por Lucas Souza

Dentre todos os Vingadores clássicos, temos um que sempre foi um barril de pólvora prestes a explodir: Feiticeira Escarlate. A heroína, uma vilã reformada, já fez de tudo e tudo aconteceu com ela: teve filhos que foram tomados, casou com um andróide, foi da irmandade de mutantes, trouxe Magnum de volta a vida apenas com a força de vontade.. Obviamente, tudo isso culmina em tragédia. Vingadores: A Queda e Dinastia M são os arcos que mostram toda a loucura e descontrole de Wanda Maximoff. “Chega de Mutantes”, lembra? Em paralelo a tudo isso, temos Os Jovens Vingadores. A equipe tem em suas fileiras dois garotos que podem ser os filhos perdidos da feiticeira: Billy Kaplan (codinome Wiccano, um feiticeiro) e Thomas Shepherd (codinome Célere, um velocista). Similar a Wanda e seu irmão Pietro, certo? A Cruzada das Crianças foi publicada originalmente em Avengers: The Children´s Cruzade #1- #9. No Brasil, a Panini publicou a saga em dois especiais chamados Vingadores Especial: A Cruzada das Crianças. A Salvat também publicou a história em Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel #66.

 

A Cruzada dos Jovens Vingadores afeta todo o Universo Marvel

 

A história se inicia com Wiccano mostrando-se cada vez mais poderoso e deixando os Vingadores cada vez mais preocupados. Afinal, qual limite de poder do adolescente de 16 anos e o quanto ele consegue controlá-lo? Para deixar os Heróis Mais Poderosos da Terra ainda mais preocupados, o jovem herói acredita ser o filho de Wanda – sumida desde os eventos de Dinastia M – e decide procurá-la. Desse ponto em diante, entramos em um debate entre o quanto os Vingadores podem intervir na liberdade desse jovem e o quanto eles devem fazer isso (levando em consideração que ele pode ser filho da feiticeira mais poderosa da Terra).

O ritmo da história é altamente viciante. É um daqueles tipos de leitura onde nossa bússola moral fica um pouco “bagunçada” e não sabemos exatamente para quem torcer. É fácil se pegar chamando os jovens heróis de burros e no momento seguinte estarmos a favor deles por conta do autoritarismo dos Vingadores (sem falar do extremismo de Wolverine). É uma daquelas leituras imprevisíveis que passeiam de forma  absolutamente gostosa por todo o Universo Marvel: da Latvéria a Mansão dos Vingadores, de Destino aos X-Men.  O possível retorno de Wanda é muito relevante e ela tem muito pelo que responder. E digo com muita tranquilidade: Wiccano dá uma das mais belas lições de moral no Capitão América e no Ciclope. A HQ já vale só por esse momento.

 

Um breve confronto entre os X-Men e os Vingadores mostrava o que estava por vir

 

Confesso que nunca admirei muito os Jovens Vingadores e nem apreciei suas histórias. Mas aqui eles são o fio condutor perfeito para mostrar mais da vida da Feiticeira Escarlate e como sua ações afetaram a todos no Universo Marvel. Temos confrontos épicos na história que não nos deixa respirar um minuto!  

Ritmo alucinante, confrontos épicos e emocionante. Tudo que gera um bom clássico. Infelizmente, tenho a sensação de que essa saga é menosprezada por ser uma história dos Jovens Vingadores. Mas ela é mais do que isso. Ela é a história de um Universo Marvel machucado e com pouca compaixão, que mostra o quanto a juventude, eventualmente, vê as coisas com mais clareza. Uma verdadeira aula de HQ´s que merece estar na estante de qualquer colecionador.

Obs. Prepare-se para muitas surpresas! Muitas mesmo! Avante, Vingadores!

 

 

Avaliação: Ótimo!

 

 

Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon