Mãe!
Ano: 2017 Estúdio: Paramount Pictures
Estreia: 21 de Setembro   Diretor: Darren Aronofsky
Duração: 121 min Elenco: Jennifer Lawrence; Javier Bardem, Ed Harris; Michelle Pfeiffer

Sinopse: “A relação de um casal é colocada à prova quando recebem hóspedes que não convidaram e que interrompem as suas tranquilas existências.”

Diego Brisse

Filmes abstratos, conceituais, são sempre difíceis de avaliar. Cada expectador interpreta de uma forma a mensagem transmitida, tornando a experiência tão íntima e particular que dificulta o diálogo. Mãe! é desses filmes que quando acaba, você precisa e quer falar sobre, mas não consegue expressar, leva tempo para absorver o impacto. Isso é maravilhoso! 

Aronofsky é mestre em narrativas que cativam o emocional do expectador, criando camadas de referências e imersão que te prendem se você estiver aberto à proposta. Para entender o conceito geral do filme como foi feito e todas as referências é importante ter conhecimento prévio de cultura religiosa e conhecer algumas outras coisas que fazem diferença, mas mesmo para os que não sabem nada disso, a mensagem mais importante é clara demais e tem impacto real na maneira em que vivemos. 

O filme consegue te manter numa situação angustiante, a maneira como a câmera segue a protagonista é incômoda e a ausência de trilha sonora chega a ser irritante. É um filme que exige imersão, platéia em silêncio o tempo inteiro e total atenção. As polêmicas que envolvem o filme são importantes para dar o significado, e não gratuitas apenas para polemizar, como faria um certo dinamarquês. 

Mãe! é um filme que considero importante, mas que é feito para um público muito específico e exige maturidade, é simbólico e cada um vai extrair um significado particular, apesar de ter tudo bem claro para quem olhar na direção "correta". Destaque para as excelentes interpretações de Lawrence e Bardem que com o movimento dos olhos dizem mais que mil palavras. 

 

Mãe! - O Ultimato 1

Avaliação: Muito Bom