Ultimato do Bacon

Lucifer (Netflix) – Dicas de Streaming

Em 11 de Set de 2021 3 minutos de leitura
Lúcifer sentado na sua icônica poltrona no seriado da Netflix

A dica de Streaming da semana vai para os amantes de humor negro assinantes da Netflix. Com um tom suave e levemente bobo, Lúcifer é uma boa pedida para os fãs de séries policiais com inclinação para o sobrenatural. O humor negro e não apelativo do seriado fazem com que ele seja perfeito para ser assistido sem muito esforço mental – o que o programa quer que você repare ele faz ficar óbvio na tela.

Saiba mais sobre Lúcifer

Dita como sendo baseada na HQ homônima da Vertigo, Lúcifer só aproveitou de sua co-irmã dos quadrinhos o nome, a premissa básica e alguns de seus personagens mais conhecidos. A história pesada, cínica e com toques constantes de terror e suspense não dá as caras no seriado que aproveita a premissa para criar um ambiente mais leve e característico da TV aberta. Mesmo assim, Lúcifer tem no humor negro e em piadas mais picantes suas principais armas. É mais leve do que a obra original, mas não aconselhado para crianças.

Tom Ellis dá vida a um Lúcifer totalmente diferente dos Quadrinhos de Neil Gaiman

Assim como nos quadrinhos homônimos, o seriado se inicia com o protagonista Lúcifer Morningstar morando em Los Angeles (sim, a cidade dos Anjos) e comandando uma casa noturna na cidade. Entediado e cansado de suas obrigações “infernais”, o clube Lux é seu novo domínio. Infelizmente, não há o envolvimento de Morfeus nessa situação.

Após presenciar o assassinato de uma conhecida, o protagonista se envolve com a detetive Chloe Decker (Lauren German) para resolver o caso. Sua relação com a Polícia e com a detetive Decker são os motores da série ao lado de seu irmão anjo Amenadiel (D.B Woodside) que foi enviado para fazer o protagonista retornar aos seus infernais domínios.

A série não possui nada de inovador. Ela segue a fórmula de “mistério da semana” impulsionada normalmente pelos casos da detetive Decker e tem no núcleo divino, com Amenadiel sendo o personagem recorrente, a trama mais longa que desencadeia as verdadeiras viradas da série. É o envolvimento do mundo celestial com o mundo humano que cria os arcos abordados em cada temporada.

O que torna Lúcifer interessante é a atuação carismática de Tom Ellis no papel principal. Cheio de trejeitos e frases de efeito bíblicas, o Lúcifer do ator alterna momentos cômicos e ameaçadores durante a série – digno de um bom psicopata. Os poderes do protagonista também são variados e criam situações inusitadas em todo o seriado: super forte, controle mental, mudanças leves de aparência e outras dão as caras. Os diferentes poderes “especiais” entre os anjos dão uma dose extra de emoção aos embates.

Mesmo sem o personagem título, a série já teria nos seus coadjuvantes a receita para cenas inusitadas. Destacam-se o detetive e ex-marido de Decker Dan (Kevin Alejandro), a demônia acompanhante de Lúcifer Mazikeen (Lesley-Ann Brandt), a psicóloga do protagonista Linda Martin (Rachel Harris) e a filha pequena de Decker, Trixie (Scarlett Stevez). As relações dos protagonistas com a figura do personagem principal variam e surpreendem adicionando um elemento extra na série. Por mais interessante que seja a atuação de Tom Ellis, esses elementos são primordiais para que a trama funcione e nos faça querer ver os próximos capítulos.

Lúcifer confronta seu irmão Amenadiel na 1ª temporada do seriado

A série poderia estar facilmente dentro do universo da CW – composto de Flash, Legends of Tomorrow, Supergirl e Arrow – dado seu tom. Os esforços empenhados pela CW para incluir o personagem no crossover da Crise nas Infinitas Terras deve ter sido imenso, porém, foi super interessante ver o encontro desse Lúcifer com o Constantine. Um encontro verdadeiramente memorável.

Iniciada em 2015 na Fox, a série foi cancelada após 3 temporadas e apenas 57 episódios. Apesar da legião de fãs, a série encontrou seu fim no canal em uma espécie de “pacotão de cancelamentos” que contava com outras séries amadas, como Brooklyn 99.

Para sorte dos fãs, a série encontrou sua nova casa apenas 1 mês depois do cancelamento: a Netflix. Com a mudança de “canal”, a série perdeu um pouco do formato procedural, passando a ter a quantidade menor de episódios já associada a plataforma, aumentando o destaque para a trama da temporada e perdendo menos tempo com os ditos “fillers”.

Na Netflix, a série recebeu mais 3 temporadas, concluindo-se agora na sexta temporada, mantendo em todo o tempo seu tom de humor acido, mas adicionando também momentos emocionantes que apenas colaboraram para tornar essa serie um passatempo digno de ser visto.

Lucifer está disponível na Netflix. 

Confira também nossas outras Dicas de Streaming!


Créditos:

Texto: Lucas Souza
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse
Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!


Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Quero participar

Notícias relacionadas

Nós usamos cookies para garantir que sua experiência em nosso site seja a melhor possível. Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa política de privacidade.

OKPolítica de privacidade