Mortal Kombat
Ano: 1995 Distribuição: Europa Filmes
Estreia: 29 de Setembro 

Direção: Paul W.S. Anderson

Roteiro: Ed Boon e John Tobias (games); Kevin Droney (roteiro)

Duração: 101 Minutos  

Elenco: Christopher Lambert, Robin Shou, Linden Ashby

Sinopse: “Após nove combates, sempre vencido por forças malignas, três relutantes lutadores: Johnny Cage (Lindsen Ashby), um astro de filmes de ação; Sonya Blade (Bridgette Wilson), uma agente especial; e Liu Kang (Robin Shou), um lutador; são mandados para uma remota ilha, onde enfrentarão mortais adversários em um torneio de kung fu no qual o destino da Terra está em jogo. Lá eles apenas têm a ajuda de Lord Rayden (Christopher Lambert), um mago, para orientá-los nesta difícil missão. ”

 

 

 

João Pedro Maia

Bem vindos ao Ultimato Retrô, uma coluna semanal aonde vamos falar sobre algum filme antigo que merece ser assistido (ou não!). Vamos viajar ao longínquo ano de 1995 para falar sobre o filme de Mortal Kombat.

Vamos começar com o básico antes que todo mundo pegue o balde do hate: o filme é de 1995, sua produção foi iniciada antes mesmo do lançamento de Mortal Kombat III. Muita coisa das quais estamos acostumados depois de mais de 20 anos de jogos, séries, animações, quadrinhos e tudo mais ainda estavam sendo estabelecidas. Então não, o filme não é ruim, e faz sim um ótimo trabalho de expandir a mitologia da saga.

O filme se passa durante a realização do Mortal Kombat que decidirá o destino do Reino da Terra. Shang Tsung (Cary-Hiroyuki Tagawa), o principal servo do imperador Shao Khan, está prestes a conseguir a sua décima vitória consecutiva e garantir ao imperador o direito de cruzar a fronteira entre o submundo e a terra, conforme estabelecido pelos deuses antigos.

Contra seus planos malignos, o deus do trovão Raiden confia em três poderosos guerreiros da terra para combate-lo, são eles: o monge exilado Liu Kang, que busca vingança em nome de seu irmão, a oficial Sonya Blade que está em busca do assassino de seu parceiro e o astro de Hollywood em desgraça Johnny Cage.

Como comentado anteriormente, o filme foi lançado no distante ano de 1995, quando efeitos especiais ainda não tinham atingido os níveis em que se encontram atualmente (e ainda assim temos algumas monstruosidades). Os efeitos visuais utilizados para os poderes de Sub-Zero e Scorpion não são dos melhores, mas as lutas no geral são muito bem coreografadas para a época.

É muito fácil criticar o filme hoje em dia, depois que a mitologia de Mortal Kombat se consolidou, e esquecer que a única forma de conhecer verdadeiramente a história dos games não era através de cutscenes (que convenhamos, muita gente pula), mas sim através de quadrinhos que não eram tão acessíveis. Sub-Zero e Scorpion tem um papel bem reduzido no filme (principalmente o guerreiro de gelo), mas sua lendária rivalidade e seu carisma e apelo para os fãs da franquia ainda não estava no patamar atual.

Quando se leva tudo isso em consideração, Mortal Kombat pode ser considerado uma das melhores adaptações de jogos para o cinema, e também uma excelente maneira de expandir o conhecimento sobre o universo que naquele momento ainda estava em estágios iniciais.

 

 

Avaliação: Ótimo!

 

 

Trailer:

 
 
 

Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram

Facebook

Amazon

 

 

 

Comentários