Por Lucas Souza

Alguns nomes da indústria dos Quadrinhos tornam a leitura de títulos associadas a seus talentos quase que obrigatórias. É o caso do genial Darwin Cooke que entregou trabalhos brilhantes como “DC : A Nova Fronteira”, “Batman : Ego” e tantas outras obras. “As Crianças do Crepúsculo” da Vertigo é um dos seus últimos trabalhos e foi feito ao lado de Gilbert Hernandez e Dave Stewart.

“As Crianças do Crepúsculo” foi lançada originalmente nos EUA no final de 2015 e começo de 2016 em formato minissérie em “The Children of Twilight” #1 – #4 da Vertigo. A Panini Comics trouxe a história encadernada completa em 2019.

 

Traço característico de Darwin Cooke abrilhanta as páginas de “As Crianças do Crepúsculo” da Vertigo

 

“As Crianças do Crepúsculo” da Vertigo nos leva a acompanhar uma história que envolve um mistério sobrenatural. A trama lembra muito os filmes da década de 80 onde o mistério e a ambientação eram os mais importantes e não as explicações sobre os fenômenos estranhos em si.A história se passa em uma pequena cidadezinha que parece ficar no México (eles falam em tequila mas nunca mencionam o país ou o nome da cidade) e gira em torno de uns estranhos orbes brilhantes que aparecem e desaparecem na cidade. Os locais já parecem acostumados com o fenômeno mas cientistas e até agentes do governo aparecem e se mostram bem interessados nos estranhos relatos.

Somos apresentados a diversas figuras interessantes da pequena cidade durante a história. Tito, a sedutora do local, é um dos fios condutores da trama e seu triângulo amoroso com o Anton e seu marido Nikolas é extremamente relevante para os acontecimentos estranhos que se desenvolvem na HQ. Temos ainda três curiosas e inteligentes crianças que desempenham papéis centrais através do beberrão local Bundo.

 

Bundo encontra uma misteriosa mulher na praia em “As Crianças do Crepúsculo” da Vertigo

 

A história começa a se desenvolver de fato após a chegada do cientista Felix. Ele decide ir até a cidade para investigar o fenômeno dos brilhantes orbes mais a fundo – diversos acontecimentos se desenvolvem depois da chegada do cientista inclusive uma estranha tempestade que afeta as três curiosas crianças e traz uma nova e misteriosa peça para o quebra cabeça: Ella.

“As Crianças do Crepúsculo” surpreende pela simplicidade do roteiro e pela escolha do cenário. Os autores não parecem preocupados em mergulhar de cabeça nas explicações dos orbes ou mesmo na ficção científica – eles se mostram muito mais interessados em fazer com que nós vejamos o dia a dia da pequena cidade e como os locais encaram os acontecimentos. O contraste com os cientistas e agentes do governo é bem interessante e é parte importante da HQ.

 

Xerife local e o beberrão Bundo encontram mais um dos brilhantes Orbes que aparecem na cidade

 

“As Crianças do Crepúsculo” da Vertigo impressiona por trazer uma história fluida com um mistério interessante. Os desenhos de Cooke são um adicional que trazem uma sensação de nostalgia ainda maior para a trama – que parece beber na fonte de filmes e contos de mistério da década de 80 onde o principal era mostrar o fator humano e não explicar cada detalhe do mistério. Os amantes de filmes como “Conta Comigo” (1986), “Garotos Perdidos” (1988) e outros do gênero vão gostar demais da HQ que trabalha o fator humano e coloca protagonistas improváveis no centro da história. Os amantes de ficção científica podem sair um pouco decepcionados pois os autores não se mostram interessados em criar um novo universo e explicar 100% do mistério – muito fica a cargo da nossa imaginação nesse sentido. Uma excelente obra que serve para matar a saudade do gênio Darwin Cooke.

 

Fique ligado no Ultimado do Bacon para mais notícias e reviews sobre HQ´s!

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon