Finalmente a aguardada continuação de Watchmen chega ao Brasil, como anunciado recentemente pela Panini (clique aqui). Originalmente chamada de Doomsday Clock, será publicado como “O Relógio do Juízo Final” mensalmente ao preço de R$9,90.
Não importa se é fanfic ou canônico, todo mundo que já leu ou assistiu Watchmen (criação de Alan Moore) sempre sonhou em ver esses personagens de alguma forma interagindo com o Universo Regular DC e é isso o que Relógio do Juízo Final nos traz com roteiro de Geoff Johns e desenhos de Gary Frank. Entre polêmicas, atrasos e elogios vamos mostrar o que você deve ler antes de começar a acompanhar essa série que será lançada em 12 partes pela Panini.


1 – Watchmen


Obviamente, você deve ler Watchmen antes de ler O Relógio Juízo do Final (sua continuação direta). Mais do que isso, você, sendo leitor de quadrinhos ou não, deve ler Watchmen. Não é à toa que mesmo após 30 anos do seu lançamento, ela se mantem atual e excelente. Em qualquer site ou lista de melhores HQs de todos os tempos, fatalmente Watchmen estará nas primeiras posições. Então, independente de qualquer coisa, VOCÊ DEVE LER WATCHMEN.


Sinopse: Em 1985, num mundo em que Estados Unidos e União Soviética vivem à beira de uma guerra nuclear, o assassinato do Comediante, um ex-combatente do crime, poderia soar quase como algo corriqueiro. Mas não para o paranoico Rorschach. Depois que os vigilantes foram afastados devido à pressão dos policiais e políticos, ele foi o único que continuou suas atividades nas ruas. Mesmo contra a lei. Agora, Rorschach quer saber quem matou o Comediante, que durante muitos anos realizou “serviços” a mando do governo. E por qual razão. E quanto mais Rorschach se aprofunda na investigação, mais ex-combatentes do crime são envolvidos; e o que mais parecia uma tola teoria da conspiração ganha força.

 

2 – FlashPoint


Lançada em 2011 em 5 edições escritas por Geoff Johns e desenhadas por Andy Kubert, o enredo foca em uma realidade alternativa, tendo por protagonista o Flash, Barry Allen. Em seu final, a série muda radicalmente o status quo do universo DC, levando aos Novos 52. A saga de Ponto de Ignição foi adaptada em Liga da Justiça: Ponto de Ignição, animação lançada em 2013 que conta exatamente a mesma história, mas com algumas alterações. Também foi adaptada no final da Segunda Temporada da série The Flash, exibida no Brasil pelo canal Warner Channel. Essa adaptação utiliza da ideia central da HQ, mas obviamente não chega nem próximo de ter a mesma importância ou de utilizar os mesmos personagens.


Sinopse: Barry Allen acorda em seu escritório e descobre que as coisas estão diferentes: ele se vê sem seus poderes, descobre que sua mãe ainda está viva, e que o mundo está em guerra. Desnorteado, vai em busca da Liga da Justiça, mas fica surpreso ao descobrir que eles não existem. Ao se perceber numa realidade paralela ele consegue descobrir que Batman ainda existe. Ele parte em busca do amigo tentando conseguir ajuda, mas nem tudo nesse mundo é igual ao que Barry conhecia. Inicia-se assim a cruzada de Barry para tentar retornar ao seu mundo ou, pelo menos, salvar este.

 

 

3 – One Shot Universo DC: Renascimento

 
 

Lançado em maio de 2016 e escrito por Geoff Johns (o mesmo de Relógio do Juizo Final) e ilustrado por Ivan Reis, Ethan Van Sceiver, Gary Frank e outros artistas, este one-shot não apenas inicia uma nova fase para a editora, como também é uma perfeita metalinguagem em relação ao que os leitores sentiam lendo os Novos 52.

Esse One-Shot foi o primeiro indício de que o Universo Regular DC e o Universo Watchmen iriam se encontrar em breve. Para você sacar todas as referências é necessário algum conhecimento dos principais eventos do Universo DC, como por exemplo Crise Nas Infinitas Terras, Morte do Superman, Crise Final, Liga da Justiça dos Novos 52 e etc. Recomendo a leitura desses materiais, todos são ótimos, mas ao mesmo tempo, esse One-Shot não deixa de ser um grande resumo de tudo o que aconteceu na DC. Dessa forma, se você tiver lido esses materiais, você irá apreciar esse One-Shot por completo, se não, é uma ótima porta de entrada. Os Novos 52 tiveram suas virtudes e seus méritos, era possível gostar daquele universo, gostar daqueles personagens, mas faltava algo.


Sinopse: Renascimento é focar no cerne dos personagens e nos seus respectivos universos. Trás de volta tudo o que foi perdido: o legado dos personagens, o amor e esperança do Universo DC! Acima temos as duas capa que o One-shot foi lançado no Brasil, comemorando a nova fase da Editora, as capas foram metalizadas!

 

4 – O Bóton

  


Um dos primeiros crossovers da Fase Renascimento, a história acontece nas edições Batman 21-22 e Flash 21-22 e basicamente é uma história de investigação relacionado ao Bóton do Comediante encontrado misteriosamente na Bat-Caverna. A história possui forte relação com Ponto de Ignição (mencionado anteriormente). Nessa história, nossos heróis descobrem que existe uma espécie de "Deus" por trás de todas essas mudanças no universo. O que vale destacar aqui é uma menção editorial: nos EUA, foram lançadas edições avulsas e um encadernado com capas lenticulares; aqui no Brasil, a Panini entregava um bóton com o logo do Batman ou do Flash no encadernado capa dura.


Sinopse: Após o Flash Reverso invadir a Bat-Caverna atrás de um misterioso bóton surgido na base do Homem-Morcego, o Flash Barry Allen decide investigar junto ao Batman o que realmente é a anomalia espaço-temporal que trouxe Wally West de volta, e vem perturbando todo o tecido da existência.

 

Vídeo do nosso parceiro, Alexandre Baptista do Canal Sobrecapa, mostrando a Edição Americana com Capa Lenticular do encadernado "The Button"

 

Vídeo da Panini, mostrando as versões de "O Bóton" que foi lançado em 2018 no Brasil, principalmente a Edição Capa Dura que vinha com um imã de brinde que após a sua retirada mostrava o verdadeiro bóton do Comediante. Obs.: Por motivos de direitos autorais a Panini Brasil não pode publicar o bóton do Comediante na Capa de suas HQs, particularmente achei a solução bem inteligente, mas ouve quem reclamou do "buraco" na capa. Recomendo assistir somente o início do vídeo, pois o restante contem spoiler do arco.

 

5 – Superman e Action Comics

  


Ao longo das edições tanto de Superman quanto de Action Comics da fase Renascimento, várias dicas e informações foram sendo dadas além de claras referencias ao Universo Watchmen. As duas revistas são ótimas, mas Action Comics de Dan Jurgens claramente possui mais referencias e conexões com Watchmen. Recomendo a leitura dos arcos Renascido (Edição 10) , Um Novo Mundo (Edição 11, 12 e 13) e O Efeito Oz (Edição 16, 17 e 18). A primeira, lida com o Homem de Aço dividido em duas metades, a segunda, traz uma nova cronologia ao Superman e a última, revela a identidade de Oz (uma clara ligação ao Universo de Watchmen).

 

6 – Relógio do Juízo Final

 


Após ler tudo o que indicamos aqui, você está preparado para iniciar a leitura do Relógio do Juízo Final. A história vai mostrar vários personagens da DC, mas o foco em particular será no Superman e no Doutor Manhattan. Mas ao contrário do que muitos imaginavam, o combate não será físico e sim ideológico. Atualmente 9 edições foram lançadas nos EUA e você confere as capas acima.


“Nós não queríamos ver Dr. Manhattan duelando com Superman nas páginas de Action Comics, com todo o respeito. Essa HQ não é sobre isso, é algo diferente…", diz Johns. 

“…temos um ser que perdeu sua humanidade, e se distanciou disso, e um alien que encarna a humanidade mais do que a maioria dos humanos. Eu amo a ideia de que Watchmen influenciou a DC, mas como seria o contrário disso?”, completou.


É complicado falar sobre Relógico do Juizo Final sem soltar spoiler e acredito que depois dessa matéria, se você precisa de algo a mais para ler essa história, eu sinceramente não sei o que é.


Vale a pena dar uma chance e acompanhar essa história, fanfic ou não. Relógio do Juizo Final é uma das HQs mais vendidas nos 2 últimos anos nos EUA e tem tudo para repetir o sucesso aqui no Brasil.