Homem-Aranha: De Volta ao Lar (Spiderman: Homecoming) 
Ano: 2017 Distribuição: Sony Pictures
Estreia: 07 de Julho

Direção: Jon Watts

Roteiro: Jonathan Goldstein, John Francis Daley, Jon Watts, Christopher Ford, Chris McKenna, Erik Sommers (roteiro); Jonathan Goldstein, John Francis Daley (história).

Duração:  133 Minutos  

Elenco: Tom Holland, Michael Keaton, Robert Downey Jr.

Sinopse: “Depois de atuar ao lado dos Vingadores, chegou a hora do pequeno Peter Parker voltar para casa e para a sua vida, já não mais tão normal. Lutando diariamente contra pequenos crimes nas redondezas, ele pensa ter encontrado a missão de sua vida quando o terrível vilão Abutre surge amedrontando a cidade. O problema é que a tarefa não será tão fácil como ele imaginava.”

 

Homem-Aranha: De Volta ao Lar - O Ultimato 1

 

 

João Pedro Maia

O momento que todos estavam esperando: Peter Parker, o Homem-Aranha finalmente de volta ao lar (trocadilho intencional). Depois de anos aguardando, o lança teias finalmente fez sua estreia em meio a batalha de Guerra Civil e agora lançava suas teias solo.

Esse é um filme que me divide até hoje, sendo que gosto de descrevê-lo como o melhor filme de que eu não gostei. E explico:

Finalmente pude ver na tela o Homem-Aranha que sempre esperei, um jovem adolescente aprendendo a lidar com seus poderes e com a vida no colegial. O núcleo da escola ficou razoavelmente bem feito, sendo que muitos que leram os quadrinhos Ultimate poderão fazer paralelos com a fase de Miles Morales. Aqui não temos a morte do Tio Ben retratada novamente, mas talvez uma menção a mais tivesse sido o bastante; não precisava matar o velho de novo, só demonstrar o impacto que ela teve na vida do Peter.

Ao invés das palavras motivadores do homem que o criou, Peter vive com um único objetivo de vida: agradar a Tony Stark. Parte do acordo entre Marvel e Sony envolvia usar personagens do MCU no filme do Aranha e o escolhido obviamente foi o grande Homem de Ferro.

Entretanto esse acabou sendo um dos maiores pontos fracos do filme: o jovem Homem-Aranha que sempre se esforçou até o limite para que ninguém precisasse passar pelo que ele passou quando perdeu seu tio, além de carregar a culpa pela morte do mesmo, agora é só um garoto tentando desesperadamente chamar atenção. O que o torna irresponsável e um perigo para si mesmo e para os outros.

Do outro lado, temos um dos melhores vilões do MCU, visto que em alguns momentos é até mesmo difícil considerá-lo um vilão. Diferentemente de sua contraparte nos quadrinhos, Adrian Toomes aqui não é meramente um vilão egoísta, mas um homem preocupado com o sustento de sua família (que eventualmente se torna um pouco egoísta).

No geral, o arco de Peter para se tornar um herói melhor é um grande passo para frente do filme. O fato de que ele faz isso para impressionar o Stark é um grande passo para trás. No fim das contas, o filme é muito bom, tendo diversos pontos positivos como a própria atuação de Holland como um colegial que ganha poderes acidentalmente, assim como seus amigos todos estão bem representados (talvez até caindo um pouco nos clichês de colegiais americanos, mas bem, eles eram assim nos anos 60).

O vilão ganha muitos pontos e bastante destaque por sua postura e personalidade, ainda mais quando consideramos diversos outros vilões pálidos e de motivações fracas que dividem este universo.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar tropeça várias vezes mas, no fim, se lança sem medo pelos céus do UCM.

 

 

Homem-Aranha: De Volta ao Lar - O Ultimato 2

Avaliação: Ótimo!

 

 

 

Trailer:

 
 
 

Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram

Facebook

Amazon