O Chamado do Mal

Ano: 2018

Distribuição: Imagem Filmes

Lançamento: 06 de Dezembro de 2018

Direção: Michael Winnick

Roteiro: Michael Winnick

Duração: 90 minutos

Elenco: Bojana Novakovic; Josh Stewart; Delroy Lindo; Melissa Bolona;

Sinopse: “Quando Adam (Josh Stewart) aceita um emprego como professor universitário, ele e sua esposa grávida, Lisa (Bojana Novakovic), se mudam para um novo lar nos arredores da cidade. Tudo parece perfeito, até que Lisa sofre um aborto em circunstâncias misteriosas. ​Agora, ​ela se vê assombrada por uma entidade maligna que começa a atormentar sua vida, fazendo-a questionar sua sanidade. Lisa terá que lutar contra a razão para encontrar respostas e descobrir o que aconteceu com seu bebê.​”

Lucas Souza

Chegando aos cinemas brasileiros essa semana, Malicious ou O Chamado do Mal, é uma história de terror que parte de uma premissa básica que já vimos outras – muitas – vezes: um casal se muda para uma cidade do interior onde coisas horrendas começam a acontecer.

Clichê, se bem feito, não é algo necessariamente ruim. O problema é quando o filme assume que para ser terror ele precisa ter absolutamente TODOS os recursos comuns em um filme dessa categoria. E, eu prometo, está tudo ali. Crianças, jump scares, o “estranho” que sabe de tudo, o bonitão, reviravoltas óbvias, a bonitona burra, e muito mais. O desfile de recursos de terror, infelizmente, não salva o filme de ser mais um “filme pipoca” – divertido, esquecível e nada mais.

O principal ponto negativo do filme está nos diálogos: fracos e fakes, eles teimam em nos tirar do clima de terror durante toda a sessão e chegam a nos arrancar risadas em alguns momentos. Vale chamar atenção para a irmã da protagonista que protagoniza uma espécie de triângulo amoroso com o casal principal. A personagem – que não apresenta nenhuma função prática na trama – é um retrato da falha do filme em representar personagens críveis.

As relações humanas – e humor – dos personagens também são um caso à parte. O protagonista (interpretado por Josh Stewart) altera seu humor de forma pouco convincente e seu relacionamento com a esposa soa difícil de ser descrito – nem vou mencionar o relacionamento com a cunhada. O professor de matemática do oculto (vulgo estranho que sabe de tudo) é, talvez, o único personagem bem construído do filme, mesmo que seja clichê e cópia de outras produções. Diálogo, relacionamento entre os personagens e construção dos mesmos são os deslizes principais. A ambientação, história (clichê) e a ameaça são interessantes mas não funcionam sem que o filme crie relação entre público e protagonistas. Precisamos nos apegar e nos identificar com os personagens para que a história funcione

No fim das contas, se você quer mais do mesmo em termos de terror e só está preocupado em tomar alguns sustos e dar algumas risadas, Malicious (O Chamado do Mal) do diretor e escritor Michael Winnick pode ser uma boa opção. Para os que buscavam um terror mais crível e psicológico o filme pode decepcionar. A realidade – essa sim aterrorizante – é que temos tido cada vez menos filmes de terror que fogem da fórmula tradicional e se destacam em termos de qualidade e história entregando um produto realmente diferenciado.

 

O Chamado do Mal - O Ultimato 1Avaliação: Ruim!

 

 

O Chamado do Mal - O Ultimato 2

 

Separamos abaixo algumas dicas de leitura:

 

O Chamado do Mal - O Ultimato 3

 

O Chamado do Mal - O Ultimato 4

Para os itens acima, utilize o cupom PIPOCA15 e garanta 15% de desconto a mais

 

Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram

Facebook

Amazon