O Homem Aranha 2099 é o tema do nosso Baú de Hqs de hoje. De Volta Para o Futuro (Back to the Future, 1985) já ficou no passado errando como seria 2015. Há pouco tempo, ultrapassamos Blade Runner – O Caçador de Andróides (Blade Runner, 1982) que se passava em 2019. Mas ainda dentre os futuros alternativos populares, ainda nos resta aguardar até 2099 para ver se pelo menos a Marvel previu o futuro corretamente.

Conheça o Homem Aranha 2099

Em primeiro lugar, a linha 2099 foi anunciada em 1992 e mostraria o futuro dali a 100 anos. Inicialmente anunciado como “O Mundo Marvel de Amanhã” ou “Marvel 2093”, a linha eventualmente encontrou seu lugar como Marvel 2099.

Entre os primeiros títulos estavam Doutor Destino e Justiceiro em suas versões 2099 e o novo personagem Ravage, e o título que carregou o sucesso da linha: Homem Aranha 2099. O título do Aranha especificamente durou 46 edições que foram lançados aqui pela editora Abril. O título Homem Aranha 2099: Início, tema da coluna de hoje, como seu nome bem sugere, foi lançado pela Panini em 2013 e reúne as 10 primeiras edições da linha.

Homem Aranha 2099: Início - Baú de HQs 1

O ano é 2099 (dã) e a cidade de Nueva York é lar da megacorporação Alchemax, onde o brilhante geneticista Miguel O’Hara trabalha. Depois de uma sabotagem perpetrada por seus chefes, ele é forçado a utilizar um procedimento experimental que é adulterado e o funde com genes de uma aranha. Dotado de poderes e com a vingança no coração, Miguel então adota o manto de Homem-Aranha e resolve ir atrás de seus antigos patrões.

Homem Aranha 2099: Início - Baú de HQs 2

100 anos depois e a polícia continua perseguindo o Homem Aranha 2099

As primeiras edições focam em apresentar o mundo de 2099: Miguel e sua família e amigos, as corporações que dominaram o mundo, os povos e subculturas de Nueva York, abrindo os olhos do novo Homem-Aranha para as dificuldades que o controle da Alchemax e suas rivais trouxe ao mundo.

Nos roteiros, Peter David esteve à frente do Aranha do futuro. Para quem não está familiarizado, o autor é responsável pela criação de uma das mais famosas e temidas versões do Incrível Hulk: o temido Maestro. Já a arte ficava por conta de Rick Leonardi. Leonardi emprestou seu traço para edições da DC Comics de Convergência e, mais recentemente, Scooby Apocalypse. Seu traço conferia um tom sombrio e sujo ao futuro, deixando as tramas sociais ainda mais embasadas.

O sucesso da linha eventualmente se esgotou, mas o Homem Aranha 2099 continuou tecendo sua teia (trocadilho intencional) ao redor dos universos, tendo sido parte dos Exilados e tendo título próprio durante a Totalmente Nova Marvel ajudando a compor o exercito de Homens Aranha contra os Herdeiros nas HQs do Aranhaverso.

Infelizmente, a Panini republicou apenas as 10 primeiras edições como mencionado, sendo que apenas a Abril publicou todas as 46 edições do título original em 39 edições em formatinho lançadas aqui. Só nos resta torcer para que um dia possamos ter as aventuras completas do Homem Aranha 2099 publicadas aqui.

Miguel também é um personagem jogável em Homem-Aranha: Edge of Time e teve uma participação especial no pós-créditos de Homem-Aranha: No Aranhaverso (Spider-man: Into the Spider-Verse, 2018).

O Universo 2099 recentemente fez aniversário e foi contemplado com alguns especiasi que estão nas bancas, então Homem-Aranha 2099: Início é realmente um excelente ponto de partida para quem quer conhecer este “futuro sombrio”.

Confiram outras grandes edições do passado na nossa coluna Baú de HQs!

 


Créditos:
Texto e Edição: João Maia
Imagens: Reprodução
Matéria publicada originalmente em 19 de novembro de 2019. Atualizada em 20 de julho de 2020.

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!


Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!