Lugar Nenhum
Ano: 2016 Editora: Intrínseca
Páginas: 336

Autor: Neil Gaiman

Sinopse: “Em Lugar Nenhum, Richard Mayhew é um homem simples de coração bom que tem a vida transformada quando ajuda uma jovem que encontra ferida numa calçada. De um dia para o outro, Richard se torna invisível na Londres que sempre conheceu: não tem mais trabalho, não tem mais noiva, não tem mais casa. Para recuperar sua vida, ele se embrenha em um mundo que nunca sonhou existir, uma cidade que se abre nos esgotos e nos túneis subterrâneos: a chamada Londres de Baixo, em que personagens únicos e cenários mirabolantes fazem a Londres de Cima parecer uma mera paisagem cinza.​”

 

 

Diego Brisse

Lugar Nenhum foi concebida originalmente como uma série encomendada para a BBC. A série com seis episódios foi ao ar em 1996, contava com a participação do ex Doctor Peter Capaldi e como o próprio Gaiman diz no prefácio, “o que se via na tela simplesmente não era o que eu via na minha cabeça”. Lugar Nenhum também foi adaptada para Radio BBC com James McAvoy, Benedict Cumberbatch, Natalie Dormer, Christopher Lee entre outros no elenco e também se tornou uma HQ adaptada por Mike Carey e Glenn Fabry. Mas nada como a visão do autor…

Neil Gaiman é, para mim, o maior escritor de fantasia de todos os tempos! Ele consegue caminhar na linha tênue entre a realidade crua e a fantasia absurda. Em diversos momentos fica a sensação de que uma criança sonhadora escreveu o livro, trazendo o lado mais imaginativo do leitor.

O talento do Gaiman em desenvolver personagens com sutileza e profundidade enriquece a obra, ele é muito cuidadoso até mesmo com os menores personagens. As inspiração no clássico de Lewis Carrol é nítida, a trama segue de forma semelhante em vários momentos, parecendo uma reimaginação sombria, meio gótica da referida obra.  

Existe uma homenagem, uma declaração de amor à Londres por todo o livro, os locais são descritos com riqueza sem ser chato, a “brincadeira” com as estações de metrô e seus nomes é sensacional. O personagem Richard Mayhew é inocente, até meio abobalhado, trazendo tons de humor e ajudando o leitor a entender melhor o conceito do mundo subterrâneo, da realidade paralela que ninguém vê. Esse talvez seja o livro mais “explicadinho” de Neil Gaiman.

Lugar Nenhum pode não ser a melhor obra do autor, mas ainda assim é excelente, prende a atenção desde o prefácio e encerra de maneira digna, deixando saudade dos personagens e do mundo criado, e trazendo uma reflexão interessante sobre a vida comum.

OBS: Essa edição tem o pequeno conto Como o Marquês Recuperou Seu Casaco, que é divertida e simples servindo somente para matar a saudade da Londres de baixo. Saiba mais sobre essa edição aqui

 

Avaliação: Excelente!