Na última terça, véspera de entrarmos no dia mundial da desconfiança, informações surgiram do que poderia ser uma verdadeira reviravolta no panorama dos quadrinhos, envolvendo a Panini e o Guia dos Quadrinhos.

Pirataria é um crime. Isso é um fato, e por anos as editoras que publicam materiais importados em versão brasileira tem estado em guerra com esses meios.

Sites de "scans", que pirateiam o material original – antes com traduções das editoras nacionais, hoje com traduções próprias – entraram já no início dos anos 2000 na mira dos setores jurídicos das editoras.

Em paralelo, o Guia dos Quadrinhos se tornou um segundo lar para todos os colecionadores ao disponibilizar informações completas sobre as publicações e também uma forma de que as coleções pessoais possam ser registradas.

Informações de cunho biblioteconômico, num trabalho magistral de catalogação coletiva de tudo o que já foi publicado no Brasil no setor de quadrinhos.

Na véspera do dia internacional da mentira, uma notícia sacodiu o mundo: a Panini Comics notificou judicialmente o Guia dos Quadrinhos para que desassociem suas propriedades do site por uso indevido de informações.

Em paralelo, um grupo responsável pela produção de boxes para guardar coleções também teria sido acionado. Há de se convir que a produção de boxes pode ser argumentada como uma maneira de obter lucro usando imagens registradas, porém o Guia dos Quadrinhos em si nunca visou o ganho pessoal de seus responsáveis.

Enquanto o próprio responsável pelo Guia dos Quadrinhos parecia estar na expectativa de uma brincadeira de primeiro de abril, diversos editores da Panini como Sidney Gusman, Fabiano Denardin e Levi Trindade foram acionados por seguidores, relatando não estarem a par de nenhuma ação.

As apurações do Ultimato do Bacon constataram a veracidade, ao menos, da existência do escritório de advocacia e do advogado responsável pela Panini no referido escritório.

No entanto, seguimos sem retorno dos mesmos que alegaram estarem trabalhando em situação de contingência, home office, e com a comunicação prejudicada.

A Posição da Panini

Na tarde de ontem, 1o de Abril, em uma comunicação informal, por meio das redes sociais, o editor Levi Trindade afirmou se tratar de um mal entendido que seria logo resolvido.

Ao mesmo tempo, os responsáveis pelo Guia se manifestaram, afirmando que a situação se encontrava sob controle e encaminhando-se para uma solução tranquila.

Seja como for, o Ultimato do Bacon segue acompanhando a questão, que gerou forte repercussão entre os colecionadores e profissionais da área e, assim como o Sobrecapa, declara total apoio ao Guia dos Quadrinhos, esperando como sempre que tudo se resolva da melhor maneira possível.

 

Atualização

Na noite de ontem a Case in Case postou em suas redes sociais as informações abaixo, acerca de um primeiro parecer do Tribunal de Justiça de São Paulo:

 

Panini e Guia dos Quadrinhos e Case in Case

 

 

 

Confira o vídeo do Sobrecapa:

 

 

 


Créditos:

Texto: João Maia
Imagens: Reprodução
Com contribuições de: Romulo Miranda, Júlio Ribeiro e Breno Raphael
Edição: Alexandre Baptista
 
Texto originalmente publicado em 02 de abril de 2020. Atualizado em 08 de abril de 2020.
 

 

Fique ligado no Ultimato do Bacon para mais conteúdos sobre Quadrinhos, Livros, TV, Streaming, Cinema, Música e muito mais!
 
 

Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Notícias Relacionadas: