Por Lucas Souza

A nova minissérie da HBO “Chernobyl” impressionou muito no seu episódio de abertura. A dúvida é se a história continuaria se mantendo com um nível alto e interessante após o principal acontecimento, a explosão da usina, já ter ocorrido no primeiro episódio. O grande receio era que a produção se perdesse na “politicagem” dos eventos e que a história deixasse de ser interessante para a maior parcela da audiência.

Podemos dizer, após assistir o segundo episódio, que o medo era completamente infundado. O segundo episódio se mantém tão interessante quanto o primeiro e a série mantém o seu cuidado em explicar para o espectador cada passo das descobertas e problemas encontrados – por mais científicos e complexos que eles possam ser (e isso é um tremendo acerto da série). A entrada da parte mais política do evento, afinal as decisões tomadas pela antiga URSS custaram muito a população, é feita de uma forma assertiva que não faz com que o seriado tenha seu ritmo alterado.

 

Boris Shcherbina (Stellan Skarsgård) é um dos destaques do segundo episódio de “Chernobyl”

 

O nível de atuação da série já estava excelente desde o primeiro episódio. Mas a entrada de grandes atores costuma ajudar a puxar todo o elenco – e é exatamente o que ocorre a partir da chegada de Stellan Skarsgård que interpreta Boris Shcherbina. O burocrata é uma figura importante que começa sua jornada como um dos opositores as medidas mais enérgicas de proteção propostas pelo professor Valery Legasov (Jared Harris) logo se convence da dimensão dos acontecimentos e do perigo e passa a ajudar Legasov.

A personagem de Emily Watson (Ulana Khomyuk) é outra grande adição a série e torna as conversas mais dinâmicas, além de dar uma visão diferente da proposta pelo professor Legasov – ainda que complementar.

 

Emily Watson (Ulana Khomyuk) é mais uma personagem interessante de “Chernobyl”

 

Além do núcleo político e científico que envolve as grandes decisões, “Chernobyl” ainda faz questão de nos mostrar a história de Lyudmilla Ignatenko (Jessie Buckley) – noiva de um dos bombeiros que atendeu o chamado no acidente da usina e já estava com severas queimaduras químicas por conta do ocorrido. O segundo episódio começa a mostrar as graves consequências do acidente na população e a luta para conseguir prestar um atendimento efetivo. As queimaduras aparentes em uma das enfermeiras após ela segurar a roupa dos bombeiros é extremamente emblemático!

 

Lyudmilla Ignatenko (Jessie Buckley) busca pelo seu noivo em “Chernobyl”

 

“Chernobyl” da HBO trouxe em seu segundo episódio mais uma impecável produção que soube manter o nível mesmo após o evento principal (o acidente na usina) ter ocorrido. É mérito do seriado ter conseguido manter os debates políticos interessantes bem como trazer as explicações científicas de um jeito interessante. O final do episódio, e a iminência de uma tragédia ainda maior, nos deixam apreensivos e nos fazem esperar ansiosos pelo terceiro capítulo da série.

 

 

Avaliação: Ótimo!

 

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon