Carcereiros – O Filme
Ano: 2019 Distribuição: Imagem Filmes
Estreia: 28 de Novembro

Direção: José Eduardo Belmonte

Roteiro: Marçal Aquino, Fernando Bonassi, Dennison Ramalho, Marcelo Starobinas (roteiro); Drauzio Varella (inspirado no livre de)

Duração: 110 Minutos  

Elenco: Rodrigo Lombardi, Tony Tornado, Milton Gonçalves, Kaysar Dadour, Jackson Antunes, Dan Stulbach, Rômulo Braga, Ivan de Almeida, Giovanna Rispoli, Bianca Müller, Similião Aurélio, Germano Pereira, José Trassi, Rainer Cadete, Rafael Portugal

Sinopse: Adriano (Rodrigo Lombardi) é um carcereiro íntegro e avesso à violência, ele tenta garantir a tranquilidade no presídio, mesmo sofrendo com grandes dilemas familiares. A chegada de Abdel (Kaysar Dadour), um perigoso terrorista internacional, aumenta ainda mais a tensão no presídio, que já vive dias de terror por conta da luta entre duas facções criminosas. Agora, Adriano terá que enfrentar uma rebelião além de controlar todos os passos de Abdel. Inspirado no livro Carcereiros de Drauzio Varella, Carcereiros – O Filme traz a realidade dos homens que mesmo sem estarem presos, passam seus dias atrás das grades.

 

 

 

Alexandre Baptista

Carcereiros – O filme mantém qualidade de forma independente da série

Longa que estreia nesta quinta-feira, 28 de novembro, é repleto de ação e adrenalina

por Alexandre Baptista

 

O cinema nacional amadureceu e fez isso de uma maneira muito positiva. Resta agora conquistar o gosto do público brasileiro e abrir espaço no circuito exibidor.

O ano de 2019 tem dado exemplos disso, com grandes filmes no circuito artístico internacional sendo premiados – Pacarrete, Bacurau, A Vida Invisível – e filmes comerciais de diferentes gêneros e qualidades como De Pernas pro Ar 3, os ótimos Cine Holliúdy 2: A Chibata Sideral e Maria do Caritó e tantos outros chegando às salas e ao público.

Carcereiros – O filme é o representante do gênero de ação que faltava nessa lista e o filme dirigido por José Eduardo Belmonte faz bonito. Com um orçamento de apenas R$ 3 milhões (menos de US$ 1 milhão), a produção não demonstra ter custado tão pouco.

Muito pelo contrário, o longa abusa de tiros, explosões, helicópteros e recursos que dão ao produto final um aspecto de superprodução.

Outro ponto forte da obra é o roteiro de Marçal Aquino (confira entrevista aqui), Fernando Bonassi, Dennison Ramalho e Marcelo Starobinas que embora utilize elementos tradicionais da série, estabelece um episódio fechado no filme, independente e autônomo. Traduzindo: quem não viu a série não precisa maratonar nada pra ver o filme. Mas pode ter certeza que, se gostar dele, vai querer conferir as duas temporadas depois.

Além disso, o roteiro também apresenta uma sólida história que, ao estilo de Operação Invasão (Serbaun maut [The Raid: Redemption], 2011), estabelece uma trama simples que provoca o famoso swipe x resist e que acrescenta alguns elementos ao longo da narrativa, com reviravoltas inesperadas e complicações bastante inteligentes. Traduzindo novamente, é um típico filme de invasão x resistência.

A direção de Belmonte explora de maneira bastante vigorosa o ambiente claustrofóbico do presídio e estabelece alguns pontos de vista sugestivos, entre as grades, nas esquinas dos corredores, colocando volta e meia o espectador no meio dos detentos e como parte da ação de maneira muito competente.

Outro mérito do diretor é o trabalho com os atores. O elenco está em um nível acima do geralmente esperado em produções nacionais, com destaque para o Osvaldo de Ivan de Almeida, extremamente verdadeiro; o Carlão de Similião Aurélio, alucinado e alucinante; e, obviamente, o Adriano de Rodrigo Lombardi que conseguiria, facilmente, levar o filme sozinho caso o restante do elenco não desempenhasse a contento.

Felizmente não é o caso e, invariavelmente o jogo em Carcereiros – O Filme está em alta. Seja no vilão do estreante Kaysar Dadour (confira entrevista aqui), que engana por um bom veterano; os ótimos e experientes Tony Tornado, Milton Gonçalves, Dan Stulbach, Isaac Bardavid e Jackson Antunes; ou a competentíssima nova geração com Rafael Portugal, Rainer Cadete, Rômulo Braga e Giovanna Ríspoli.

Na trilha sonora o uso de sintetizadores eletrônicos e efeitos digitais geram um resultado bastante interessante para a produção. Ainda que esse tipo de composição remeta a um som mais oitentista e outras óbvias inspirações, o resultado final é muito bom e bastante original, sendo uma das trilhas que mais me agradou no ano até aqui. A trilha musical também funciona, com muito samba raiz e samba-rock ao estilo da Nação Zumbi.

O longa possui alguns pecados, como o fato dos sobreviventes da invasão ao presídio passarem totalmente incólumes ao perigo (algum ferimento poderia ter ficado mais evidente, por exemplo) ou ainda a psicóloga de Bianca Müller que destoa um pouco em sua atuação. Mas na soma, todos os deslizes acabam perdendo um bacon somente, por serem bastante irrelevantes para um filme como esse.

Num momento em que uma grande parte da população parece esquecer que lei e justiça são coisas distintas, Carcereiros – O Filme evidencia de maneira extremamente sutil que o verdadeiro cidadão de bem é um animal em extinção, caçado predatoriamente por destros e sinistros.

De quebra, ainda entrega um filme comercial de ação que tem ao mesmo tempo um dna genuinamente nacional e um padrão hollywoodiano de menor escalão. Pra quem é fã do gênero, indispensável.

 

 

Avaliação: Ótimo

 

 

 

Trailer

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram

Facebook

Amazon