A Família Addams (The Addams Family)
Ano: 2019 Distribuição: Universal Pictures
Estreia: 31 de Outubro (Brasil)

Direção: Conrad Vernon, Greg Tiernan

Roteiro: Matt Lieberman (história e roteiro); Charles Addams (baseado nos personagens de); Conrad Vernon, Erica Rivinoja (história); Pamela Pettler (roteiro)

Duração: 86 Minutos  

Elenco: Oscar Isaac, Charlize Theron, Chloë Grace Moretz, Finn Wolfhard, Bette Midler, Snoop Dogg

Sinopse: Para ir de mal a pior, a Família Addams precisa se preparar para receber uma visita de parentes ainda mais arrepiantes. Mas a misteriosa mansão deles parece estar com os dias de maldade contados. O clã assustador mais querido dos cinemas está de volta nessa animação baseada nos quadrinhos de Charles Addams.

 

 

Alexandre Baptista

A Família Addams volta aos cinemas em grande estilo

Animação da MGM distribuída pela Universal se aproxima do traço e humor original de Charles Addams e entrega uma ótima produção

por Alexandre Baptista

 

A Família Addams foi criada por Charles Addams para as tiras do The New Yorker em 1938 – mesmo ano de criação do Superman – o que significa que a icônica família completou 80 anos no ano passado.

Era esperado que, em vista de uma data tão simbólica, algo surgisse na direção deles. Com estreia nesta quinta, 31 de outubro, a nova animação estrelando Gomez, Mortícia, Vandinha, Feioso, Tio Chico, Vovó e o mordomo Tropeço veio não só em boa hora como também em grande estilo.

O roteiro tem um pouco de tudo aquilo que já vimos, seja da série A Família Addams (The Addams Family, 1964) ou, mais ainda, do filme A Família Addams (The Addams Family, 1991), com Raul Julia, Christopher Lloyd e Anjelica Houston; e se Hotel Transilvânia (Hotel Transylvania, 2012) tirou inspiração dos Addams para muitas de suas gags, aqui o favor é devolvido na inspiração de todo o arco da “família diferente perseguida pelos vizinhos intolerantes” e da “filha rebelde querendo descobrir o que existe além do pântano”.

A falta de originalidade do roteiro incomoda um pouco, mas fica de lado frente a qualidade da animação. Texturas muito bem trabalhadas e finalizadas, uma movimentação estilizada e bastante fluída que enche os olhos, principalmente dos amantes da técnica.

Sem contar a escolha do traço e estilo dos personagens, que busca traduzir na modelagem 3D muito do traço original de Addams em seus cartuns, dando ao mesmo tempo fidelidade à animação e uma sensação de novidade. A única adição desnecessária é o Apple Watch de Mãozinha, que faz as vezes do olhos da criatura. Por sorte é dado um destaque ínfimo ao detalhe que jamais fez falta para conferir personalidade ao personagem.

 

O cartunista Charles Addams em frente ao mural An Addams Family Holiday – a nova animação traduz em 3D muito do traço original do artista. [Look Magazine Photograph Collection/Library of Congress]

 

Além disso, as tiradas e piadas rápidas e ácidas funcionam muito bem. Obviamente teremos algumas pessoas comparando o estilo do longa à franquia Meu Malvado Favorito (Despicable Me, 2010 – atual) da Illumination Entertainment. Mas uma vez que todo mundo tem se valido deste estilo de humor hoje em dia, é justo que a família original do anti-heroísmo também tenha sua chance, uma vez que esse era o seu estilo muito antes de Matt Groening criar Os Simpsons em 1989.

A trilha sonora infelizmente peca por cair na atual onda de entulhar a trilha musical com uma quantidade grande de hits sem, no entanto, dar muito respiro entre eles. Um tanto cansativo e genérico.

Além disso, o longa explora pouco o tema da família, extremamente reconhecível e simples de ser utilizado em algumas variações ao longo do filme, caso fosse essa a intenção dos cineastas. Apesar da boa brincadeira entre Mãozinha e Tropeço para a origem do tema, a inspiração para por aí, infelizmente.

A dublagem nacional é dentro da média esperada, mas confesso que, com nomes como Oscar Isaac, Charlize Theron, Chloë Grace Moretz, Finn Wolfhard, Bette Middler e Snoop Dogg no elenco original, fico com a leve impressão de que a versão legendada ganharia alguns pontinhos pelo trabalho do elenco.

De toda forma, A Família Addams em sua nova versão – que não é assim tão nova – deve agradar o público e, além dos rumores sobre a continuação, mereceria certamente uma série animada.

Curioso somente é lembrar que, ao ser o inverso de uma família americana normal, a família Addams se mostra como uma família extremamente unida e amorosa, em que o casal é irreversivelmente apaixonado. São realmente monstros!

 

 

 

Avaliação: Bom

 

 

 

Trailer:

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram

Facebook

Amazon