Ultimato do Bacon

O Batman no Cinema

Em 8 de Fev de 2022 11 minutos de leitura
0 Batman no Cinema Capa 1

Não posso afirmar que ele seja o maior e mais popular personagem da DC Comics, mas fato é que o Batman é de longe o mais explorado! Seja nas HQs, no cinema, na TV, em livros, Batman é figura recorrente nas mídias.

As vésperas da aguardada nova adaptação do personagem para o cinema com Robert Pattinson no papel de Bruce Wayne/Batman, preparamos uma lista especial com as passagens do Batman no Cinema e na TV.

Índice

The Batman 1943

2 Batman no Cinema 1943 Serie Daka

A primeira adaptação do Batman nas telas aconteceu no em 16 de Julho de 1943 no seriado The Batman. Contando com 15 episódios que na época foram exibidos semanalmente nos cinemas.

Na trama acompanhamos Batman (aqui um agente do governo) e Robin combatendo o Drº Tito Daka que liderava um grupo na tentativa de estabelecer o domínio japonês na américa (USA). Isso é interessante pois a série pode ser tratada com uma grande propaganda de guerra, tendo em vista que na época os EUA e o Japão estavam em conflito na conhecida guerra do pacífico e posteriormente ocorrendo o famoso ataque à Hiroshima e Nagasaki.

1 Batman no Cinema 1943 Serie

O elenco contava com Lewis Wilson como Batman, Douglas Croft como Robin, J. Carrol Nash como Dr. Daka e William Austin com Alfred.

Nem preciso dizer que a série envelheceu pessimamente, e assisti-la atualmente causa um desconforto, até mesmo uma certa vergonha. Mas não deixa de ser o retrato de uma época e tem seu valor histórico para o personagem.

A série teve uma continuação em 1949 e em 1965 foi relançada nos cinemas com o título An Evening With Batman and Robin. Esse relançamento foi popular ao ponto de inspirar a produção da série de 1966 protagonizada por Adam West!

Batman and Robin 1949

3 Batman no Cinema 1949 Batman e Robin

Com roteiros de Bob Kane, um dos criadores do personagem, a série é uma espécie de continuação do seriado de 1943 e possui 15 episódios.

Aqui acompanhamos Batman e Robin enfrentando o vilão Mago, que rouba uma aparelho capaz de controlar os automóveis da cidade criado pelo Professor Hammil.

Aqui a estrutura é um pouco diferente do seriado anterior e mesmo tendo envelhecido tão mal quanto, é um pouco mais palatável. É importante lembrar que o Batman em sua origem, não era um personagem tão sombrio como conhecemos hoje, apesar de ser bem menos “colorido” e “galhofado” do que nas séries e bem sério até para a época.

4 Batman no Cinema 1949 Batman e Robin

Um fato interessante é que aqui temos a personagem Vick Vale que foi criada em 1948 por Bob Kane e foi personagem recorrente nas histórias do Batman ao longo dos anos. Essa adição pode mostrar a possível influência que Bob Kane tinha na produção.

Aqui Batman foi interpretado por Robert Lowery e Robin por Johnny Duncan.

Batman 1966 ou Batman & Robin

5 Batman no Cinema 1966 Vilões

Considerada um clássico do personagem, Batman de 66 é até hoje uma série bem popular. Exibida entre janeiro de 1966 e março de 1968, contou com 3 temporadas e um total de 120 episódios e um longa metragem exibido nos cinemas em julho de 1966.

Ao longo dos 120 episódios acompanhamos Batman e Robin enfrentando sua já tradicional galeria de vilões para defender Gotham. O tom satírico é o ponto que nos dias de hoje mais me incomoda, é notório o “deboche” com os quadrinhos, mesmo sendo feito em uma época anterior ao Batman que conhecemos.

6 Batman no Cinema 1966 Filme

Eu considero o Batman de 66 uma sátira bem humorada do personagem, nada é levado a sério. Tudo bem terem feito isso em 66, pior foi um certo diretor tentar reproduzir o tom em 1995 e em 1997! Mas isso veremos mais a frente nessa matéria…

Em Batman de 66 o personagem foi interpretado por Adam West e Robin por Burt Ward. O tom humorístico debochado, as onomatopéias, as aparições de famosos da época nas janelas e todo o festival de absurdos, tornaram essa versão do Batman praticamente um clássico que não sai do repertório dos fãs do personagem.

Destaque para o encontro da dupla dinâmica com o Besouro Verde e Kato nos episódios 85 e 86.

Batman 1989

8 Batman no Cinema 1989 Keaton

Mais de 20 anos após Batman de 66, Tim Burton trouxe o Batman que hoje conhecemos para as telas de cinema em 23 de junho de 1989. Com roteiro de Sam Hamm, que trouxe uma história infinitamente mais sombria e gótica, o Batman de 1989 chegou após algumas tentativas de resgatar o personagem.

Michael Uslan, que detinha os direitos de produção e distribuição nos cinemas, foi quem “comprou a briga” para trazer um Batman mais próximo da sua origem para as telas, enquanto os estúdios insistiam em manter o tom cômico. A Warner “comprou” a ideia e mesmo com muitos “contras”, incluindo uma longa greve dos roteiristas, entregou o filme que ajudou a definir o Batman que conhecemos hoje e que se tornou um clássico.

10 Batman no Cinema 1989 Joker Coringa

Batman 1989 é sem dúvidas um excelente filme, mesmo tendo envelhecido. Curiosamente aqui o Coringa é muito mais protagonista que o Batman! Jack Nicholson faz um trabalho excelente e traz um coringa bem assustador, considerando o contexto geral do filme. Michael Keaton como Batman cumpre seu papel “direitinho”, mas foi uma escolha controversa por seu porte físico e acabou colaborando para a “mania das armaduras” nos filmes do Batman.

Importante mencionar que a HQ O Cavaleiro das Trevas de Frank Miller (1986) teve grande importância para todas as adaptações de Batman que vieram depois. O próprio Uslan comparou o tom do filme com a HQ.

9 Batman no Cinema 1989 Batmobile

O que mais gosto desse filme é o visual de Gotham e os gadgets do Batman. O Batmóvel desse filme segue até hoje sendo minha versão favorita. Mesmo com um tom sombrio, eu considero tudo no filme exageradamente excêntrico. Tim Burton sabe aproveitar isso, mas em momentos específicos causa um certo desconforto.

Destaque também para a trilha sonora de Danny Elfman!

Confira aqui nossa matéria completa sobre o filme

Batman O Retorno 1992

11 Batman no Cinema 1992 Pinguim

Em 19 de Junho de 1992 chegou aos cinemas a continuação direta do Batman de 1989 que foi um surpreendente sucesso de crítica e bilheteria. O filme teve uma produção conturbada, Tim Burton brigou para conseguir se livrar da interferência dos produtores e ter mais liberdade criativa.

Até mesmo o roteirista Sam Hamm, responsável pela história do filme anterior, acabou sendo substituído por Daniel Watters, mesmo assim Hamm é creditado no filme como roteirista.

Burton com mais liberdade criativa trouxe muito mais excentricidades para o filme e até mesmo questões polêmicas como por exemplo o Batman matando. Isso sem falar na origem da Mulher Gato, o Pinguim devorando um peixe cru e por aí vai…

12 Batman no Cinema 1992 Mulher Gato

A liberdade criativa de Burton apesar de ter proporcionado momentos questionáveis, acaba trazendo um pouco mais de originalidade para o filme, com uma Gotham ainda mais sombria e gótica e um Batman mais intenso. Além é claro de personagens mais marcantes, mesmo que seja por serem mais caricatos.

Eu tenho um apego emocional com o filme pelo fato de ter sido o primeiro que vi no cinema. Isso acaba me fazendo tolerar alguns detalhes incômodos, mesmo eu reconhecendo o filme anterior como sendo uma produção superior em termos gerais.

Aqui Tim Burton encerra com dignidade sua passagem pelo personagem, mesmo não sendo um leitor de HQs ele entregou uma versão do Batman que até hoje é lembrada com tanto carinho e apreço, que vai ser resgatada no vindouro filme The Flash.

Batman Eternamente 1995

13 Batman no Cinema 1995 Batman Eternamente

Aqui começa a Era das Trevas do Homem Morcego nos cinemas! Batman O Retorno de 1992 não entregou o mesmo resultado financeiro de seu predecessor e umas das alegações era de que o filme era sombrio e violento demais! Consequência: a Warner colocou Tim Burton como produtor (duvido que ele tenha aprovado algo nesse filme) e contratou Joel Schumacher para dirigir o filme.

Michael Keaton deixou a produção por divergências criativas, anos mais tarde Keaton disse que o roteiro do filme era péssimo e que Schumacher criticava demais o tom “escuro” dos filmes anteriores.

14 Batman no Cinema Eternamente 1995 Carrey Jones

Batman eternamente é exageradamente colorido e de forma proposital subverte tudo que foi feito nos dois filmes anteriores. Chega a ser debochado em alguns momentos!

O elenco tem uma atuação vergonhosa, Val Kilmer é péssimo com Bruce Wayne. Depois de ser descartado dos dois primeiros filmes, o Robin surge interpretado por Chris O’Donnell que entrega um velho garoto que protagoniza cenas vergonhosas.

15 Batman no Cinema 1995 Eternamente Robin

Batman Eternamente é uma piada pronta! Não foi coincidência a contratação de Jim Carrey como Charada, em uma interpretação tão absurda e exagerada que chega a ofender! Sabe o que é pior? Tommy Lee Jones como Duas Caras imitando na cara dura a atuação e os trejeitos de Carrey.

Batman Eternamente estreou em 16 de junho de 1995 e arrecadou mais de 300 milhões ao redor do mundo, sendo considerado um sucesso apesar das criticas. O que acabou incentivando a produção de…

Batman e Robin 1997

15 Batman no Cinema 1997 Robin Batgirl

Nada representa tão bem o ditado “nada é tão ruim que não possa piorar”, quanto Batman e Robin de 1997. O pensamento da Warner deve ter sido simples: se ganhamos dinheiro com essa bosta de Batman Eternamente, bora fazer um pior e ver qual é!

E conseguiram! Batman e Robin é um filme vergonhoso, não existe nada, absolutamente nada que salve! Talvez os memes criados anos depois.

Se Val Kilmer estava ruim, George Clooney consegue ser pior ainda! O’Donnell mantém o baixíssimo nível de qualidade como Robin e agora para avacalhar ainda mais ele tem Alicia Silverstone como Batgirl para completar o circo.

16 Batman no Cinema 1997 Freeze Ivy

O filme ainda conta com a ajuda de Arnold Schwarzenegger como Senhor Frio e Uma Thurman como Hera Venenosa para piorar o que já era péssimo. Vou me abster de falar do Bane, por razões óbvias!

Mas de toda essa salada de coisas ruins nada, absolutamente nada, supera os diálogos e trocadilhos do filme! É tanta vergonha que até mesmo o elenco disse em diversas entrevistas que o filme foi “ruim de fazer”, “dificilmente terá continuação”, “não faria novamente” e por aí vai!

17 Batman no Cinema 1997 Batcard

Joel Schumacher se consagra aqui como um dos maiores vilões do Batman! Duvida? Confira ele pedindo desculpas no vídeo abaixo:

Sabe o que é pior? O povo da Warner estava gostando da produção do filme e contratou Joel Schumacher para fazer uma sequência que graças a Deus nunca saiu! O roteirista Akiva Goldsman que escreveu o roteiro de Batman Eternamente e Batman e Robin recusou a oferta (porque será, né?) e a Warner contratou Schumacher e Mark Protosevich para escrever o roteiro.  

Com as críticas negativas de Batman e Robin a Warner desistiu de fazer o filme o curiosamente o próprio Schumacher apoiou uma mudança no tom do personagem, para que ficasse mais próximos dos filmes de Burton e das HQs de Frank Miller.

Batman Begins 2005

18 Batman no Cinema 2005 Begins

Após o fracasso de Batman e Robin 1997 (porque será?), a Warner tentou diversas vezes retomar o Batman nos cinemas com diversos projetos, inclusive com um deles a cargo do Darren Aronofsky que adaptaria o arco Batman Ano Um de Frank Miller, que inclusive participaria diretamente da produção. O filme não foi produzido por ser considerado violento e pesado demais. Aronofsky diz que o Coringa de Todd Philips aproveitou muitos conceitos do seu projeto.

Após o cancelamento do projeto com Aronofsky e Miller, em 2003 Christopher Nolan e David S. Goyer começaram a trabalhar em Batman Begins. Nolan e Goyer queriam fazer um Batman muito mais realista e buscaram inspiração direta nas HQs do personagem.

19 Batman no Cinema 2005 Begins Ras

É notório que o trabalho de pesquisa funcionou e temos hoje um dos melhores filmes de super herói já feitos. Aqui vemos elementos de histórias consagradas como O Longo Dia das Bruxas, Batman Ano Um, O Homem que Cai dentre outros.

Christian Bale foi uma excelente escolha, entregando não só um ótimo Batman, como também um ótimo Bruce Wayne. Coisa difícil para seus predecessores.

20 Batman no Cinema 2005 Begins Gordon

Tudo no filme é caprichado e feito com um nível de detalhamento e cuidado surpreendente. A decisão de Nolan em trazer uma versão realista foi levada muito a sério, com a produção investindo muito nos efeitos práticos e construindo praticamente tudo de forma funcional.

É impressionante assistir aos extras do filme e ver o Batmóvel funcionando de verdade, sendo construído. De fato, um excelente retorno do personagem aos cinemas, que marcou uma geração e se tornou tão importante que definiu o tom dos filmes de super herói que viriam depois.

Destaque para a excepcional trilha sonora de Hans Zimmer e James Newton Howard.

O Cavaleiro das Trevas 2008

21 Batman no Cinema 2008 Cavaleiro das Trevas

Se eu for resumir esse filme em uma palavra, a palavra é perfeição! Até hoje é difícil acreditar em como Nolan e Goyer conseguiram entregar um filme tão perfeito, tão bem pensado. Obviamente existem alguns haters, na maioria hipsters que não gostam de nada popular demais para seus padrões elitistas e gostos duvidosos.

O Cavaleiro das Trevas pega tudo o que foi bem feito em Batman Begins e eleva a níveis até hoje inalcançados. O alívio cômico que sobrava em Batman Begins, aqui praticamente desaparece. Toda a trama é extremamente intensa, e faz o expectador suar frio até a conclusão do filme.

23 Batman no Cinema 2008 Batpod

Mais uma vez o filme tem sua raiz nas histórias em quadrinhos e fortalece um conceito polêmico de que a existência do Batman em Gotham acaba atraindo uma classe diferenciada de vilões. O respeito de Nolan e Goyer com o personagem é um ponto chave muito importante. Ambos não só usaram as hqs para criar a história do filme, como conversaram com roteiristas das HQs e inclusive consultaram Jerry Robinson o criador do Coringa para desenvolver o vilão.

O tom realista dita as regras da produção e vemos aqui uma grandiosa evolução do Batman. Desde seu uniforme, que é alvo de haters que acreditam que o Batman deveria enfrentar criminosos perigosos desarmado e com roupas de algodão, até a Batpod que protagoniza talvez a melhor cena do filme!

22 Batman no Cinema 2008 Joker

O maior destaque de O Cavaleiro das Trevas obviamente é o Coringa interpretado por Heath Ledger. A irretocável atuação de Ledger lhe rendeu o Oscar de melhor ator coadjuvante. O Coringa de Ledger é assustador, uma visão única do personagem que aqui é um vilão cujo único objetivo é ver o caos e a loucura instaurados em Gotham.

Tudo no filme é desenvolvido com maestria absoluta, o desenvolvimento dos personagens, a história e até mesmo o planos excessivamente perfeitos do vilão, entregam uma obra de arte ímpar e até hoje inalcançada quando se fala em filme baseado em HQ.

Não a toa o filme foi selecionado para entrar no Registro Nacional de Filmes da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos.

O Cavaleiro das Trevas Ressurge 2012

24 Batman no Cinema 2008 Bane

Após o enorme sucesso de O Cavaleiro das Trevas, o filme alcançou 1 bilhão nas bilheterias, era óbvio que a Warner iria querer uma continuação. Infelizmente O Cavaleiro das Trevas Ressurge entrega uma experiência muito abaixo dos filmes anteriores, deixando de lado o tom mais realista e extrapolando o nível de realidade estabelecido na franquia.

O Cavaleiro das Trevas de 2008 encerra de forma tão perfeita o arco do Batman, que não deixa brechas para uma continuação. O próprio Nolan não tinha interesse em fazer uma continuação, mas se sentiu motivado ($$$) com as ideias de seu irmão Jonathan Nolan e David Goyer para a história, que adaptava A Queda do Morcego e Terra de Ninguém.

25 Batman no Cinema 2008 Catwoman

Ao assistir a primeira vez o filme, eu fiquei muito satisfeito, mas logo após comecei a relembrar e questionar tudo que tinha visto. Como cinema o filme cumpriu sua função, é infinitamente superior a boa parte dos filmes baseados em HQs, mas fica muito abaixo do padrão estabelecido em O Cavaleiro das Trevas.

O desenvolvimento de personagens aqui é morno, por mais longo que seja o filme parece que a história não anda. O distanciamento do tom realista atrapalha e rende momentos mais do que questionáveis.

26 Batman no Cinema 2008 Robin

O filme tem momentos legais e até o primeiro embate entre Batman e Bane, era promissor. Mas depois entra em um festival de absurdos inacreditável. A sensação que tenho é de que o Nolan fez o filme por fazer, entregando um produto muito frio, sem vida.

Decepcionante para quem aguardava algo a altura do filme anterior, mas mesmo assim O Cavaleiro das Trevas tem seu valor.

Batman v Superman 2016

28 Batman no Cinema 2016 Batman vs Superman

Talvez um dos filmes de super herói mais polêmicos e discutidos da história, Batman v Superman traz a minha versão favorita do Batman. Nitidamente inspirado na visão de Frank Miller, o Batman interpretado por Ben Affleck é talvez a visão mais sombria do personagem.

Aqui vemos um Bruce Wayne marinado em ódio e ressentimento, cansado depois de 20 anos combatendo o crime como um herói e se aproximando cada vez mais de se tornar um vilão. Um Batman que vê toda sua lógica existencial ir por água abaixo com a chegada do Superman.

28 Batman no Cinema 2016 Batsignal

O filme dirigido por Zack Snyder com roteiro de Chris Terrio e David Goyer (de novo!) estreou no dia 24 de março de 2016 e foi duramente criticado graças em parte ao seu corte para o cinema. Logo após o filme ganhou uma versão estendida e trouxe uma certa paz ao coração de alguns fãs.

A maior crítica ao filme foi a quantidade de acontecimentos em um curto espaço de tempo, Snyder parece que não sabia se poderia fazer outro filme e saiu “socando” tudo que tinha em um corte de 3 horas que obviamente jamais seria exibido nos cinemas.

27 Batman no Cinema 2016 Batman v Superman

O que mais prejudicou o filme foi o próprio hype criado apenas com o título! Seria o primeiro encontro em os dois personagens mais importantes da DC Comics nos cinemas, com a produção fazendo referências as mais importantes HQs do Batman. Era óbvio que por mais perfeito que o filme fosse, jamais cumpriria o Hype!

Desde a polêmica escolha de Ben Affleck até a tão criticada cena da luta entre Batman e Superman, o filme até hoje rende intensas e acaloradas discussões entre os fãs.

29 Batman no Cinema 2016 Trindade

Eu considero o Batffleck a melhor visão do personagem! Um Batman que faz todo sentido dado o seu background, a sua história de vida. Affleck incorpora magistralmente o personagem, com uma expressão crível de ódio e rancor.

O que esperar de uma pessoa que viu os pais serem covardemente assassinados e dedicou sua vida e fortuna a combater o crime para no fim das contas uma invasão alienígena quase destruir o mundo e todas as suas crenças? Jogar flores nos bandidos ao som de Imagine? O Batffleck explode tudo e todos!

Mas como diz um grande amigo meu, eu não gosto do Batman, eu gosto do Justiceiro vestido de Batman. Faz sentido…

Mas nada muda o fato de que Zack Snyder criou cenas de ação impecáveis com o Batman, inclusive fazendo uma impecável homenagem aos jogos da série Arkham. De longe um dos meus filmes favoritos!

E aí, curtiu? Se sentiu falta de algo ou discorda, comente em nossas redes sociais! Não deixe também de conferir nossas outras matérias do Homem Morcego clicando aqui!


Créditos:
Texto: Diego Brisse
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB! 


Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Quero participar

Notícias relacionadas

Conheça Arcane Sally e Sr. Vapor de David Hedges e Jefferson Costa (3)

Conheça Arcane Sally e Sr Vapor de David Hedges e Jefferson Costa

9 de Ago de 2022

Nós usamos cookies para garantir que sua experiência em nosso site seja a melhor possível. Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa política de privacidade.

OKPolítica de privacidade