por Lucas Souza

 

A cidade engarrafada de Kandor é um dos grandes elementos que permeiam a mitologia do Homem de Aço. Criada em 1958 na revista “Action Comics” #242 por Otto Binder e  Al Plastino, a cidade em miniatura é reconhecida nos dias de hoje por ser uma grande cidade de Krypton que foi abduzida por Brainiac pouco antes do planeta do Superman explodir. Nessa cidade em miniatura temos milhares de kryptonianos que escaparam da morte e habitam a diminuta cidade que normalmente fica na Fortaleza da Solidão. Na maioria das versões dessa história, o Homem de Aço promete restaurar a cidade ao tamanho real e libertar seus habitantes. Infelizmente para a cidade de Kandor, isso não acontece.

A maioria dos fãs de HQ já ouviu falar na história intitulada “Superman: Brainiac” de Geoff Johns e Gary Frank. A história reimagina o legado do vilão Brainiac e o reintroduz no universo DC em 2008. O arco, publicado originalmente em “Action Comics” #866 – 870 nos EUA e algumas vezes em capa dura no Brasil com o nome supracitado, traz a morte do pai de Clark Kent e o retorno da cidade engarrafada de Kandor à vida do Homem de Aço. O que difere essa premissa das outras é que dessa vez o processo de miniaturização é revertido e, de uma hora para outra, a Terra ganha quase 100.000 novos habitantes kryptonianos, tão poderosos quanto o Superman. Cuidado com o que deseja, certo?

 

“Novo Krypton” mostra a restauração da cidade engarrafada de Kandor

 

No Brasil, a história intitulada “Novo Krypton” chegou às bancas 2009 em “Superman” #83 – #107 com pequenos arcos publicados em “Superman Anual” #1 (2010) e “Universo DC 2ª Série” #1 – #6 e traz no comando da saga Geoff Johns, Sterlin Gates, James Robinson e outros nomes envolvendo todas as revistas do Homem de Aço.

A saga da cidade engarrafada de Kandor chega em um momento extremamente desfavorável. A Terra havia sido invadida por Zod há pouco tempo e o general havia sido recentemente preso na Zona Fantasma (na famosa história “Último Filho” de Geoff Johns e Richard Donner), a Supergirl não gozava de muito reconhecimento da mídia – que a considerava uma ameaça – e o Azulão havia acabado de perder o pai.

Nesse cenário de desconfiança e tragédia, temos a chegada dos kryptonianos (que rapidamente chamam o local onde vivem de “Novo Krypton”) e passam a viver ao lado da Fortaleza da Solidão comandados por Alura e Zor-El – os pais da Supergirl.

Enquanto Zor-El está mais disposto a seguir as recomendações do Superman, Alura age como uma monarca preocupada em garantir a sobrevivência do seu povo e cria um incidente de proporções épicas ao decidir aprisionar todos os inimigos do Homem de Aço na Zona Fantasma para proteção de seu povo.

Agindo sem o consentimento de Kal-El, ela e os kryptonianos acabam ocasionando mortes de policiais – o que leva ao início de um confronto com Kal-El que é interrompido por um acontecimento ainda pior! As coisas esquentam ainda mais conforme a história mostra que alguns kryptonianos, Alura inclusa, acreditam que são superiores aos humanos.

 

Kryptonianos mostram dificuldade em se adaptar a Terra no arco “Novo Krypton”

 

Assim que os kryptonianos voltaram ao tamanho normal, o General Sam Lane começou a organizar o exército para estar pronto para a possível ameaça. Luthor, preso na época, se junta ao general e eles utilizam-se de Brainiac (preso após os eventos de “Superman: Brainiac”) para descobrir formas de combater Novo Krypton. A iniciativa de prender os inimigos do Homem de Aço promovida por Alura faz com que Reactron e Metallo, dois inimigos energizados por kryptonita, consigam invadir o território kryptoniano e fazer diversas vítimas.

Uma das vítimas é justamente o pai da Supergirl, Zor-El. Vale lembrar que, apesar de serem tão poderosos quanto o Homem de Aço, os nativos de Krypton tinham acabado de descobrir seus poderes e, nesse ponto, eram presas fáceis para inimigos bem preparados.

Ao mesmo tempo que esses eventos se desenrolavam, a atitude de Alura a colocou em rota de colisão com a Liga da Justiça e a Sociedade da Justiça. Um confronto de proporcões épicas acontece e Alura consegue criar um novo planeta a partir da tecnologia de Brainiac, batizando-o de Novo Krypton.

Em meio ao medo e paranóia, temos o surgimento de Asa Noturna e Pássaro Flamejante, dois kryptonianos que impediram que Zod fosse solto da Zona Fantasma por seus antigos seguidores e da SuperWoman – todos com misteriosas identidades até esse ponto da história.

Após a criação do novo planeta, a Terra começa a fazer planos para se defender de um possível ataque e Alura traz o General Zod de volta de seu cárcere para comandar as tropas militares do novo planeta.

 

Superman decide se mudar para Novo Krypton para impedir que mais sangue seja derramado

 

O nascimento de Novo Krypton obriga Kal-El a decidir entre a Terra e o novo planeta habitado por seu povo. Visando impedir que Alura crie ainda mais problemas, o Homem de Aço decide se mudar para Novo Krypton e deixa seu amigo Mon-El, o Daxamita que finalmente consegue deixar a Zona Fantasma, como protetor de Metrópolis.

Na edição #88 da Revista “Superman” da Panini se inicia a fase mais interessante de toda a história, envolvendo a restauração de Kandor, onde vemos Kal-El como um militar em seu planeta e tendo Zod como líder das forças armadas.

Em Novo Krypton, vemos Kal-El começando a montar sua nova vida. Todo o período dele ao lado de seu povo é extremamente interessante e rico em detalhes e nos ajuda a entender um pouco mais como o planeta funciona. Temos tempo para política, com toda a explicação de como funcionam as guildas de Krypton (organização onde a sociedade é dividida com base na atividade que o indivíduo desempenha), e relações internacionais com as interações de Novo Krypton com os Lanternas Verdes, Thanagarianos e Saturnianos.

Por vezes o Homem de Aço impede guerras interplanetárias de eclodirem. O mais triste na saga é perceber o quanto o personagem se esforça para fazer com que a Terra e Novo Krypton se entendam e convivam em harmonia e, pouco a pouco, vamos percebendo que o desfecho para a história será traumático.

 

Lanternas Verdes conhecem o mundo de Novo Krypton na revista do Superman

 

O fim chega no arco conhecido como “A Guerra dos Supermen” que traz o desfecho da história que mexeu com a herança de Krypton. Os planos de Sam Lane e Lex Luthor, bem como as tramóias do General Zod, fazem com que o planeta e milhares de kryptonianos encontrem seu fim. A sequência da história é uma pesada guerra em Metrópolis onde Zod, Superman, Supergirl, Superboy e tantos outros heróis se envolvem. Pássaro Flamejante, Asa Noturna e Mon-El encontram um triste desfecho que faz com que o Homem de Aço sinta-se ainda mais derrotado apesar de ter conseguido defender a Terra.

Toda a história de Novo Krypton mostra o maior sonho do Homem de Aço se transformando em seu pior pesadelo e seu relacionamento com outros personagens do Universo DC é colocado em xeque a todo momento – tendo ele e a Supergirl protagonizado cenas intensas de enfrentamento.

Pouco comentada, a saga de Novo Krypton é um marco para o personagem por trazer ação, política e um clima constante de desconfiança e conspiração além de responder, de uma vez por todas até que outro roteirista tenha uma ideia diferente, a dúvida do que poderia acontecer caso Kandor fosse restaurada. Imperdível para os fãs do Azulão!

 

Fique ligado no Ultimato do Bacon para mais matérias e reviews sobre HQ's!

 

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon