O Oceano no Fim do Caminho é uma das obras que provam a grande habilidade de Neil Gaiman. Utilizando uma poderosa narrativa, o mestre nos leva por uma incrível jornada embasada nas alegorias da infância.

Sinopse: “Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos.

Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.

Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano. ”

Saiba mais sobre O Oceano no Fim do Caminho

O Oceano no Fim do Caminho é sem dúvidas uma das minhas obras literárias favoritas. Que Neil Gaiman é um mestre na arte da escrita poucos ousam discordar. Na minha opinião, o que torna essa obra tão especial é seu olhar sobre a magia da infância, ao nos mostrar sob a perspectiva de um jovem narrador, que intercalam experiências de uma vida ordinária com o ponto de vista fantástico da imaginação (?) de uma criança.

O jovem narrador, de volta a sua cidade por ocasião de um velório. Ao visitar a propriedade dos Hempstock, ele começa a se lembrar de Lettie, sua jovem amiga de infância, a qual possuía um oceano no quintal de sua casa. Somos então levados de volta a uma fase muito especifica de sua infância.

Como indicado anteriormente pelo ponto de interrogação, o livro mistura o sobrenatural e as fantasias de uma criança tentando entender um mundo que lhe é estranho. Através da jornada do jovem narrador e das três mulheres Hampstock, como apresentados a várias analogias do que é ser uma criança diante de situações como a morte, o abandono e a traição, uma vez que para o menino, tudo ocorre de maneira fantástica e épica.

Sendo um jovem leitor declarado, o narrador é dotado de uma grande imaginação, que extravasa no decorrer do livro. No final das contas, cabe ao leitor decidir se os eventos transcorreram mesmo da forma como foram apresentados.

Num mundo onde o real e o imaginário são apenas uma questão de ponto de vista, a jornada se torna muito mais relevante que o destino final. Enquanto leem o livro, mantenham a mente aberta. Para todos aqueles que já deixaram de ser crianças, parem um momento e reflitam sobre as próprias memórias, tentem se lembrar de como as coisas pareciam diferentes naquela época.

Uma leitura rápida, simples e muito divertida, o Oceano no Fim do Caminho é uma obra indispensável para os fãs de Gaiman, mas também para qualquer um que aprecie uma boa história, que mesmo em sua simplicidade, não deixa de trazer à tona o lado épico das histórias.

“Deito-me na cama e me perco em histórias. Gosto disso. Os livros são mais seguros do que as outras pessoas mesmo. ”

  

O Oceano no Fim do Caminho - O Ultimato 1

Avaliação: Excelente!

 

Confiram outras dicas literárias aqui no Ultimato do Bacon!

 


Créditos:

Texto: João Maia
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse

Texto publicado originalmente em 07 de dezembro de 2017. Atualizado em 18 de abril de 2020.
Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!


 

Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Notícias Relacionadas: