por João Maia

 

De Volta Para o Futuro (Back to the Future, 1985) já ficou no passado. Há pouco tempo, ultrapassamos Blade Runner – O Caçador de Andróides (Blade Runner, 1982). Mas ainda dentre os futuros alternativos populares, ainda nos resta aguardar até 2099. Hoje o Baú de HQs falará sobre Homem-Aranha 2099: Início.

Em primeiro lugar, a linha 2099 foi anunciada em 1992 e mostraria o futuro dali a 100 anos. Inicialmente anunciado como "O Mundo Marvel de Amanhã" ou "Marvel 2093", a linha eventualmente encontrou seu lugar como Marvel 2099.

Entre os primeiros títulos estavam Doutor Destino e Justiceiro em suas versões 2099 e o novo personagem Ravage, e o título que carregou o sucesso da linha: Homem-Aranha 2099. O título do Aranha especificamente durou 46 edições que foram lançados aqui pela editora Abril. O título Homem-Aranha 2099: Início, tema da coluna de hoje, como seu nome bem sugere, foi lançado pela Panini em 2013 e reúne as 10 primeiras edições da linha.

O ano é 2099 e a cidade de Nueva York é lar da megacorporação Alchemax, onde o brilhante geneticista Miguel O’Hara trabalha. Depois de uma sabotagem perpetrada por seus chefes, ele é forçado a utilizar um procedimento experimental que é adulterado e o funde com genes de uma aranha. Dotado de poderes e com a vingança no coração, Miguel então adota o manto de Homem-Aranha e resolve ir atrás de seus antigos patrões.

100 anos depois e a polícia continua perseguindo um Homem-Aranha

 

As primeiras edições focam em apresentar o mundo de 2099: Miguel e sua família e amigos, as corporações que dominaram o mundo, os povos e subculturas de Nueva York, abrindo os olhos do novo Homem-Aranha para as dificuldades que o controle da Alchemax e suas rivais trouxe ao mundo.

Nos roteiros, Peter David esteve à frente do Aranha do futuro. Para quem não está familiarizado, o autor é responsável pela criação de uma das mais famosas e temidas versões do Incrível Hulk: o temido Maestro. Já a arte ficava por conta de Rick Leonardi. Leonardi emprestou seu traço para edições da DC Comics de Convergência e, mais recentemente, Scooby Apocalypse. Seu traço conferia um tom sombrio e sujo ao futuro, deixando as tramas sociais ainda mais embasadas.

O sucesso da linha eventualmente se esgotou, mas o Aranha continuou tecendo sua teia (trocadilho intencional) ao redor dos universos, tendo sido parte dos Exilados e tendo título próprio durante a Totalmente Nova Marvel.

Miguel também é um personagem jogável em Homem-Aranha: Edge of Time e teve uma participação especial no pós-créditos de Homem-Aranha: No Aranhaverso (Spider-man: Into the Spider-Verse, 2018).

O Universo 2099 está para retornar com alguns especiais, então Homem-Aranha 2099: Início é realmente um excelente ponto de partida para quem quer conhecer este “futuro sombrio”.

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon