Terra X (Earth X) foi idealizada por Alex Ross depois que ele concluiu Reino do Amanhã para a DC Comics. Ross imaginou como seria um futuro semelhante para os heróis da Marvel e a partir de suas anotações Jim Krueger escreveu a saga, que contou com a arte de John Paul Leon. As 12 edições mais os especiais 0 e X foram publicados num encadernado aqui pela Panini num encadernado de 476 páginas.

Sinopse: “Grandiosos épicos não costumam surgir com frequência. Histórias que ampliam os horizontes e obrigam o leitor a pensar. Histórias tão poderosas em suas mensagens e tão extraordinárias em suas escalas, que os critérios pelos quais tais contos são normalmente julgados são completamente reformulados. Idealizada pelo consagrado ilustrador Alex Ross, Terra X é assim.

Junto do roteirista Jim Krueger e do artista John Paul Leon, Ross traz novo fôlego e acrescenta espetaculares novos detalhes a cada faceta da mitologia dos heróis e vilões da Casa das Ideias. A obra explora todo o Universo Marvel, de suas raízes em seu humilde surgimento, até o ápice de seu fabuloso potencial. Em um futuro alternativo distópico e inquietante, praticamente todos os habitantes da Terra desenvolveram habilidades sobre-humanas. Resta saber como esse novo status quo afeta os antigos heróis e a vida em todo o planeta. ​”

Já falamos sobre Reino do Amanhã (leia aqui), história desenvolvida por Alex Ross para contar o “final” do Universo DC. Depois do lançamento desta saga, Ross foi questionado sobre como ele imaginaria o final do Universo Marvel, dando origem ao que viria a ser conhecido como Terra X, este clássico que divide opiniões. Originalmente imaginada como o futuro do próprio universo 616, essa história foi eventualmente realocada para a Terra-9997​

Conheça a Terra X

Anos à frente no futuro dos personagens Marvel, a terra foi transformada, sendo povoada inteiramente por indivíduos com poderes. Uatu, o Vigia, está cego devido a um ataque. Para cumprir a missão de observar a história terrestre, ele então recruta o Homem-Máquina, X-51 ou Aaron Stack.

Terra X (1999) - Baú de HQs 1

Uatu cego escolhe X-51 como seu substituto para observar o desdobramento dos eventos em Terra X

Durante o treinamento de X-51 e através de seus embates filosóficos com Uatu, vamos desvendando o Universo Marvel desde seus primórdios, e qual o papel dos Celestiais em tudo isso. Aos poucos, X-51 narra para Uatu os acontecimentos presentes, nos mostrando como estão personagens como Steve Rogers, Reed Richards, Peter Parker no presente da Terra X.

X-51 narra diversas tramas paralelas ao longo das 14 edições que compõe a trama, até o momento em que elas começam a se interligar. Muito mais que o conflito físico enfrentado pelos personagens, o que verdadeiramente marca a trama são os diversos conflitos ideológicos apresentados. Entre os dilemas encontrados, o Capitão América se vê confrontado com a possibilidade da derrota diante do avanço das forças de um jovem conhecido como Caveira, que busca colocar o mundo inteiro sob seu controle mental. Reed Richards agora é um homem isolado consumido pela culpa. Mas o verdadeiro ponto central da trama é o combate ideológico entre o antigo e o atual vigia.

Sendo uma máquina programada para viver entre os humanos, X-51 se recusa a abandonar a própria humanidade enquanto Uatu tenta convence-lo de que esta não vale a pena. Conforme o treinamento prossegue, descobrimos verdades ocultas que ameaçam todo o universo, ao mesmo tempo que o vigia anterior revela sua verdadeira natureza. Entre debates sobre a natureza humana e seu propósito, seja ele natural ou determinado, é através dos diferentes pontos de vistas entre eles que a história se desenrola, até seu clímax.

A série conta com duas sequencias, Universo X e Paraiso X, sendo que esta última é uma das mais criticadas da trilogia, ao ponto de que não chegou a ter um final propriamente dito. Considerando sua “antecessora” Reino do Amanhã e o fato de que existem continuações a serem consideradas, o final desta saga é um pouco menos promissor do que aqueles com os quais estamos acostumados, deixando uma sensação de que o dia foi salvo, mas algo foi perdido pelo caminho, além de deixar algumas pontas soltas para uma resolução futura.

Fiquem ligados no Ultimato do Bacon para mais HQs clássicas no nosso Baú de HQs!


Créditos:
Texto: João Maia
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse
Matéria publicada originalmente em 23 de novembro de 2017. Atualizada em 21 de julho de 2020.

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!