Os Defensores

2017 – Netflix

3 Bacons

 

Sinopse: Os Defensores, nova série Original Netflix em parceria com a Marvel, foi liberada para os assinantes oficialmente no dia 18 de agosto de 2017 e é a culminação de todas as séries Marvel criadas juntamente com a Netflix, até o momento (Demolidor, Jéssica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro). Esse grande e esperado primeiro crossover, tem como principal antagonista a organização Tentáculo, já apresentado nas duas temporadas de Demolidor e principalmente na primeira temporada de Punho de Ferro.    

 

A ambientação e fotografia dos heróis protagonistas são dignos de elogios, principalmente no começo da série, onde o tom do ambiente muda de acordo com o personagem, evidenciando a diferença entre cada herói.

Os Defensores 1

Defensores e suas cores

 

O maior desafio da produção é justificar a união de heróis tão diferentes, mesmo que estejam em um universo estabelecido e compartilhado. O temor de transformarem a personagem Claire Temple (Rosario Dawson) em uma espécie de Nick Fury, foi por água a baixo. Todos os personagens possuem uma motivação diferente e totalmente alinhadas com a sua série solo para participarem da batalha contra o Tentáculo. Charlie Cox (Demolidor) e Krysten Ritter (Jessica Jones) roubam as cenas com diálogos interessantes e uma ótima dinâmica, já Mike Colter (Luke Cage) e Finn Jones (Punho de Ferro) desenvolvem melhor os personagens do que em suas séries solo, mostrando que uma série dos Hérois de Aluguel é possível e pode até já estar no radar da Netflix.

 

No núcleo dos vilões temos como principal antagonista a já anunciada Sigourney Weaver, no papel de Alexandra, a líder da organização Tentáculo, que possui como principal catalizador para seu plano diabólico a própria sobrevivência, juntamente com a já apresentada, Elektra (Élodie Yung). Por sinal a “nova” Elektra se torna uma das coisas mais interessantes da série, seu novo uniforme é puro fan service e a personagem é visceral e violenta igual esperamos e gostamos que seja.

 

A série comete o mesmo erro de “Punho de Ferro”, onde as coreografias de cenas de ação deixam a desejar, não são tão ruins quanto em Punho de Ferro, mas ainda estão longe das cenas vistas em Demolidor. Ação foi o que faltou em toda temporada, podiam aproveitar melhor as várias dinâmicas de personagens diferentes, até mesmo os secundários. Nenhuma aparição é gratuita, todos possuem um envolvimento com a história, mas talvez essa insistência em tornar “todos” importantes de alguma forma, prejudicou a ação.

 

Defensores é um conjunto de erros e acertos da Marvel/Netflix. Os quatro heróis funcionam bem juntos e se unem de uma forma muito natural e compreensível, continuando as histórias já contadas em suas séries solo. As coreografias das cenas de ação e até mesmo algumas incongruências (como por exemplo Punho de Ferro não conseguir mover Luke Cage em uma luta, enquanto um chute de Elektra deixa Luke desacordado por algum tempo) além da forçada inserção de Claire Temple em algumas cenas deixam a desejar, mas não prejudica a experiência e deixa boas pontas soltas para as próximas séries e temporadas já divulgadas (Justiceiro, Jessica Jones e Demolidor, será que teremos “A Queda de Murdock”?). Vale a pena conferir.

Os Defensores 2

Os Defensores