Eight Billion Souls de Eduardo Lira é o quarto álbum solo instrumental do guitarrista, hoje na nossa Playlist!

 

Eight Billion Souls de Eduardo Lira é um lançamento fresquinho, agora de Agosto de 2020, em plena pandemia.

Antes de falar do álbum, acho interessante lembrar que gostar de rock no Brasil é uma aventura para corajosos – a menos que você more em locais muito, muito específicos como São Paulo, capital.

No entanto, ser músico desse gênero é ainda mais difícil. Quer piorar o jogo? Experimente ser músico de metal. Guitarrista então? Eita…

Não é só porque o cenário é um nicho minúsculo e super saturado. É porque o brasileiro em geral joga, pra além dos clichês negativos com o gênero e seus adeptos, toda a síndrome de vira-latas que existe no mundo em cima dos músicos brasileiros do estilo.

Afinal, o rock é dos ingleses e dos gringos. Brasil, Brasil mesmo, é samba pô!

Então, tendo isso em mente, já declaro de saída que Eight Billion Souls de Eduardo Lira é um trabalho heróico, só pelo fato do guitarrista lançar um álbum solo e instrumental, de metal, em pleno Brasil da pandemia.

.

Eight Billion Souls de Eduardo Lira – o álbum

Com 9 faixas, o álbum conta com participação especial do pai de Lira, Osvaldo Barbosa e também do filho Eduardo “Lira” Barbosa. A banda de apoio contou com participação de Wagner Cappia, William Tassi, Jonathas Cherem (teclados); Andress Santos e Rapha Harley (baterias).

Eduardo Lira gravou também os baixos e produziu o disco, que foi gravado no EL Studios em Juiz de Fora.

Logo de cara, dá pra sacar que a qualidade de produção é grande. Não fica devendo nada para álbuns instrumentais de gigantes como John Petrucci em seu Suspended Animation (2005) ou Get Out of My Yard (2006) de Paul Gilbert.

.

Eight Billion Souls de Eduardo Lira – as faixas

No faixa a faixa, Eight Billion Souls de Eduardo Lira abre com Once, um belo petardo que dá logo as cartas do estilo de música que vai ser encontrado ao longo do álbum. Confesso que o timbre do teclado foi um tanto inusitado e pouco esperado para mim nesta música que é uma das mais empolgantes do disco.

Em Spiritual Manners, Lira segue com sequências e riffs avassaladores e a composição de maneira geral tem uma pegada de sequência de ação de anime. Confesso que achei a música bastante farofa – no bom sentido – especialmente quando entra um tenor de fundo.

Abaddon dá sequência ao álbum com um estilo que lembra um tanto passagens e timbre usados pelo Dream Theater no início da carreira. Se não é uma homenagem proposital, não digo mais nada!

Eight Billion Souls de Eduardo Lira segue com Neural Tormenta – uma das que mais gostei no disco todo, com uma pegada upbeat que deixaria Joe Satriani orgulhoso e sequências de arpeggios que impressionam.

Em Spread the Doubt o álbum dá um respiro dos riffs mais virtuosos em uma faixa mais levada – ainda com pegada, mas menos velocidade.

Cold Night é a “balada” de Eight Billion Souls de Eduardo Lira, uma das composições mais sólidas do álbum como música completa.

Outra das grandes composições do álbum é Erased, que tem uma linha melódica de bastante qualidade – o que eu particularmente acho importantíssimo em um álbum instrumental vez por outra, para quebrar a inércia mecânica de músicas mais técnicas.

Eight Billion Souls, a faixa-título, chega como penúltima música e mostra porque leva o mesmo nome do álbum. É a melhor música do disco, com tudo certinho: linha melódica, parte técnica, produção, timbres. Talvez a única crítica a ela seja o timbre da bateria. Mas é um detalhe pequeno em uma faixa excelente.

Para mim, o excelente álbum de Eduardo Lira termina por aqui. Um dos grandes problemas de álbuns instrumentais de guitarristas – falo de todos eles, de Steve Vai, Eric Johson, Yngwie Malmsteen, John Petrucci, Paul Gilbert – é que as composições funcionam de modo a priorizar a guitarra.

Dificilmente uma música desses álbuns solo figuraria nos discos de suas bandas completas.

Na última música, Gate MMXX, fica para mim a prova do porque. A faixa tem uma ideia bacana, mas simplesmente não funciona.

Novamente, um detalhe pequeno num álbum que realmente mostra um trabalho competente e poderoso no cenário do metal brasileiro. Apesar de não ser algo cutting edge em termos de criação, demonstra toda a força e habilidade de Eduardo Lira à frente da guitarra e deve agradar bastante os fãs de metal.

.

Capa de Eight Billion Souls de Eduardo Lira

Eduardo Lira – Eight Billion Souls

1 – “Once” (03:45)
2 – “Spiritual Manners” (2:45)
3 – “Abaddon” (03:18)
4 – “Neural Tormenta” (02:45)
5 – “Spread the Doubt” (3:33)
6 – “Cold Night” (02:02)
7 – “Erased” (03:45)
8 – “Eight Billion Souls” (4:42)
9 – “Gate MMXX” (6:37)

Tempo Total: 32:54

Ouça no Spotify e confira outras matérias e críticas na Playlist!


Créditos:
Texto e Edição: Alexandre Baptista
Imagens: Reprodução/Divulgação
Eight Billion Souls de Eduardo Lira - Playlist 1

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!