Superman: Ano Um traz uma visão peculiar para o personagem visto que Frank Miller não é nem de longe o autor favorito dos fãs do Superman. Os maiores defensores do Homem de Aço têm pesadelos a noite com a surra que o escoteiro levou do Batman na icônica O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight Returns, 1986). Mas isso pode mudar, agora que o lendário escritor recebeu a chance de dar sua visão ao surgimento do último filho de Krypton!

Conheça a história de Superman: Ano Um

A primeira edição que já está nas bancas é com certeza a melhor de todas desta trilogia. A destruição de Krypton, o encontro do bebê Kal pelos Kent… tudo isso já foi visto antes, mas aqui tem um novo sentido. Aqui vemos como Clark vai descobrindo não só seus poderes, mas aos poucos tentando encontrar seu lugar no mundo. Ao mesmo tempo, Miller parece provocar os fãs de O Homem de Aço (Man of Steel, 2013) ao colocar Jonathan Kent como o compasso moral de seu filho, ensinando constantemente a se manter escondido, mas sempre o encorajando a aprender sobre o mundo e como mudá-lo para melhor.

É a melhor parte da série, mostrando um jovem Clark se deparando com seus primeiros vilões: não um milionário genial ou um imperador galáctico, mas bullies de colégio. Não são inimigos com uma fisiologia apta a combater todo o poder do Homem de Aço, forçando o jovem Kal a refletir profundamente sobre seu papel no mundo. É aqui que as conversas com Jonathan encontram seu caminho para moldar o futuro Superman.

A história começa a degringolar na edição 2, quando Clark resolve partir para o exército, para receber um treinamento que em teoria ele não precisa. Ao mesmo tempo em que ele segue seu plano de conhecer o planeta começando pelos mares, Miller traz de volta uma antiga paixão do Superman, quando o jovem herói em treinamento resolve utilizar seus poderes para conhecer os mistérios de Atlantis.

O treinamento militar de Clark e suas aventuras no oceano compõe toda a história da segunda edição, que no fim não parece acrescentar em muita coisa para a mitologia do Homem de Aço, mas servem como a parte intermediária da jornada até que o jovem rapaz do espaço criado no Kansas se transforme no símbolo que um dia ele será.

É na terceira edição que chegamos realmente ao Ano Um do Superman. Retornando à superfície, Clark decide cursar a faculdade de jornalismo e seu desempenho é bom o suficiente para que seus professores o coloquem no radar de ninguém menos que Perry White. É aqui que a história mostra como Clark chega até a cidade de Metropolis e decide estabelecer seu lar e sua vida dupla, ao mesmo tempo em que apresenta personagens que nos são tão conhecidos: a intrépida Lois, o esforçado Jimmy, e aquele que para muitos é o maior rival do herói, o ambicioso Lex Luthor.

Miller não perde tempo e eventualmente introduz também aqueles que um dia serão os principais aliados do Homem de Aço: Batman e Mulher Maravilha. A forma como eles são introduzidos deixa um pouco a desejar, mas não estragarei mais surpresas.

No fim, a visão de Miller é o que sempre foi: controversa. Mas longe de ser um problema, ela colabora para que a origem do Superman seja revitalizada. No geral, sua visão da infância do Superman é uma contribuição muito mais impactante para a saga, ainda que sua visão dos primeiros dias do herói em Metropolis também seja muito interessante de se acompanhar.

Superman: Ano Um - O Ultimato 1

Avaliação: Bom

Confira nossas avaliações dos outro títulos do selo Black Label!

 


Créditos:

Texto: João Maia
Imagens: Reprodução
Edição: Alexandre Baptista

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!