Escritor aceita com bom humor as críticas a seu trabalho em plena semana de aniversário do personagem

por Alexandre Baptista

 

Há exatos 80 anos chegava às bancas a revista Detective Comics #27, que trazia em sua capa a figura do Batman, desenhada por Bill Finger e idealizada por Bob Kane.

De lá pra cá, muita coisa mudou no cânone do Homem-Morcego, porém com uma constante: dos personagens da DC Comics, o Cruzado Encapuzado é um dos que se manteve menos alterado em sua essência e que menos precisou de reboots e revitalizações para continuar funcionando em tempos atuais.

Ainda assim, fases recentes de Ed Brubaker, Scott Snyder, Grant Morrison e Tom King chacoalharam um tanto o cânone do Morcegão, sendo a conclusão da fase de King uma das únicas criticadas pelos fãs por seu desfecho anti-climático e decepcionante.

A respeito disso, o próprio King se pronunciou no último dia 22 de março, através do Twitter, contando uma pequena situação ocorrida com ele no Uber, traduzida livremente aqui:

 

No Uber

-Você escreve BATMAN?!

Sim.

– Tipo, A Corte das Corujas? Amei aquela!

Não. Essa é do Scott Snyder.

-E Metal? Aquela é MUITO boa.

Também o Scott.

– Grim Knight?! Aquela é foda.

É mesmo, mas não.

– Ah. Qual você fez?

Você ouviu falar sobre o casamento?

(Longa pausa)

– Cara, por que você cagou aquilo?

 

O tweet original pode ser conferido abaixo:

Ao que parece, Tom King tem consciência de que o desfecho talvez tenha sido um erro de decisão, mas leva isso de maneira tranquila. Afinal, não é um arco que vai destruir um legado de 80 anos de histórias excelentes do personagem.

 

 


 

Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon