadly Sins!, sendo que esses dois últimos estavam saindo simultaneamente ao lançamento no Japão.

E por fim, Cassius ainda mostrou a capa completa da light novel do mangá Overlord e do rascunho da capa do mangá do Jaspion.

 

 

Detonator, o filho do Deus Metal

Após o painel da JBC, era hora de entrar no palco o famoso personagem criado pelo grande Bruno Sutter, o filho do Deus metal, Detonator.

Acredito que ele tenha sido uma das atrações que mais fizeram o público parar e dar atenção ao palco principal. E toda essa admiração do público não é gratuita, pois esse era um momento de enorme descontração e risadas dentro da performance de Bruno, que conseguia entreter as pessoas com um simples jogo de danças da cadeira ou mesmo cantando em japonês a música Pegasus Fantasy, tema de abertura do saudoso anime Cavaleiros do Zodíaco.

O filho do Deus metal ainda realizou um concurso de quem conseguia segurar por mais tempo uma nota musical, dando inclusive dicas para aqueles que queriam seguir o carreira como astro do metal.

Sem dúvidas a apresentação de Bruno Sutter foi uma das mais divertidas e que me fez em vários momentos dar aquelas boas gargalhadas.

 

Painel Crunchyroll

Outro painel de destaque durante o evento foi o do serviço de streaming Crunchyroll, que contou no palco com a Malu Arantes, especialista em mídias sociais na empresa.

Foi apresentado ao público os números relativos a plataforma, que conta com mais de 600 títulos de animes no Brasil, mais de 20.000 episódios e 45 milhões de usuários registrados pelo mundo todo.

O Brasil consta como o quarto maior país no mundo que assiste os animes do serviço.

A Crunchyroll aqui no Brasil vem cada vez mais investindo no público, legendando todos os animes disponibilizados e também investindo na dublagem de alguns deles.

Inclusive esse animes dublados pela empresa fazem parte de blocos diários no canal aberto Rede Brasil de Televisão, sendo no total seis horas de animes dublados por semana disponibilizado ao público graças a Crunchyroll.

Além disso foram ressaltadas outras formas de interação com o público, como por exemplo as premiações feitas pelo serviço, a programação junto a plataforma Twitch.tv e os games mobiles.

Tal qual o painel da editora JBC, a apresentação feita pela Crunchyroll foi bem informativo e contou com descontração junto ao público. No momento em que eu assistia a apresentação, a apresentadora falava sobre os animes do serviço e perguntava ao público quem já havia assistido eles, sendo que o garoto na minha frente levantou a mão em sinal positivo em todos os animes indagados, o que me fez suspeitar que eu estava diante do fã número 1 do serviço de streaming.

 

Flávia Saddy e a dublagem

Posteriormente, o palco principal recebeu a dubladora Flávia Saddy, que deu voz a personagens como Padmé Amidala de Star Wars e demais interpretadas pela atriz Natalie Portman; no recente filme da Mulher-Maravilha como a protagonista; como Lisa Simpson na clássica animação da família amarela da Fox/Disney e, mais recentemente, na febre dos games Overwatch, como a personagem Widowmaker.

Flávia contou um pouco da sua experiência e foi bem requisitada pela público no momento das perguntas, que envolveram assuntos como a carreira de dublador e a remuneração deste profissional, a forma como era possível ingressar nessa carreira e acabou dando uma palhinha de dublagem para aqueles que pediam que ela citasse uma fala de algum personagem. Esse último momento era um dos mais legais, pois algumas crianças no local ficavam realmente encantadas quando ouviam ela falar como Widowmaker ou Lisa Simpson.

Por fim, ela comentou que um dos personagens recentes que ela mais gostou de fazer foi a Mulher-Maravilha, visto a qualidade do filme e o momento atual onde vemos o empoderamento das mulheres, ressaltando que esse empoderamento não se trata de ser melhor que o homem, mas sim o momento em que as mulheres começam a ganhar igualdade de tratamentos.

 

Rick Cosnett e o seriado The Flash

E fechando os painéis do palco principal, pude conferir a participação do ator Rick Cosnett, que interpretou o personagem Eddie Thawne no seriado The Flash.

Antes mesmo do painel eu já havia visto Rick dando uma passeada pelo evento, onde ele estava conferindo a parte de games de realidade virtual e de quebra tirando foto com alguns fãs que o abordavam.

O ator de origem zimbabuano-australiano estava bem a vontade e se divertindo com a platéia que estava prestigiando-o naquele momento.

Devido a sua participação junto ao seriado The Flash, a maioria das perguntas foram voltadas para o tema de quadrinhos, assunto esse que Rick confessou que antes do seriado não era muito do seu interesse. Quando ele teve que fazer o teste para o papel de Eddie Thawne, precisou fazer a pesquisa sobre o universo do personagem Flash e assim começou a se interessar sobre quadrinhos.

Seu personagem morreu já no fim da primeira temporada, tendo o ator voltado para 4 episódios posteriormente, fazendo participações especiais. Mas ele confessou que gostaria de voltar a figurar como personagem regular na série, talvez inclusive como vilão dentro da história ou, quem sabe, um músico falido em alguma realidade alternativa.

Quando foi questionado se gostaria de viver um vilão original da série ou algum vilão famoso dos quadrinhos, Rick não exitou em dizer que “gostaria de viver um vilão que durasse muito tempo na série e não morresse cedo”, o que fez com que a platéia desse uma gargalhada.

Ele também chegou a comentar um pouco sobre o seriado do momento Game of Thrones e observou que, devido a seu físico, ele com certeza seria um Lannister dentro da série.

Além de Game of Thrones, Rick falou um pouco sobre outra franquia sensação do momento: os Vingadores. Tendo assistido o último filme, disse que adorou o que viu, ressaltando que havia chorado em determinadas cenas. Ele destacou o momento importante que os fãs de quadrinhos estão tendo com as produções em cinema e seriados, bem como o quão triste é ver as guerras dos fãs no tema DC versus Marvel.

Por fim, ele disse que adorou estar no Brasil e gostou muito de Curitiba, que a cidade lhe lembrou a sua terra natal, o Zimbabue, bem como o fato de que queria voltar logo ao país.

 

Encerrando

E assim, após ótimos momentos, acabei fechando minha presença junto a 23ª Shinobi Spirit, a primeira que havia feito a esse clássico evento da cidade e pude desfrutar de um programa muito divertido e agradável, que sabe muito bem atender ao seu público-foco e ser receptivo a qualquer tipo de interesse geek

Certamente me deu aquela vontade de voltar para as próximas edições e trazer mais alguns amigos junto.

E caso você que está lendo nunca tenha visitado o evento, recomendo para a próxima edição dar uma prestigiada junto a programação da Shinobi Spirit, pois com certeza você não vai se arrepender.

Como praxe minha, toda vez que participo de eventos geeks eu levo alguma lembrança do local, que geralmente envolve algum item do Batman. Assim, no último dia em que estive lá, eu voltei no estande onde havia visto as réplicas de espada e peguei um batarangue baseado no filme Batman vs Superman, conforme a foto abaixo. Toda vez então que olhar para esse item, poderei me lembrar dos bons momento dessa edição da Shinobi Spirit.

 

Shinobi Spirit

Mais informações

 

Fique ligado no Ultimato do Bacon para mais matérias sobre cultura geek em geral!

Confira também o conteúdo do canal Caverna do Morcego:

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da Amazon

Instagram 

Facebook

Amazon