Ultimato do Bacon

As Melhores HQs da Arlequina

Em 6 de Ago de 2021 12 minutos de leitura
As Melhores HQs da Arlequina (1)

As melhores HQs da Arlequina é uma lista elaborada coletivamente pelos colaboradores do Ultimato do Bacon para tentar ajudar você leitor a conhecer um pouco mais da personagem que, num curto espaço de tempo desde sua criação em 1992 para Batman: A série Animada (1992) pelas mãos de Paul Dini e Bruce Timm, se tornou o quarto pilar da DC Comics.

De coadjuvante do Coringa nas animações para a estreia nos quadrinhos, foram 7 anos. Batman: Arlequina (Batman: Harley Quinn) de 1999 foi a HQ que viu a palhacinha do crime estrear na cronologia DC, durante a Terra de Ninguém.

De lá pra cá, Harleen Frances Quinzel, ou simplesmente Arlequina, passou por inúmeras mudanças de penteado, uniforme e até mesmo de atitude e postura, tendo até feito parte da Liga da Justiça em certos arcos.

Nossa lista tentou abordou um pouco de cada um desses aspectos, prezado por diferentes enfoques da personagem.

Esperamos que gostem da nossa lista de melhores HQs da Arlequina.

Boa leitura!

Índice

As Melhores HQs da Arlequina

Harleen de Stjepan Šejić

Por Lucas Souza

A origem da Arlequina é recontada sem censura na HQ que foi um dos primeiros lançamentos do selo Black Label

A origem da Arlequina e sua transformação de doutora em ajudante do Coringa é o ponto focal da HQ de  Stjepan Šejić – uma das primeiras a sair pelo selo Black Label. O autor soube aproveitar muito bem a liberdade dada pelo selo para maiores e cria uma história que mostra como o Coringa pode ser sedutor e como a jovem brilhante foi atraída para esse mundo de crime. O Asilo Arkham, Gotham e a mitologia do Batman estão muito bem representados nessa obra.

A HQ foi lançada no Brasil em 2020 pela Panini Comics – completa em 3 edições.
 
Quer saber mais sobre a HQ? Confira nosso podcast! 

Heróis em Crise de Tom King e Clay Mann

Por Alexandre Baptista

As Melhores HQs da Arlequina (1)Harley abre seu coração no Santuário: uma saga que divide opiniões

Heroes in Crisis foi uma série em 9 edições, escrita por Tom King e com arte de Clay Mann, lançada entre 2018 e 2019 nos EUA. Lançada no Brasil entre o final de 2019 e começo de 2020 em 5 edições, a saga dividiu opinião de seus leitores – naquela velha relação entre expectativa decorrente do “hype” criado e satisfação.

A história mostra uma tragédia acontecida no Santuário – uma espécie de “casa de repouso” e centro terapêutico para super-heróis e vilões reformados – que envolve a morte de vários heróis, incluindo Roy Harper e, aparentemente, Wally West. Os principais suspeitos: Gladiador Dourado e Arlequina.

O desenrolar da trama tem pontos interessantíssimos como as confissões feitas pelos super-heróis acerca de seus traumas – mostrando o lado frágil e humano de cada um deles – e pontos que levam alguns leitores a profunda irritação. Além da conclusão e revelação do vilão – que enfureceu fãs mais antigos, King aproveita a história para mostrar claramente a resposta para “quem ganha uma briga entre o super-herói X e o Y?”.

E sim, a resposta vai ser sempre “quem o escritor quiser”. De que outra forma o “quarto pilar” da DC, nossa querida garota do cabelo loiro-vermelho-e-azul daria uma surra em Batman, Superman e Mulher-Maravilha juntos?

A Velha Arlequina de Frank Tieri e Inaki Miranda

Por Alexandre Baptista

As Melhores HQs da Arlequina (1)Referência à icônica capa de Kelley Jones para A Queda do Morcego: referências mil

Old Lady Harley foi uma minissérie publicada em 2019 nos EUA, iniciada nas páginas de Harley Quinn (vol.3) #42. Escrita por Frank Tieri e desenhada por Inaki Miranda, foi publicada de maneira integral pela Panini no Brasil em 2020 no encadernado A Velha Arlequina.

Na trama, a Arlequina reaparece em um futuro distópico em Nova Jersey após anos desaparecida. A motivação da trama – incialmente nenhuma – se torna descobrir se o Coringa está realmente vivo e para isso Harley vai atrás das últimas pessoas que o viram com vida.

Mas esqueça a trama. A Velha Arlequina é daquelas HQs que estão na lista de Melhores HQs da Arlequina simplesmente por ser tão ruim e tão insana… que fica bom. Dos balões de fala em formato de ferramentas do cópia da cópia (Deadpool), Red Tool; às capas homenageando (ultrajando) capas famosas e posteres de cinema; passando por cenas “inspiradas” em filmes e HQs de outros personagens como Mad Max, Tank Girl, e outros; até duzentas mil referências diretas, de Stranger Things, Popeye e Zack Snyder ao restaurante Cracker Barrel e muito mais.

Se você curte HQs de zoação aberta que se seguram num fiapo de roteiro somente pra justificar a inserção de outro easter egg – bem no estilo gratuito de  Jogador N.1 -, aproveite A Velha Arlequina, pois essa HQ é pra você.

Um dilema cabeludo! de Jimmy Palmiotti, Amanda Conner e Pier Brito

Por Alexandre Baptista

As Melhores HQs da Arlequina (1)Harley e Gossamer passeiam por Coney Island: uma divertida história na lista das melhores HQs da Arlequina

Um dilema cabeludo! é uma história escrita por Jimmy Palmiotti e Amanda Conner, com arte de Pier Brito, publicada no Brasil em DC encontra Looney Tunes #2 em 2020. Originalmente publicada nos EUA em Harley Quinn/Gossamer Special #1 em 2018, ela mostra o encontro entre Arlequina e Gossamer – aquele bichão cabeludo dos desenhos do Pernalonga – após um furacão ter assolado Coney Island.

A divertida história coloca Harley numa posição “pernalonguesca”, numa clara homenagem ao episódio clássico “Hair-Raising Hare” criado por Chuck Jones para o desenho animado, com direito a manicure e muito mais.

Umas das melhores HQs da Arlequina por mostrar o poder cômico da personagem quando não é levada mais a sério que o necessário – ou quando os escritores se permitem brincar um pouco mais do que o usual. Destaque para o “vilão” da história, revelado somente no quadro final.

Confira os comentários do autor, Jimmy Palmiotti, sobre a HQ em nossa entrevista com ele no Sobrecapa.

Doidinha Exigente de Amanda Conner e Jimmy Palmiotti

Por Alexandre Baptista

As Melhores HQs da Arlequina (1)Mecha-Harleyzilla, Palmiotti e Conner aparecem durante a definição de como seria o novo título de Harley nas melhores HQs da Arlequina

Doidinha Exigente (Picky Sicky) é uma história escrita por Amanda Conner e Jimmy Palmiotti para a edição “0” de Harley Quinn nos EUA em 2014 – lançada no Brasil no encadernado de 2017 da Panini, Se Jogando na Cidade.

Desenhada por uma infinidade de artistas, incluindo Walt Simonson, Jim Lee, Bruce Timm, Tony S. Daniel, Dan Panosian, Darwyn Cooke e outros, a história diferente do restante da fase de Palmiotti e Conner à frente da personagem por ser uma edição “especial”.

Nela acompanhamos os autores – representados por balões de fala azuis e verdes – definindo como representariam a palhacinha do crime na nova revista em que ela seria a titular. Mudando de traço, estilo narrativo e muito mais a cada página, a HQ brinca com a metalinguagem e dá uma aula de edição de quadrinhos aos leitores – usando Harley como “desculpa”.

Definitivamente uma das melhores HQs da Arlequina, ela pode não agregar muito na narrativa “canônica” da personagem, mas exemplifica possibilidades criativas e narrativas muito interessantes nos quadrinhos.

Confira os comentários do autor, Jimmy Palmiotti, sobre a HQ em nossa entrevista com ele no Sobrecapa.

Chute na Cara de Adam Glass e Federico Dallocchio

Por Alexandre Baptista

As Melhores HQs da Arlequina (1)Uma Harley menos indefesa e mais no controle de tudo em uma das melhores HQs da Arlequina

Chute na Cara (Kicked in the Teeth) é um arco escrito por Adam Glass e desenhado por Federico Dallocchio para a run do Esquadrão Suicida dos Novos 52. Lançada nos EUA ao longo das edições periódicas de Suicide Squad #1-7 em 2011, foi publicada no Brasil em encadernado em 2016.

Na trama, acompanhamos uma missão do Esquadrão, estruturalmente muito similiar ao que acontece no filme de 2016… só que sem as falhas e erros da aventura dos cinemas. Se o primeiro filme do Esquadrão fosse bom, teria sido Chute na Cara.

Testados por Amanda Waller em sua primeira missão, o grupo logo em seguida enfrente um estádio cheio de pessoas contaminados por um nano-vírus que as transforma em zumbis.

Espere uma aventura hipnotizante, com altas doses de adrenalina, traições, quebra-quebra e uma Arlequina totalmente no controle de suas escolhas e atitudes, culminando num final digno de produção hollywoodiana – que teria sido perfeito para eventuais continuações.

Sem dúvida uma das melhores HQs da Arlequina.

Batman Cavaleiro Branco e Maldição do Cavaleiro Branco

Por João Pedro Maia

As Melhores HQs da Arlequina (1)

Uma lista de melhores histórias da Arlequina não estaria completa sem uma das participações mais icônicas da nossa palhaça nessa história alternativa das brigas entre o Coringa e o Batman. Cuidado com spoilers.

Quando o Coringa sai do Asilo Arkham dizendo estar curado e que é novamente Jack Napier, ele resolve procurar e se desculpar com a Arlequina, e aqui temos uma das reviravoltas mais interessantes dos quadrinhos.

A mulher vestida de maneira semelhante a Arlequina dos filmes é na verdade uma substituta, uma doida varrida apaixonada pela loucura do Coringa. Eis que surge Harleen Quinzel, vestida com seu traje clássico da animação do Batman, a mulher que viu o que havia além do Coringa.

Nessa realidade, Harleen seguiu o Coringa em suas loucuras, porém aos poucos percebeu que a devoção do palhaço jamais seria para ela, e sua insatisfação atingiu o ápice na versão dessa realidade do arco “Morte em Família”, quando ela resolve partir.

As Melhores HQs da Arlequina (1)

Em Cavaleiro Branco, ela retorna e faz de tudo para manter Jack afastado da influência do Coringa, até mesmo ajudando-o a realizar seus planos um tanto quando duvidáveis, porém, ainda assim derivados da persona de Jack e não do Coringa aparentemente. Leiam a história completa para entender mais.

Quanto a substituta, Marian Drews, enojada com o “desaparecimento” do Coringa, ela assume a identidade de Neo Coringa, e inicia uma campanha contra Jack Napier para que ele possa novamente se tornar o Coringa.

O papel da Arlequina original não diminui em Maldição do Cavaleiro Branco, onde ela se aproxima cada vez mais do Batman e de uma vida mais voltada ao heroísmo. Definitivamente, uma lista com as melhores histórias da Arlequina não estaria completa sem essa versão da personagem (tanto a OG Harley quanto a Neo Coringa).

Eventualmente, essa versão da Arlequina ganhou tanto apelo dos fãs que recebeu uma história própria neste universo, que mostra um pouco mais de seu passado, além de mostrar como sua vida se encaminha depois do final bombástico de Maldição do Cavaleiro Branco. Infelizmente, ainda inédita no Brasil.

Louco Amor (Batman – O Desenho da TV, Revista Abril Jovem)

Por André “Brasuka”

As Melhores HQs da Arlequina (1)

Eis o início de tudo, o surgimento da Arlequina na DC Comics a partir da adaptação em quadrinhos do clássico desenho animado Batman The Animated Series, desenvolvida pela dupla Bruce Timm e Paul Dini. Em Louco Amor (Mad Love, 1992) vemos a origem da personagem e do conturbado relacionamento abusivo entre ela e o Coringa – antes, Harleen Quinzel, uma estudante de Psicologia com métodos nada ortodoxos para alcançar seus propósitos.

Tão louco é o amor que sente pelo seu querido Pudinzinho, que se submete a maus tratos e todo tipo de exposição possível (em certo momento nos quadrinhos, ela diz ao Coringa: “ah vamos, não quer montar na sua Harley? Vrummm, vrummm!”). Sexismo, submissão e machismo, nessa leitura, é para poucos! Submetida ao sadismo que tal relacionamento proporciona, Arlequina até mesmo sonha com algo mais duradouro entre ela e o Palhaço do Crime, com direito a imaginar uma família insana no meio de tudo.

Harley só vê um obstáculo capaz de impedir seu romance: Batman! Para ela, o Homem-Morcego é o responsável pela infelicidade do seu grande amor e, para matar o herói de Gotham City, faz uso de um dos planos do Coringa. Obviamente, o vilão surta ao ver que uma mulher está prestes a concretizar seus planos de dar cabo do Cavaleiro das Trevas.

Ao fim da história, após derrota e prisão, Arlequina é questionada por uma médica: “como é ficar totalmente dependente de um homem a ponto de dar tudo a ele em troca de nada?” Para Harleen Quinzel, “é como um sonho!”

Mesmo sendo uma história bastante divertida, repleta de ação e com forte senso de humor, a mesma reflete o tema da violência contra a mulher de maneira brilhante, em que tal assunto é encarado de forma natural e leviana por uma parcela da sociedade que enxerga a mulher como responsável pelos atos de violência sofridos – intencional ou não, o fato é que a HQ Louco Amor toca na ferida e alerta sobre os danos morais e físicos causados em mulheres do mundo real.

Coringa/Arlequina: Sanidade Criminosa

Por João Pedro Maia

As Melhores HQs da Arlequina (1)

Para quem está acostumado com a velha história da psicóloga que se apaixona pelo louco assassino, porém, aqui a história é bem diferente. Ainda que haja uma obsessão por parte da Harley, aqui temos uma nova versão dessa história.

Harley é uma médica psiquiatra que um dia encontra sua colega de quarto morta pelo misterioso Coringa. A partir daquele momento, ela devota sua vida a encontrar o misterioso assassino, se tornando uma consultora para a polícia, focando em perfis criminosos. O termo “sanidade criminosa” é um termo que ela usa em suas palestras para dizer que psicopatas não são sempre loucos, mas algumas vezes extremamente inteligentes para planejar seus crimes.

Harley insiste em investigar o Coringa mesmo quando a polícia tenta dar seus crimes como casos frios, visto que ele teria desaparecido depois dos crimes que o tornaram famoso. Ao mesmo tempo, um misterioso novo assassino surge.

Sem dar muitos spoilers da trama, (veja o review da primeira edição lá no Sobrecapa), é muito interessante ver uma nova versão da dinâmica entre o Coringa e a Arlequina (ainda que aqui ela não seja a Arlequina).

Falamos aqui do papel diferente da Harley em Cavaleiro Branco, porém mesmo naquele universo não vemos a personagem alcançar todo seu potencial, diferentemente desta, que mostra que seu diploma não foi um mero acaso (ainda que sua inteligência seja aumentada para este universo).

Sem um Batman, é Harley que se torna a detetive mais formidável deste universo, e mostra que apesar da “palhaça” que vemos em diversas outras obras e no universo principal, há muito potencial para a personagem, principalmente num selo livre das amarras do canon como o Black Label.

Arlequina (1999)

Por David Horeglad

As Melhores HQs da Arlequina (1)A termo super brega “entre tapas e beijos” cai como uma luva no casal em Arlequina (1999)

Arlequina (1999) – originalmente Batman: Haley Quinn – é a história de origem da personagem recontada após o crossover Cataclismo (1998), em que um terremoto destrói parte de Gotham. Além do contexto, outras diferenças aparecem em relação à Louco Amor (1993). Aqui, Hera Venenosa salva Arlequina de alguns destroços na cidade. Após a recuperação, a loira conta sua história – ou seja, podemos supor que seja verdade ou não –.

Ao invés de psiquiatra renomada, Dra. Quinzel foi para Arkham em seu primeiro ano de residência com o intuito de coletar material para seu livro sobre serial-killers. Ela se apaixona pelo Coringa, ajuda-o a fugir e, descoberta, é internada. A história tem início mesmo é com sua fuga, quando reencontra Joker e tenta fazer tudo para agradá-lo, embora a todo momento o vilão deixe claro que ela é totalmente descartável.

Alguns pontos são bem marcantes para a história da personagem, como quando o Coringa mostra que tem sentimentos por Arlequina – ao estilo de um psicopata, claro –, a forma com que a vilã ganha seus poderes acrobáticos e sua inteligência maquiavélica.

O roteiro segue com Paul Dini. A arte, porém, fica por conta de Yvel Guichet nos desenhos e Tanya Laib e Richard Horie nas cores. A HQ é facilmente encontrada no encadernado Batman: Arlequina (2017) da Panini.

O dia mais importante do ano (2010)

Por David Horeglad

As Melhores HQs da Arlequina (1)Arlequina mostra que ninguém fica entre ela e o Coringa sem sofrer as consequências

O dia mais importante do ano (2010) tem lugar garantido na lista, pois mostra em poucas páginas o nível da loucura e insanidade que a Arlequina pode ter. E tudo por uma só coisa: o amor do Coringa. O enredo é simples. Arlequina, que estava quase saindo do Arkham por bom comportamento, resolve fugir. O objetivo é passar o Dia dos Namorados com o amado.

 O problema é que ao chegar ao esconderijo do “Pudinzinho”, descobre que ele foi sequestrado pelo chefão do crime Falcone. Para resgatar o Coringa, a mulher enfrenta mafiosos e explode e viaturas policiais, entre outras loucuras. Será que ela resgatará Joker a tempo?

A arte de Joe Quiñones é simples, mas as cores do monstro Alex Sinclair, com efeitos de luz e sombra incríveis, deixam o trabalho muito agradável. O roteiro é do James Patrick. Você também encontra a HQ que originalmente saiu em Joker’s Asylum II: Harley Quinn 1 (2010) no Batman: Arlequina (2017).

Revolução de Ano-Novo (2012)

Por David Horeglad

As Melhores HQs da Arlequina (1)O trio de vilãs de Gotham decide fazer um dia de boas ações

Batman: Pequena Gotham (2015) é um encadernado que reúne histórias com roteiro de Derek Fridolfs e Dustin Nguyen – também responsável pela arte – onde todos os personagens são desenhados com aspectos infantis e possuem um humor leve e descompromissado. Cada capítulo gira em torno de um feriado e um dos mais divertidos tem uma atuação engraçadíssima da Arlequina.

Em Revolução de Ano-Novo (2013) – Li’l Gotham #2 – acompanhamos as amigas Hera Venenosa, Arlequina e Mulher Gato em um dia que só valem boas ações. O engraçado é a concepção do que é bom para essas três. Esse dia pode representar muito mais caos do que se imagina. A intenção é o que importa, né?

Sereias de Gotham (Gotham City Sirens, 2009)

Por André “Brasuka”

As Melhores HQs da Arlequina (1)

A amizade é mágica! Só que não! Assim são os quadrinhos das Sereias de Gotham, escrita por Paul Dini (criador da Arlequina e roteirista de vários episódios do desenho animado Batman The Animated Series). Um pitada de Girl Power, várias doses de chutes, socos, pontapés e, como ingrediente final, acrescente Mulher-Gato e Hera venenosa à mistura e teremos uma das hq’s mais divertidas do mundo nerd.

Essas meninas não são heroínas e não querem proteger Gotham (deixa isso para o Morcego!), apenas desejam se divertir entre roubos, lutas e aventuras pelos becos da cidade. Para isso, decidem dividir um apê e sair das garras malditas e manipuladoras dos homens – essa raça maldita! Harley Quinzel terminou recentemente seu relacionamento abusivo com o Coringa, Selina Kyle teve seu coração arrancado e Pamela Isley decide acabar com os homens que destroem o meio ambiente e a natureza.

Também, em Sereias, temos o início do relacionamento amoroso entre Arlequina e Hera Venenosa. O momento é icônico por quebrar tabus e mostrar a representatividade no meio nerd/geek com duas personagens complexas que se assumem como casal – isto demonstra a capacidade que Harley Quinn possui em viver relações mais profundas, românticas e não apenas pautadas pela loucura e insanidade.

Harley Quinn (Desenho Animado)

Por André “Brasuka”

As Melhores HQs da Arlequina (1)

Com a popularidade da personagem nas hq’s e filmes, era apenas uma questão de tempo para Arlequina ganhar sua própria animação. Harley Quinn (2019) é um desenho animado que mexe com as estruturas do patriarcado, em que a personagem se distancia cada vez mais do relacionamento tóxico com o Coringa e seus abusos físicos e psicológicos, ganhando mais destaque no mainstream.

A emancipação fantabulosa de Arlequina através de suas desventuras em Gotham City atrai pela abordagem escancarada e ácida de temas complexos – apesar dos traços leves, não espere uma animação fofa e cheia de lições de moral.

Definitivamente, Harley Quinn (dublada por Kaley Cuoco, a eterna Penny de The Big Bang Theory) rompe com as tradições e apresenta uma animação repleta de violência, sarcasmo, violência, gore e humor negro. Os episódios não se fazem de tímidos e sacaneiam desde o primeiro escalão de heróis até a quinta categoria de personagens bucha – sobra até para o grande e poderoso Darkseid!!!

Com duas temporadas no ar, Harley Quinn é ousada e divertida, uma série animada que toca o terror nos corações dos mocinhos e vilões do Universo DC enquanto trabalha importantes questões do cenário feminino como violência contra a mulher, desqualificação, vitimização, abusos morais, emancipação e sexualidade.

Os showrunners da série souberam equilibrar muito bem a dose de cores e absurdos da mitologia da personagem com temáticas sérias que necessitam ser debatidas dentro das mídias.

E com isso chegamos ao fim da lista de melhores HQs da Arlequina. Faltou alguma HQ que você acha imprescindível para retratar a ex-princesa-palhaça do crime e quarto pilar da DC Comics?

Não deixe de comentar com a gente nas redes sociais, confira nossa lista com As Melhores HQs da DC Comics clicando aqui e não deixe conferir outras listas do Ultimato do Bacon!

Quer debater sobre quadrinhos, livros, filmes e muito mais? Venha conhecer nosso grupo no Whatsapp clicando aqui!!! 


Créditos:
Texto: Vários
Imagens: Reprodução
Edição: Diego Brisse

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB! 


Quer debater Quadrinhos, Livros e muito mais?

Conheça nosso grupo no WhatsApp!

Quero participar

Notícias relacionadas

Nós usamos cookies para garantir que sua experiência em nosso site seja a melhor possível. Ao navegar em nosso site você concorda com a nossa política de privacidade.

OKPolítica de privacidade