Ultimato do Bacon

Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker – O Ultimato

Em 22 de Ago de 2023 3 minutos de leitura

O ambiente militar mais engraçado e divertido das HQs revisita algumas de suas primeiras histórias na bela edição Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker. O luxuoso encadernado da Mythos traz, como o próprio nome diz, todas as tiras semanais e dominicais publicadas entre os anos de 1965 a 1967. Para mim foi uma leitura que me levou aos primórdios da infância pois me lembro de acompanhar as aventuras do recruta atrapalhado em publicações da editora Globo e editora Abril.

Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker chegou no final de 2022 com 336 páginas em preto e branco em um álbum de luxo. Para os fãs das divertidas tiras do quartel, é uma ótima pedida! Uma daquelas publicações que estão guardadas com muito carinho na coleção.

Dica para o leitor: Nunca tive uma relação de muita pesquisa com a principal criação de Mort Walker. Esse encadernado traz um ótimo prefácio que conta a história da concepção desse universo e ainda fala mais sobre os carismáticos coadjuvantes de Zero. Textos que, sem sombra de dúvidas, enriquecem ainda mais a leitura.

Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker - O Ultimato (1)

Sargento Tainha protagoniza ótimas tiras na HQ Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker

As Tiras da HQ Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker

As situações atrapalhadas de um quartel americano ganham os holofotes nas icônicas tiras de Mort Walker. Nesse lindo encadernado da Mythos temos todas as tiras publicadas entre 1965 e 1967. Apesar de adorar as histórias que entregam o protagonismo para o recruta Zero, devo dizer que as tramas envolvendo o Sargento Tainha tendem a me cativar mais.

O personagem durão alterna suas “aventuras” entre: pegar no pé do Zero, protagonizar situações envolvendo guloseimas ou fome e tomar decisões equivocadas. De todos os personagens desse universo, ele é o que mais me surpreende e mais me diverte.

Digo isso porque lendo esse volumoso encadernado da Mythos você terá contato com um inúmeras tiras e naturalmente vai perceber padrões. O Tenente Escovinha, por exemplo, está constantemente lidando com sua imaturidade/desconhecimento de questões práticas enquanto busca criar situações que alimentem seu ego. Já Zero aparece tentando burlar o “sistema” para se dar bem descansando e tirando sua soneca. Daí vem meu apego ao Sargento Tainha e sua imprevisibilidade.

Para minha alegria, o personagem protagoniza boa parte das tiras da edição e faz com que a leitura não se torne massante ou repetitiva.

Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker - O Ultimato (5)

A individualidade do Sargento Tainha aparece ao lado de sua fome em tiras da HQ Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker

Na minha memória não tínhamos tiras que mostrassem muito da vida fora do quartel. Fiquei muito surpreso quando vi nesta publicação algumas tramas que mostram Zero tendo que lidar com o pai de sua namorada!

A implicância do pai da moça com nosso protagonista diverte e vemos a insatisfação do sogro sendo representada em olhadas frequentes e caretas estranhas. Uma grata surpresa esse tipo de narrativa.

Apesar de ser um padrão que captamos facilmente, é inegável que as trapalhadas do Tenente Escovinha são engraçadas. Em algumas tiras ele se incomoda com questões mínimas como tamanho da mesa e hierarquia em momentos impróprios.

Em outra ele assume o comando de maneira mais prática e “mete os pés pelas mãos”. A graça aqui é sempre ver o que ele vai aprontar de errado – porque sabemos que ele vai errar!

Tenente Escovinha tenta se impor e ser admirado nas tiras de Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker

E é impossível encerrar sem falar do nosso protagonista, o Recruta Zero. O personagem parece ser a personificação viva do ditado “quero que o mundo se acabe em um barranco para poder morrer deitado”. A maioria dos problemas enfrentados pelo “esforçado” recruta são causados por sua própria preguiça.

A vontade de não fazer nada é grande e podemos dizer que ele é comprometido com a causa do ócio. Verdade seja dita: muitas vezes o ambiente “doido” do quartel coloca o personagem em situações estranhas mas me arrisco a dizer que essas são as exceções.

As interações entre Zero e Tainha rendem boas histórias. Em alguns momentos as ordens absurdas de Tainha são responsáveis pelo humor da tira. Em outros a vontade de “cabular trabalho” de Zero é o que cria o atrito. A relação meio “Tom e Jerry” funciona muito bem e é possível ler centenas de tiras com essa temática sem enjoar!

Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker - O Ultimato (4)

A inaptidão dos soldados é mostrada com humor na HQ Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker

Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker é uma publicação incrível para fãs de tiras e fãs saudosistas (como eu) que não tinham contato com esse universo a muito tempo. Fui lendo esse encadernado com calma em meus momentos mais curtos de descanso e a leitura simplesmente flui. Sem esforço vemos o tempo voar com as trapalhadas de Zero.

A Mythos acertou em cheio no editorial e acho que em um novo volume (espero que venha!) vale até trazer mais páginas informativas, pois isso ajuda a dar uma profundidade maior na leitura das tiras.

Uma bela edição para os fãs do gênero e do recruta trapalhão!

Avaliação: Excelente!

Compre Recruta Zero Omnibus 1965-1967 de Mort Walker Clicando na Capa Abaixo:


Créditos:
Texto: Lucas Souza
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse
Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!

Ultimato do Bacon YouTube

 


 

Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Quero participar

Notícias relacionadas

As melhores obras do mestre do horror – Junji Ito

30 de Dez de 2020

Nós usamos cookies para garantir que sua experiência em nosso site seja a melhor possível. Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa política de privacidade.

OKPolítica de privacidade