DCeased é mais uma história de zumbis e heróis nas HQ´s – o que passa longe de ser uma novidade ou uma moda recente. Anos atrás a Marvel nos deu o excelente Zumbis Marvel (Marvel Zombies, 2005 – 2006) – logo em seguida destruído pelas abomináveis continuações – e agora Tom Taylor traz a ameaça dos devoradores de miolos para o Universo DC em DCeased.

Conheça a História de DCeased

Darkseid está como sempre atrás da equação anti-vida e dessa vez ele encontra a resposta. Isso não é spoiler, é o começo de tudo.

Por algum motivo, a segunda parte da equação se manifesta junto ao Ciborgue, e o tirano de Apokolips consegue colocar as mãos no herói e unir as duas metades da equação. Mas como dizem os antigos “cuidado com o que você deseja”.

A equação anti-vida não pode ser controlada, nem mesmo pelo poder incomensurável de Darkseid, causando o fim de Apokolips. Ao mesmo tempo, Desaad envia o infectado Victor Stone de volta à terra. Sua conexão com a tecnologia torna todas as telas, vetores da anti-vida, infectando todos, humanos ou super-heróis.

É, o começo não é dos melhores. É confuso e corrido, mas serve para dar início aos últimos dias da Terra. Em meio ao pânico, Tom Taylor é rápido em estabelecer que ninguém está seguro, eliminando heróis chave em meio à crise. Sem spoilers, mas esperem mortes chocantes.

Mas esse é o ponto máximo a que chega a história. Tom Taylor é um grande escritor, nos dando histórias incríveis como Injustiça (Injustice: Gods Among Us, 2013 – 2016) e X-Men Equipe Vermelha (X-men Red, 2018). Mas talvez, só talvez, o gênero de zumbis não tenha sido feito para se misturar com os heróis.

A Marvel acertou ao trazer para seu Zumbis Marvel 1 ninguém menos que Robert Kirkman, o próprio criador de The Walking Dead (2003 – 2019) e, realmente, o volume 1 é bem acima da média.

Mas ao seguir com mais 3 volumes e spin-offs, a editora cansou seus leitores e, talvez, mesmo anos depois, ainda não fosse um bom momento para que a DC investisse no tema. Existem diferenças, mas não o bastante.

DCeased não é uma história ruim, contando com momentos empolgantes aqui e ali e algumas boas ideias que parecem não ir a lugar algum (sim, o destino de um personagem especifico me incomoda muito).

A ideia de que ninguém está a salvo anima no começo e rende bons momentos, mas no fim, a história da voltas e voltas, com mudanças de ritmo abruptas em alguns momentos, saindo de mortes com significado na trama para apenas carnificina que mantenha o sangue pingando dos quadros e painéis.

No geral, DCeased parece ter feito sucesso o bastante para garantir spin-offs e continuações, mas considerando tudo, talvez não seja exatamente um bom investimento para o suado dinheiro dos brasileiros – estou de olho nos seus preços Panini!

Mesmo não sendo ruim, o selo DC Black Label oferece historias com maior propósito e que podem garantir um entretenimento mais satisfatório.

DCeased (DC Black Label) - O Ultimato 1

Avaliação: Regular

 


Créditos:

Texto: João Maia
Imagens: Reprodução
Edição: Alexandre Baptista

 

Compre pelo nosso link da Amazon e ajude o UB!