Ultimato do Bacon

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura – O Ultimato

Em 3 de Mai de 2022 4 minutos de leitura
Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (3)

As portas para o Multiverso foram abertas nessa nova fase do Universo Cinematográfico da Marvel. Depois de flertar sutilmente com o tema em outros filmes, em Homem Aranha Sem Volta Para Casa abriram a porta de vez. Em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura o tema é aprofundado e vemos uma nova perspectiva do que pode vir nessa nova fase, com o universo cósmico e o Multiverso assumindo o pano de fundo das narrativas.

O filme que conta com pouco mais de duas horas de duração, tem o ritmo acelerado e consegue entregar surpresas e frustrações, mesmo após tantos vazamentos e especulações.

Os heróis enfrentam grandes desafios em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura

Índice

A Trama de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura

O filme se passa após os eventos de Homem Aranha Sem Volta pra Casa, que estabeleceu a relação de Stephen Strange com o Multiverso. Na trama, Strange ajuda a jovem America Chavez, que está sendo perseguida pelo Multiverso.

Não dá para falar muito da trama sem entregar spoilers. Logo nos primeiros 20 minutos já temos tudo bem estabelecido, o vilão, suas motivações, quem é porque America Chavez está sendo perseguida.

O maior destaque é o trabalho de Sam Raimi, que imprime muita identidade no filme. Logo no início já é possível captar todo o estilo do diretor, não seria nada impossível vermos seu Homem Aranha (Tobey Maguire) participando da primeira cena de ação na cidade.

Mesmo com o tom leve e divertido, o filme deixa para desperdiçar o tempo com piadas logo no início e tenta se levar mais a sério, dentro do limite Marvel.

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (4)

America Chavez é o personagem que move a trama

É sensacional ver como Raimi mesmo em um filme Marvel consegue colocar momentos de tensão dignos de filmes de terror mais leve. Em diversos momentos temos cenas “clássicas” de terror, perseguições “malignas” e mortes bem dignas do estilo, sem nenhuma violência gráfica de fato.

Sam Raimi deu aula e conseguiu elevar o filme além do esperado, mostrando que é possível equilibrar um estilo visual mais denso com o estilo mais colorido da Marvel.

Benedict Cumberbatch continua perfeito como Stephen Strange, é de fato um ator cuja qualidade profissional é impecável. Fiquei muito satisfeito de ver finalmente a Wanda como Feiticeira Escarlate, atingindo seu verdadeiro status de poder. Se tivesse a Feiticeira Escarlate em Guerra Infinita, Thanos não teria a menor chance!

America Chavez funciona como o McGuffin do filme. Confesso que a personagem é de uma época recente nos quadrinhos, eu não a conhecia, portanto não sei dizer sobre a fidelidade dela em relação ao personagem original. Em Multiverso da Loucura ela cumpre bem seu papel em mover a trama, mas é pouco expressiva no geral e não temos tempo de gostar ou desgostar da personagem.

Em Multiverso da Loucura temos mais destaque para Strange e Wanda. O filme segue direto as consequências da série Wandavision, tornando a série bem importante de assistir antes do filme, para que possamos entender a personagem.

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (3)

Wanda atinge o limite do poder em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura

Um destaque legal são os embates! É difícil superar algo como a luta entre Thanos e Strange que vimos em Guerra Infinita, mas aqui fizeram um esforço bacana. Wanda e Strange usam seus poderes bem a vontade e por mais que tenha faltado algo mais surpreendente, o filme consegue entregar ótimas cenas.

O vilão tem um nível de poder bem alto e entrega um massacre de arregalar os olhos! Personagens poderosos passam vergonha e duram pouco nas mãos do vilão.

Não falarei sobre as tais participações e milhares de easter eggs para não estragar nenhuma surpresa, mas fui surpreendido. É válido ressaltar que a experiência de ver um filme sem nenhum spoiler é incrível e emocionante.

Qual a graça de ir ao cinema ver um filme aonde já sabemos de tudo? Imagina se tivéssemos sido surpreendidos com a presença de Tobey Maguire e Andrew Garfield em Homem Aranha Sem Volta para Casa?

O que me incomodou em Multiverso da Loucura…

Para variar um pouco, não tenho como relevar alguns problemas do filme. Mesmo com uma direção exemplar de Sam Raimi, ótimas atuações (dentro da proposta do filme) de Cumberbatch e Olsen e um estilo um pouco diferente da tradicional fórmula Marvel, o filme tem problemas.

Mesmo com as cenas no estilo terror, o tom do filme é excessivamente leve! Eu entendo que não sou mais o público alvo, que o filme deve levar as crianças ao cinema também, mas é difícil comprar a ideia de que o vilão é uma ameaça implacável.

Por mais que tenhamos mortes bem cruéis para o padrão Marvel, eu assisti o filme com a certeza de que no final todos seriam felizes para sempre. Fica aquele gostinho azedo de sessão da tarde rebuscado…

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura

Outro ponto são as já tradicionais incoerências e coincidências. Para os mais exigentes, sobram perguntas e faltam respostas. Se fulano podia fazer isso, por que não fez antes? Se pode fazer desse jeito, por que fazer do difícil?

São os tradicionais “porquês” que podem ou não acabar com o filme em minutos. Mas isso é picuinha de chato, podemos relevar tranquilamente, visto que boa parte nem atrapalha tanto e favorecem o filme como um todo. E afinal de contas, quantas escolhas e atitudes intelectualmente questionáveis não tomamos no dia a dia, não é mesmo? Talvez isso seja o lado realista do filme…

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (1)

Vale a pena assistir Doutor Estranho no Multiverso da Loucura?

Doutor Estranho no Multiverso da Loucura entrega um tempero a mais na já cansada fórmula Marvel, com cenas mais tensas e até um ou outro jump scare no melhor estilo terror blockbuster. A escolha de Sam Raimi foi como diretor foi mais do que acertada e engradece demais o filme.

É bom termos em mente que a Marvel já tem mais de 20 filmes, algumas séries, especiais e curtas, o que dificulta na hora de inovar. Isso exige uma certa paciência de nós, em especial os mais velhos, que já vimos e lemos tantas e tantas coisas. 

Destaque para a excelente trilha sonora de Danny Elfman! 

Quer conhecer mais o Doutor Estranho? Confira nossa matéria especial com Os Maiores Inimigos do Doutor Estranho clicando aqui!

Ultimato do Bacon

Avaliação: Ótimo!


Créditos:
Texto: Lucas Souza
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse
Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!


Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Quero participar

Notícias relacionadas

Otto rouba a cena minions 2

Minions 2 a origem de Gru (2022) – O Ultimato

29 de Jun de 2022

Nós usamos cookies para garantir que sua experiência em nosso site seja a melhor possível. Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa política de privacidade.

OKPolítica de privacidade