por Lucas Souza

Difícil encontrar um roteirista com tantos sucessos na carreira (em personagens tão diferentes) como Mark Waid. Responsável por histórias e fases aclamadas como Reino do Amanhã, Run do Demolidor, Run na Liga da Justiça, Superman Legado das Estrelas, Run no Quarteto Fantástico… São muitos acertos na conta. Mas nenhum personagem se beneficiou tanto do lendário autor como o Flash.

Mark Waid assumiu o Flash um pouco depois da lendária Crise nas Infinitas Terras que traz a morte do velocista escarlate Barry Allen. Depois disso, o antigo Kid Flash Wally West passa a ser o herdeiro do manto de seu tio e mentor. O desafio do autor, que ficou 8 anos a frente do título, era provar que West poderia ser um herdeiro a altura do manto do homem mais rápido do mundo. E o roteirista foi tão bem sucedido que para muitos Wally é o “verdadeiro” Flash.

 

Barry Allen retorna dos mortos na fase de Mark Waid

 

Entre tantas boas histórias nesses 8 anos de run, O Retorno de Barry Allen se destaca por sua ousadia em brincar com o público. Quando foi publicada, em 1993 – que só chegou no Brasil em dezembro de 1995 – a história em 6 partes (The Flash 74-79) se destacou por mexer com o imaginário de um público ainda carente da partida de Barry Allen na Crise. A pergunta principal era: o que vai acontecer agora que o “verdadeiro” Flash voltou? Wally vai voltar a ser o Kid Flash? Existe espaço para os dois?

A relação entre eles e outros velocistas começa bem e emocionante, mas em pouco tempo as coisas começam a ficar esquisitas e temos sentimentos mistos com esse retorno do antigo velocista escarlate. Barry parece diferente e sua relação com o seu pupilo fica insustentável.

Wally se sente cada vez mais culpado por se sentir incomodado com aquele que sempre foi seu maior herói. Sua primeira suspeita – que o aliviaria dessa culpa – de que “Barry” poderia ser um impostor já havio sido rebatida “de cara” pela ferramenta mais poderosa do universo: o anel de Hal Jordan, o Lanterna Verde.

Após brincar com nossas expectativas, Waid nos brinda com reviravoltas que consolidam Wally West como um grande Flash. Se enfrentar um vilão poderoso, que mexe com o emocional de todos, em uma grande batalha não te qualifica para ser digno, o que qualifica?

 

Jay Garrick, Barry Allen e Wally West, os principais velocistas da DC, em uma bela cena juntos

 

 

Mark Waid reinventou os conceitos do Flash e criou boas histórias atrás de boas histórias nos seus anos à frente do velocista escarlate. O Retorno de Barry Allen de sua autoria tem todos os elementos que constroem uma boa história em quadrinhos: situações emocionantes, grande vilão, reviravoltas e heroísmo puro. Essa grande epopéia do velocista escarlate foi recentemente republicada no volume 50 da coleção Eaglemoss da DC. Obrigatório na coleção dos fãs da Editora das Lendas!

 

Avaliação: Excelente!

 

Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon


 
 
Comentários