Ultimato do Bacon

O que já vimos do Homem de Ferro de Dan Slott?

Em 4 de Mai de 2019 2 minutos de leitura

por Lucas Souza

 

Tony Stark está de volta! O “Fresh Start” da Marvel Comics restaurou o status quo do personagem – com tudo pronto para que o roteirista veterano Dan Slott (que ficou muito tempo a frente do Homem-Aranha) conseguisse iniciar seu trabalho sem amarras fortes ao passado.

A Panini Comics já trouxe as duas primeiras edições do título “Homem de Ferro” que vai publicar a fase do autor. Até agora temos as edições #1 a #4 da original americana “Tony Stark: Iron Man” reunidas nas edições brazucas.

 


“Tony Stark: Iron Man” é o título do Homem de Ferro comandado por Dan Slott

 

A proposta de Dan Slott fica clara desde a página 1 – e os desenhos de Valerio Schiti ajudam a ressaltar e encaixam com o tom mais cartunesco e leve que o autor propõe. Sinergia total entre os dois. Aqui temos de volta o Tony Stark fanfarrão que parece desafiar a morte a cada passo que dá – e tudo isso tem um motivo bem íntimo que Slott vai desenvolvendo de forma interessante nas primeiras 4 edições de “Tony Stark: Iron Man”. A Stark Limitada é onde a maior parte da história se passa com um  desenvolvimento interessante da equipe de Tony Stark e, logo de cara, já temos uma trama de traição envolvendo a chefe de segurança Bethany Cabe.

Slott não tem medo de abusar do fantástico e de enaltecer a personalidade e genialidade de Tony Stark. Muitas vezes beirando o ridículo, as situações que o autor propõe encaixam com o que ele deixou claro que ia fazer e tudo é, na pior das hipóteses, interessante e diferente para o leitor.

Na edição #3 da americana “Tony Stark: Iron Man”, por exemplo, ele mostra o novo programa de realidade virtual da Stark Limitada: o eScape – o que desencadeia uma trama inteira dentro do software. Por mais que, até o momento, a história ainda não tenha engrenado, Slott nos ganha com suas ideias completamente piradas que acabam chamando a atenção.

 


Histórias mais leves e com temas mais tecnológicos são a abordagem de Dan Slott para o Homem de Ferro

 

Um dos maiores debates da HQ até o momento está ligado aos direitos das Inteligências Artificiais enquanto indivíduos e Jocasta (sim, aquela construída por Ultron), funcionária da Stark Limitada, é uma das maiores pivôs do debate – o que acaba afetando Tony Stark mais do que esperávamos.

Nas primeiras edições, Dan Slott ainda achou espaço para deixar outros coadjuvantes brilharem como James Rhodes, o novo funcionário Andy Bhang, Armanda Armstrong (mãe biológica de Tony) e até a Vespa!

Slott escolheu um caminho diferente ao optar por criar uma série mais cartunesca e com temas mais voltados para o hipertecnológico. Isso, somado aos desenhos de Valerio Schiti, ajudam a série a criar um universo menos realista – o que não é um problema para o caminho que o autor escolheu. O grande trunfo de Slott até aqui é trabalhar temáticas tão diferentes e criativas que acabam despertando a curiosidade do leitor. Se o autor continuar nos surpreendendo, pode ser que a série do Homem de Ferro se torne muito querida pelos fãs.

 

Fique Ligado no Ultimato do Bacon para mais matérias e notícias sobre HQ´s!

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon


 

 

Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Quero participar

Notícias relacionadas

Ultimato do Bacon Editora

Ultimato do Bacon Editora

18 de Jan de 2021

Nós usamos cookies para garantir que sua experiência em nosso site seja a melhor possível. Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa política de privacidade.

OKPolítica de privacidade