Por João Maia

Aviso: esta matéria contém spoilers de Flash e Liga da Justiça.

 

Começando em Flash #70, os fãs terão a oportunidade de conferir, pelas mãos de Joshua Williamson e Howard Porter, os primeiros passos (ou milhares de passos em supervelocidade) de Barry Allen quando ele ganha seus poderes.

Barry Allen tem sido o Flash principal da DC Comics desde os Novos 52 e se mantem no posto durante o Rebirth, mas já faz algum tempo desde que os fãs tiveram uma chance de olhar a fundo sua origem, fazendo com que Flash: Ano Um seja não apenas o início canônico da carreira de Barry, mas também uma excelente oportunidade para que novos leitores conheçam mais do início do herói.

 

 

É claro, este não é literalmente o começo do herói como foi há décadas, uma vez que essa é uma nova abordagem para inserir novos conceitos na mitologia do herói. Fãs do Flash vão adorar ligeiras referências a Jay Garrick, o Flash da Era de Ouro, como um personagem de quadrinhos da coleção da mãe do Flash. Fãs devem se lembrar que Garrick aparentemente ainda está perdido na força de aceleração. E então avançamos até o clássico acidente de laboratório que transformou a vida do jovem Barry.

 

 

Howard Porter faz um excelente trabalho na montagem de Barry aprendendo a usar seus poderes, agora com a adição de um catálogo de suas habilidades num diário de superpoderes, se aproximando ainda mais dos nerds de ciência. De sua lendária necessidade de ingerir calorias até os efeitos adversos de ler centenas de livros em um minuto, Barry documenta suas mudanças físicas uma a uma. No geral, é a origem padrão do Flash, incluindo o custo de quantos tênis de corrida o Barry derreteu antes de aprender a parar.

 

 

Mas como mencionado anteriormente, essa não é simplesmente uma edição especial para recontar a origem do Flash, mas sim o começo de algo novo (o famoso retcon). Barry na verdade parece ter sido enviado ao passado para reviver sua origem. No final da edição #69, Barry encontra um homem em seu laboratório que se apresenta como “Steadfast” que está conectado a Força de Inércia, que tem recebido grande destaque no novo run da Liga da Justiça. Segundo Steadfast, para que o multiverso sobreviva, Barry precisa se lembrar de algo que ele esqueceu.

Voltando aos seus primeiros dias como Flash, em um de seus testes, Barry corre tão rápido que quebra a barreira do tempo e acaba em um futuro distópico sombrio. Enquanto tenta descobrir onde está, soldados atacam o jovem herói. Alegando serem parte do regime do Rei Tartaruga, os soldados o acusam de estar “sem sua carapaça”. No último momento, o jovem herói é salvo pelo “Velho Flash” que começa a discutir com sua versão mais jovem sobre ele nunca aprender o quão perigosas são as viagens no tempo.

Como não temos acesso a poderes de viagem no tempo, ainda temos que esperar as demais partes da história. No entanto, podemos acreditar que o Rei Tartaruga seja o antigo vilão renegado do Flash, o Tartaruga, que por anos falou sobre o oposto da Força de Aceleração, a Força da Inercia, que como mencionado, agora tem um importante papel nos desdobramentos vistos em Liga da Justiça.

Resta esperar que Barry se “lembre” do que precisa a tempo de salvar o mundo!

 

Confira nossas dicas de leitura do Flash! Compre com desconto clicando nas capas 🙂

 

 

 

 

 


Acessem nossas redes sociais e nosso link de compras da amazon

Instagram 

Facebook

Amazon