13 Reasons Why (2ª Temporada) | O Ultimato

13 Reasons Why  (1ª Temporada)

Ano: 2018

Distribuição: Netflix

 

Estreia: 18 de Maio

Criador: Brian Yorkey

Duração: 44-55 min/ep

Elenco: Katherine Langford, Dylan Minnette, Kate Walsh, Christian Navarro, Alisha Boe, Brandon Flynn, Justin Prentice, Miles Heizer, Derek Luke, Amy Hargreaves, Devin Druid e Ross Butler

Sinopse: A temporada 2 de 13 Reasons Why retrata as consequências da morte de Hannah e a difícil jornada de nossos personagens rumo à recuperação. A escola Liberty se prepara para ir a julgamento, mas alguém quer impedir a todo custo que a verdade sobre a morte de Hannah venha à tona. Fotos ameaçadoras levam Clay e seus colegas à descoberta de um segredo terrível – e uma conspiração para encobri-lo."

Júlio Ribeiro

Particularmente eu não achava que havia necessidade de uma 2ª temporada para 13 Reasons Why, não tanto pela qualidade da série, mas simplesmente por se afastar da obra original (livro escrito por Jay Asher, que foi adaptado inteiramente na 1ª temporada) mas após algumas semanas de conversas, leituras e vários podcasts, concordei que deveria sim haver uma nova temporada, principalmente para dar outra direção ao suicídio de Hannah.

Se na 1ª temporada nós conhecemos a história contada por Hannah através de 13 fitas gravadas antes de seu suicídio, a 2ª temporada nós temos acesso ao outro lado da mesma história. Cada episódio é narrado pelo personagem que está depondo no julgamento para decidir se a escola tem culpa ou não no suicídio, e durante os depoimentos, temos a confirmação que a história realmente possui dois lados e que Hannah não era bem a coitadinha que aparentava ser. Particularmente gostei bastante dessa solução, pois conseguiu manter a mesma estrutura narrativa da 1ª temporada sem apelar para aquelas soluções óbvias como por exemplo, encontrar mais fitas e etc.

Uma das maiores críticas à 1ª temporada era de que ela “romantizou o suicídio”, “mostrou que o suicídio era a solução para os problemas, já que todos os afetados foram punidos ou se arrependeram” além é claro do famoso “manual/tutorial de como cometer suicídio”. Após ter pensado bem sobre o assunto concordo com todas essas críticas e justamente por isso a 2ª temporada teria uma missão muito ingrata. Corrigir todos esses “problemas”.

Podemos falar que de certa forma a série consegue corrigir esses problemas nos 12 primeiros episódios, antes de começar cada episódio vários avisos aparecem falando que as cenas podem ativar gatilhos e que a série não é recomendada para pessoas que já viveram situações parecidas e que sofrem de alguma doença como a depressão, além disso no final de cada episódio um aviso sobre como pedir ajuda é mostrado (algo irônico, pois todos os personagens da série guardam segredos e tentam resolver tudo sozinhos sem pedir ajuda para os pais ou os responsáveis pela escola).

O único capitulo que senti bem deslocado do restante da temporada foi justamente o último (o mais longo, mais de 1h10min de duração), ele acontece após o julgamento e introduz vários temas diferentes de uma vez sem dar o devido tempo para seu desenvolvimento (temas tão importantes quanto o suicídio, diga-se de passagem) em apenas um episódio eles conseguem falar sobre o assédio que as mulheres sofrem diariamente em escola, emprego, rua e etc. Conseguem falar sobre religião, falam sobre o privilégio, dinheiro e influência, falam sobre vício em drogas, falam sobre a aceitação da homossexualidade por parte da família, falam sobre um problema recorrente nos EUA que é o fácil acesso as armas por parte dos adolescentes e principalmente falam sobre a violência sexual sofrida pelo homem (que segundos algumas pesquisas até chegam a superar os números da violência sofrida pela mulher). O meu sentimento é que o episódio 13 tem a função mais de nos preparar para uma possível 3ª temporada do que de finalizar a 2ª temporada que estamos assistindo.

[SPOILER: SELECIONE A LINHA PARA LER] O abuso sofrido pelo Tyler foi uma das cenas mais fortes que já vi em uma série, é realmente uma cena pesada para quem está assistindo, mas que eu acredito ser necessária, feita para nos chocar, principalmente o público dos EUA, onde o colégio ainda é separado em tribos, onde normalmente os atletas e as líderes de torcida dominam o ambiente, muitas vezes tornando-os tóxicos, assim como vemos em vários filmes e séries. O que não gostei foi da insinuação de uma adaptação do Massacre de Columbine, inclusive com as datas aparecendo durante o episódio até chegar na mesma data do massacre. Todo elogio que fiz anteriormente cai por terra nessa cena, onde momento antes de Tyler entrar armado com uma metralhadora no baile de inverno, Clay decide confrontar o atirador sozinho, inclusive pedindo para ninguém chamar a polícia, Tyler estava visualmente transtornado após o abuso sofrido horas antes. Essa é uma mensagem errada e muito perigosa, visto que jamais devemos, em hipótese alguma, confrontar, ainda mais sozinhos, uma pessoa nessas situações, novamente a série foi contra todas as recomendações existentes e ensinadas ao longo dos anos, além de passar a mensagem que o atirador é simplesmente uma vítima, que merece ser ajudado, quando na verdade sabemos que em vários casos essa não é bem a situação. Acredito que nesse momento a série entrou em um assunto delicado e escolheu a forma errada de passar uma mensagem para o público. [FIM DO SPOILER]

Se eu pudesse utilizar uma palavra para definir a 2ª temporada de 13 Reasons Why, eu utilizaria: CONSEQUENCIA. Na atual realidade em que vivemos, principalmente eu, que sou professor, considero que infelizmente a série se tornou obrigatória por tratar de forma tão direta vários assuntos delicados que passamos ao longo de nossa vida, principalmente durante a adolescência. Alguns diálogos são realmente muito bons, como quando Clay e Cherry discutem sobre responsabilizar uma vítima que sofreu um abuso. Contudo alguns excessos foram novamente cometidos e de novo volto a falar A SÉRIE NÃO PODE E NEM DEVE SER ASSISTIDAS POR QUALQUER PESSOA.
 

Se você decidir assistir e não se sentir bem com algo, procure ajuda, converse com alguém. Nada vale mais do que sua vida.

 

Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e voip 24 horas todos os dias. Ligue 188

Avaliação: Bom!

 

Comentários